óleo de cozinha
Crédito: Pxhere
em

Óleo de cozinha: como escolher o melhor para fritura?

Cada óleo tem seus prós e contras. Mas sempre que possível, o melhor mesmo é não comer fritura

Falar sobre o melhor óleo de cozinha é uma questão delicada, pois há muitos estudos com resultados diferentes a respeito. Cada óleo, e também o azeite de oliva, têm suas propriedades e melhores formas de uso, pois reagem de forma diferente de acordo com a temperatura a que são expostos. Veja algumas características de cada opção para decidir qual utilizar no preparo das suas receitas.

Melhores óleos para cozinhar

Existem dois fatores mais importantes a se considerar na hora de escolher o óleo de cozinha. Um deles é a finalidade do óleo no preparo. Se for para fritar ou aquecer em alta temperatura, é preciso escolher um mais resistente a essa temperatura elevada. Entretanto, entra o segundo fator que é a proporção de gordura saturada e insaturada em cada óleo. A saturada é a que faz mal, enquanto a insaturada é o tipo que o organismo utiliza de forma benéfica para sua manutenção.

Azeite de dendê

O azeite de dendê, também chamado de óleo de palma, é a opção mais usada nas indústrias porque é o óleo que suporta as mais altas temperaturas sem modificar seu sabor e aparência. Então, para fritar, é o melhor. Por outro lado, também é o mais rico em gorduras que colocam em risco a saúde cardíaca.

Azeite de oliva

O azeite de oliva, extraído das azeitonas, é um dos mais recomendados pelos profissionais de saúde devido ao seu alto teor de gorduras boas para o organismo. Entretanto, ele não deve chegar ao ponto de fumaça, ou seja, quando aquece demais e sai fumaça da panela, pois nesse ponto ele perde importantes propriedades que fazem bem à saúde.

Esse azeite deve ser usado para temperar, ou então para preparar alimentos quentes, mas sem deixá-lo aquecer demais na panela antes de começar o preparo.

Óleo de soja

Esse é um dos mais populares entre todos, pois tem um bom custo benefício. O óleo de soja é um meio-termo entre as opções, pois ele também aguenta melhor as altas temperaturas, e tem uma quantidade de gorduras equilibrada, no sentido de gorduras boas e ruins.

Óleo de milho e de girassol

Esses dois tipos de óleo contêm mais ômega-6 do que ômega-3, e isso significa que, embora sejam opções que aguentem temperaturas altas para fritura, oferecem maior risco para o sistema cardiovascular.

Óleo de coco

Não faz muito tempo que o óleo de coco surgiu no mercado como uma opção para substituir os demais. Então, ainda há muitos estudos em andamento sobre ele. Alguns defendem que ele é absorvido mais rapidamente, ajudando na perda de peso e evitando o acúmulo nas artérias.

Outros afirmam que num logo prazo ele possa originar processos inflamatórios no intestino. Além do mais, ao mesmo tempo em que ele aumenta o colesterol bom, também aumenta o ruim.

Óleo de canola

O óleo de canola é um dos tipos que mais causa dúvida porque ele é um óleo transgênico, ou seja, feito à base de uma planta alterada em laboratório. Essa planta é a “colza”, que é rica em ômega-3, mas precisou ser modificada por conter o ácido erúcico, que é tóxico. Porém, o que dizem os estudo que o defendem é que, se já não fosse um óleo seguro, não estaria à venda a tanto tempo.

Em resumo: qual óleo de cozinha escolher?

Como viu, cada opção tem seus prós e contras, e ainda deixam muitas dúvidas, pois cada pesquisa visa beneficiar uma indústria diferente. Então, nesse caso, o melhor a fazer é variar entre cada tipo e evitá-los sempre que possível, especialmente para fazer frituras.

Praticamente todas as receitas fritas podem ser preparadas de uma forma mais saudável e também gostosa. Quando não puder resistir a uma fritura, dê preferência aos óleos que aguentam as temperaturas mais altas.

Receitas mais saudáveis sem óleo de cozinha

Para evitar ficar consumindo gorduras desnecessárias, que podem acabar aumentando o colestrol e gerando doenças cardiovasculares, o melhor a fazer é preparar os alimentos com menos óleo, de formas alternativas. Veja algumas sugestões.

Batatas fritas sem óleo

Em vez de mergulhas as batatas em um monte de óleo, você pode cortá-las em palitos, colocar um tempero bem gostoso e levar para assar. Elas vão ficar sequinhas por fora, macias por dentro e com um gosto mais saboroso, além de mais saudáveis. Veja no vídeo como preparar:

Ovo frito na água

Com o ovo é a mesma coisa. Se você adora ovos fritos, saiba que não precisa de óleo para fritá-los. Basta usar um pouco de água no lugar do óleo. Tem receitas que você só precisa colocar o ovo quebrado no micro-ondas por alguns segundos e ele já sai cozidinho, parecendo frito. Tem receitas em que você coloca só um fundinho de água quente na frigideira, depois o ovo vai por cima até dar o ponto, como essa do vídeo:

Frango empanado no forno

Um franguinho empanado e frito para servir como petisco ou acompanhamento do almoço também é delicioso, mas retém muita gordura. Então, a dica é fazer o frango empanado no forno, que fica mais saboroso e bem sequinho, além de mais saudável. Essa versão deixa o sabor da carne e do tempero mais gostosos, pois não tem aquele gosto de gordura. Veja como fazer:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading…

0

Comentários

omelete sem óleo

Omelete sem óleo: como fazer uma refeição saudável sem fritar

geleia de cebola

Geleia de cebola caramelizada: aprenda a fazer uma compota diferente