pré-diabetes
Crédito: Freepik
em

Pré-diabetes: causas e prevenção e tratamentos

Veja como prevenir e identificar esse cenário, para evitar que ele evolua para um estado mais severo

Muitas pessoas sofrem com a pré-diabetes sem sequer saber o que ela é. Afinal, esse é um quadro que surge sem apresentar sintomas, o que o torna perigoso para quem negligencia a saúde e culmina em casos de diabetes.

Porém, ele pode ser tratado e assim, a pessoa volta a ter uma vida saudável. Então, saiba como identificar os fatores de risco e tratar esse quadro, com medidas práticas que podem ser aplicadas no dia a dia.

O que é

De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, esse problema pode ser separado por tipos, sendo o tipo 1 conhecido por se definir por fatores genéticos, enquanto o tipo 2 por hábitos durante a vida. Portanto, a pré-diabetes pode ser o componente causador da diabetes tipo 2.

A pré-diabetes consiste no potencial para que se desenvolva a diabetes, atuando como elemento chave de intersecção entre uma pessoa saudável e um diabético. Assim, o ponto final desse problema é a manifestação da própria doença e de seus sintomas.

É importante que a pessoa saiba quais são os fatores de risco desse problema, já que, na maioria das vezes, ele não demonstra nenhum sintoma. Essa manifestação silenciosa do problema é um perigo e pode fazer com que ele seja identificado tarde demais. Portanto, vale a pena fazer consultas frequentes ao médico e entender o que pode gerar esse quadro.

Quais são os fatores de risco

fatores de risco da pré-diabetes
Crédito: Freepik

O principal fator de risco desse problema é o ganho exacerbado de peso, já que isso gera maior produção de insulina – pelo pâncreas – para tentar controlar os altos níveis de açúcar. Porém, esse aumento exponencial de insulina presente faz com que o próprio organismo crie resistência a esse componente, fator que propicia a diabetes.

Sendo assim, pode ser deduzido que o sedentarismo e a alimentação inadequada podem auxiliar na formação desse quadro. Afinal, ambos geram o aumento de peso, pois promovem maior facilidade para o armazenamento de gordura e atrapalham o processo de queima calórica.

Além disso, ter hipertensão também pode ser considerado como um dos possíveis causadores. Por isso, é essencial que o indivíduo com suspeitas de pressão alta evite alimentos com alto teor de sódio, como: salsicha, mortadela, molho shoyu, mostarda, ketchup, salgadinhos e por aí vai. Além de não fumar, evitar consumir álcool, reduzir o consumo de açúcares e frituras e praticar exercícios frequentemente.

Ter colesterol alto ou alta taxa de triglicérides na corrente sanguínea também pode ser um alerta. Afinal, o LDL promove o acúmulo de gordura nas correntes sanguíneas, o que pode resultar em ataques cardíacos e em outros problemas.

Vale destacar que ter parentes com diabetes também é um fator de risco, pois, como você já sabe, a diabetes tipo 1 é causada por fatores genéticos. Logo, se você herdou determinada combinação de cromossomos, pode herdar essa doença, mesmo que cultive hábitos saudáveis.

Distúrbios de ordem psicológica também podem influenciar, já que eles também atuam no sistema biológico, como no controle dos neurotransmissores. Assim, portadores de esquizofrenia, depressão, transtorno bipolar e outras doenças devem estar atentos e fazer exames periódicos.

É possível reverter a pré-diabetes?

A boa notícia é que é possível reverter esse quadro negativo com medidas simples! Sendo assim, o diagnóstico precoce é positivo, já que é simples traçar uma estratégia eficaz para a prevenção de um cenário em que o indivíduo se torne diabético.

Para isso, é preciso que haja um alto grau de disciplina, já que a reversão desse quadro se dá pela mudança de hábitos. Dentre esses costumes, destacam-se as boas práticas alimentares e o exercício físico, feito de maneira frequente e consciente.

Na alimentação, é importante que se consuma alimentos ricos em fibras, já que esse componente torna a absorção do açúcar mais lenta, de maneira gradual. Assim, ela evita os picos de glicose repentinos que promovem a resistência do organismo à insulina, o que auxilia na prevenção do quadro de diabetes.

Outro ponto é aliar a prática de exercícios físicos, de preferência, aeróbicos. Para que se gastem as calorias e reduza o consumo de açúcares, com a adoção de um estilo de vida mais saudável. Além do corte de componentes ricos em gorduras saturadas e trans, açúcares, álcool e fumo.

Com a adoção dessas práticas e consultas frequentes ao médico, esse cenário poderá ser revertido e você poderá ter uma vida mais saudável. Portanto, analise os fatores de risco e compartilhe esse artigo com mais pessoas que se preocupem com saúde e bem-estar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading…

0

Comentários

abrir lata sem abridor

Como abrir lata sem abridor: 3 dicas para salvar sua refeição

receitas com ricota para fazer em casa

10 Receitas com ricota para fazer em casa