o que é diabetes tipo dois
Crédito: Pixabay
em

O que é diabetes tipo 2, suas causas, sintomas e tratamentos

Essa doença pode ser evitada com um estilo de vida saudável. Veja quai são os sintomas e fatores de risco

De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, são mais 13 milhões de pessoas diabéticas registradas no país. Essa é uma doença crônica que é dividida entre tipo 1, de causa imunológica, e tipo 2, quando desenvolve a deficiência ao longo da vida. Existe também o diabetes gestacional e a pré-diabetes, mas o que você vai conhecer melhor agora é sobre o que é diabetes tipo 2.

Veja também: chás para diabetes

O que é?

O diabetes, de modo geral, é uma síndrome metabólica que afeta a absorção do açúcar que entra no sangue por meio dos alimentos. Nos casos de diabetes tipo 2, o hormônio insulina, que é produzido pelo pâncreas, pode ter essa produção insuficiente ou, então, se comportar de maneira resistente, não fazendo efeito sobre a glicose (açúcar) que está na corrente sanguínea.

Quer dizer que a insulina não vai ajudar na absorção glicose, fazendo o pâncreas produzir uma quantidade exagerada que vai deixar, tanto insulina quanto glicose, em excesso na corrente sanguínea. Assim, surgem os sintomas da doença no corpo.

Sintomas

Os sintomas acabam afetando o corpo todo, por isso a qualidade de vida da pessoa com diabetes sofre grandes alterações. O ideal é não deixar chegar a esse ponto, pois os sintomas não tratados podem evoluir para outras doenças graves.

Cicatrização difícil

O diabetes dificulta a cicatrização, a resistência a infecções e a habilidade curativa do organismo.

Apetite voraz

Como o corpo não tem insulina necessária para levar o açúcar às células, os órgãos e os músculos ficam cansados, o que faz você ter de comer.

Visão afetada

Açúcar no sangue em nível superior ao normal leva a dificuldades visuais, assim como de  concentração.

Muita sede e necessidade de urinar

Açúcar em demasiada quantidade no sangue causa sede e, consequentemente, a sua vontade de urinar também será maior. Como o corpo vai perder bastante água na urina, essa é outra razão para necessitar de mais água, fazendo a pessoa sentir sede o tempo todo.

Manchas na pele

Majoritariamente no pescoço ou axilas, essas manchas escuras têm uma designação médica que é Acantose nigricans. É um efeito da resistência à insulina.

Cansaço

As células acabam por ficar carentes de açúcar, o que leva a episódios de irritação e cansaço regulares, além da falta de energia que provém principalmente da glicose. Como ela não está disponível, o corpo fica fadigado.

Furúnculos

Outros sintomas são o surgimento de furúnculos, formigamento, sensação de queimação e comichão na pele, sobretudo nos pés e nas mãos.

Fatores de risco

Pessoas que não sabem o que é diabetes tipo 2, mas possuem predisposição à doença, geralmente não ficam atentas aos fatores de risco, que são:

  • Ter mais de 45 anos;
  • Ser sedentário;
  • Ser obeso;
  • Alimentar-se mal;
  • Ter tido diabetes gestacional;
  • Índices reduzidos do colesterol tipo HDL;
  • Pressão alta;
  • Abuso de álcool e tabagismo.

Tratamentos

O tratamento vai depender de cada caso. Os menos graves podem ser tratados e mantidos sob controle apenas com uma reeducação alimentar e a adoção de um estilo de vida saudável. Mas em casos mais graves pode ser necessário o uso de insulina extra, injetada no corpo, além de outros medicamentos que, provavelmente, serão usados por toda a vida.

Qual a diferença entre diabetes tipo 1 e 2?

A principal diferença entre esses dois tipos de diabetes é que no tipo 1 o sistema imunológico ataca as células produtoras de insulina, então praticamente não existe esse hormônio no organismo para atuar na absorção da glicose.

Já no tipo 2, como visto no início, é caracterizado pela deficiência na produção da insulina ou no seu funcionamento, não tendo relação direta com o sistema imunológico.

O tipo 1 de diabetes é comum se manifestar já na infância ou adolescência, enquanto o tipo 2 é mais comum em adultos, mas os dois tipos podem afetar pessoas de todas as idades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading…

0

Comentários

câncer ginecológico

Câncer ginecológico: conheça os tipos mais comuns e suas características

corrimento vaginal

Corrimento vaginal: conheça os tipos principais e como tratar