em

Fluoxetina emagrece? Saiba indicações e efeitos colaterais

Coloque sempre sua saúde em primeiro lugar e não se arrisque

Crédito: Freepik

Em busca de um corpo que está, muitas vezes, inatingível, muitas pessoas acabam pensando se fluoxetina emagrece. Esse medicamento encontrado em farmácias é, de acordo com a Agência Nacional de vigilância Sanitária (Anvisa), um combinado do antidepressivo e inibidor da recaptação de serotonina. É encontrado em forma de cápsulas com 20 mg do ativo químico.

Sua primeira versão foi desenvolvida na década de 80, depois de ter sido descoberta em 1972, estando hoje na lista dos medicamentos essenciais da Organização Mundial da Saúde. Sua primeira marca foi o Prozac, sendo bastante conhecido até hoje por esse termo. Hoje, porém, existem diversos genéricos disponíveis, além de outras marcas.

Para que serve

cloridrato de fluoxetina emagrece
Crédito: Freepik

Se a fluoxetina emagrece ou não é apenas um efeito colateral das indicações do remédio. Ele age aumentando os níveis de serotonina no cérebro, o que ajuda no tratamento de algumas doenças. Os resultados começam a aparecer algumas semanas depois de iniciada a ingestão, podendo ser comprado somente com receita médica.

A fluoxetina foi desenvolvida para agir nos quadros depressivos, ajudando as pessoas que sofrem com a doença a ter uma melhor qualidade de vida. Porém seu uso foi ampliado, sendo percebida a sua importância para outras condições. Veja quais são.

1. Depressão

Nos quadros depressivos, a quantidade de serotonina no cérebro fica reduzida, o que leva a sintomas como apatia, isolamento social, alterações nos padrões de sono e apetite, além de muitos outros sintomas já conhecidos. A fluoxetina é extremamente útil nesses casos, ajudando a elevar os níveis do hormônio, o que gera uma melhor qualidade de vida e possibilidades de tratamento.

2. Ansiedade

A ansiedade pode, ou não, estar relacionada a outras doenças, sendo a ansiedade crônica uma difícil realidade para muitas pessoas. Um dos quadros que o medicamento ajuda a tratar, além da ansiedade em si, é a disforia. Ela é apresentada por um mal-estar muito forte, com sintomas físicos, causados pelo elevado grau de ansiedade.

3. Bulimia nervosa

A bulimia nervosa está relacionada à autoimagem, sempre comparada àquela idealizada pela sociedade, sendo um mal que precisa se tratamento urgente, podendo inclusive levar à morte. A fluoxetina ajuda no tratamento, fazendo com que o paciente consiga lidar com os quadros, realizar o tratamento psicológico e se alimentar melhor, podendo inclusive dar mais fome.

4. Transtorno obsessivo-compulsivo

O transtorno obsessivo-compulsivo, também conhecido como TOC, atrapalha profundamente a vida do paciente, através de manias difíceis de controlar e que não permitem um dia a dia fluido.

Ele pode ser tratado com o apoio desse medicamento, que dá o suporte para as mudanças necessárias, aliviando a tensão constante com a qual o paciente tem que lidar.

5. Transtorno disfórico pré-menstrual

Se você acha a tensão pré-menstrual incômoda, não imagina o que é viver com o transtorno disfórico pré-menstrual. Ele é uma versão mais intensa, incluindo sintomas físicos, terminando no início do sangramento.

Ele faz com que alterações de humor intensas atrapalhem o dia a dia e relacionamentos, pessoais e de trabalho, da mulher que convive com a doença. O medicamento é fundamental para ajudar a passar mais tranquilamente por essa fase.

Veja também: os mais comuns transtornos mentais

Quem pode tomar

Pessoas que não tenham alergia ao composto principal ou seu excipiente podem tomar, com orientação médica. É fundamental que seja receitado por um médico responsável, pois existem diversas interações medicamentosas prejudiciais e efeitos colaterais severos.

Por exemplo, quem toma medicamentos para o sistema nervoso central, que se liguem à proteínas do plasma, AAS, anti-inflamatórios não-estereoidais, anticoagulantes, remédios eletroconvulsivos e outros. Ou seja, não é suficiente pensar se fluoxetina emagrece. Esse não é um medicamento inocente e não pode ser tomado de forma arbitrária.

Dá sono?

Em geral, a fluoxetina não dá sono, na realidade, pode causar insônia em quem utiliza. Porém, é possível que o seu organismo sinta um baque no início do tratamento, dando um cansaço muito grande, pois ele estará lidando com muitas informações. Dessa forma, o ideal é ter um maior cuidado no início do tratamento, reservando um tempo maior para atividades.

É interessante evitar dirigir por longas viagens, trabalhos que requeiram grande atenção e similares nos primeiros dias, para evitar acidentes. Claro que o seu médico de confiança irá dispor das doses crescentes, se assim for interessante para o desenvolvimento do tratamento.

Efeitos colaterais

De acordo com a bula oficial do medicamento genérico, disponibilizado pela Anvisa , muitos são os principais efeitos colaterais.

Antes de começar o uso interessado apenas no fato de que fluoxetina emagrece, pense nessas reações muito comuns: diarreia, náusea, fadiga, astenia, cefaleia e insônia. As comuns são as palpitações, visão turva, boca seca, dispepsia, vômitos, calafrios, sensação de agitação, redução do peso, anorexia, distúrbio de atenção, tontura, letargia, sonolência, tremores, pesadelos e muitos outros.

Um dos efeitos colaterais é a perda do apetite e a mudança do sabor dos alimentos, fazendo com que se diminua ainda mais a vontade de comer. Unindo isso aos enjoos frequentes, há chances de emagrecimento, o que leva algumas pessoas a acreditar que fluoxetina emagrece e a tomarem esse medicamento para os fins errados, sem pensar na dependência e todos os outros efeitos colaterais existentes.

Além disso, pode diminuir a libido, a paciência, aumentar a tensão, causar distúrbios de ejaculação, sangramentos, disfunção erétil, sudorese, problemas na pele, sensações térmicas alteradas, contração e fores musculares, falta de coordenação motora, bruxismo e muitos outros.

Preço

O preço não é dos piores, podendo variar entre R$ 50 e R$ 75, a depender do local de compra. Para o momento da aquisição, é necessário apresentar uma das versões da receita dada pelo seu médico, que ficará retida para controle posterior.

Com esse valor você compra uma caixa com 30 comprimidos, sendo que, em alguns casos, são indicadas até três caixas por mês, sendo mais de R$150. Com esse valor, dá para investir em um bom nutricionista ou fazer aquela atividade física que você estava de olho. Então, que tal começar a mudança lentamente, de forma saudável, e se quiser, até sem custos?

Procure o apoio de um nutricionista ou busque fazer mudanças na sua alimentação, adicionando mais alimentos naturais e ficando longe dos processados ou ultraprocessados.

vacina antiestresse

Vacina antiestresse pode estar disponível em 20 anos

geladeira solidária

Geladeira solidária: iniciativa ajuda quem não tem o que comer