transtornos mentais
Crédito: Freepik
em

Os 5 mais comuns transtornos mentais

Conheça as subdivisões mais comuns dos principais transtornos da mente e suas características

Transtornos mentais são disfunções na atividade cerebral que podem se manifestar de diversas formas e intensidades. Por isso é que existem tantos tipos registrados no Manual Diagnóstico e Estatístico dos Transtornos Mentais (DSM-5). Nesse artigo você vai conhecer um pouco melhor sobre os tipos mais comuns e dicas de como lidar com as pessoas que os tem.

Quais são os transtornos mentais mais comuns?

Para ser considerada portadora de um transtorno mental, uma pessoa precisa ser diagnosticada por um médico psiquiatra. Isso porque cada transtorno é muito complexo e necessita de uma avaliação bastante minuciosa para se chegar ao diagnóstico correto, quando possível. Então, se você se interessa pelo assunto, veja, de forma breve, quais são os tipos de transtornos mentais mais comuns, ou seja, que afetam um maior número de pessoas no mundo.

1. Transtornos de ansiedade

Sentir ansiedade é natural, mas começa a ser um problema quando afeta a qualidade de vida, comprometendo os relacionamentos sociais, os estudos, o trabalho e diversos aspectos da vida de uma pessoa. Existem subdivisões dos transtornos de ansiedade, devido aos diferentes quadros sintomáticos já registrados.

Ataque de pânico: pessoas diagnosticadas com ataque de pânico sentem um terror intenso e repentino, que pode ser desencadeado diante de uma situação de insegurança. Ele vem acompanhado do medo de morte, falta de ar, suor excessivo, palpitações, dor no peito e pode levar ao desmaio.

Transtornos fóbicos: as fobias são caracterizadas pelo medo irracional de alguma coisa, fazendo com que a pessoa perca o controle dos seus sentidos diante da situação que lhe desperta a fobia. Pode ser de várias coisas, como animais peçonhentos, lugares cheios de pessoas, de palhaços, de viajar de avião, de sangue, de tempestades e muito mais.

Transtorno de estresse pós-traumático: quando uma pessoa vive uma situação que lhe expôs a uma experiência psicológica muito estressante ou que lhe fez incapaz de agir, ela pode desenvolver um transtorno pós-traumático, que a faz reviver a situação em sua mente constantemente. Ela pode ter pesadelos e mudar seu comportamento ficando mais agressiva, isolada e inconstante.

Transtorno obsessivo compulsivo (TOC): esse transtorno está associado a medos e angústias, fazendo com que a pessoa viva com ideias, pensamentos ou imagens intrusivas e negativas na sua mente. Assim, ela desenvolve rituais ou ações compulsivas na tentativa de se sentir melhor e aliviar a ansiedade.

2. Transtornos de humor

Entre os vários tipos de transtornos de humor, que como o nome sugere, alteram o humor da pessoa repentina e bruscamente, os mais comuns são o transtorno bipolar e o transtorno depressivo.

Transtorno bipolar: esse transtorno afeta a forma em que uma pessoa pensa, se sente e age. As alterações de humor são exageradas e instáveis, constantemente. Os ciclos podem durar horas, dias ou meses e são bem distintos. Em um ciclo a pessoa está altamente disposta e extrovertida e no outro está deprimida, chegando a abandonar o trabalho e as relações sociais. Existem diversos níveis desse transtorno.

Transtorno depressivo: a depressão é uma das mais comuns psicopatologias e por isso mesmo há quem se identifique com ela, sem tê-la realmente. Sentir-se deprimido em episódios específicos é diferente de sentir-se doente por um longo período de tempo sem conseguir agir para mudar a situação.

3. Transtornos alimentares

Dentro dos transtornos alimentares estão a anorexia nervosa, a bulimia nervosa, a compulsão alimentar e a ortorexia, por exemplo.

Anorexia: na anorexia a pessoa tem obsessão por controlar a quantidade de comida que ingere, com medo exagerado de engordar. Um dos sintomas é a distorção da imagem corporal. Por mais magra que esteja, acredita estar aparentando obesa. Mesmo comendo uma quantidade mínima por dia, sente-se mal e culpada por ter comido.

Bulimia: já no caso da bulimia, ocorrem padrões alimentares anormais. A pessoa come compulsivamente e descontroladamente e logo depois força o vômito ou toma laxantes para eliminar tudo o que comeu o mais rápido possível, com medo de engordar.

Compulsão alimentar: o que caracteriza a compulsão alimentar é a necessidade de comer exageradamente pelo menos 2 vezes por semana, por um período acima de 6 meses consecutivos, mesmo quando a pessoa não está com fome. Diferente da bulimia, nesses episódios não há a necessidade de eliminar imediatamente tudo o que comeu.

Ortorexia: na ortorexia a pessoa é obcecada por selecionar o que vai comer, na intenção de que tudo seja absolutamente saudável. Chega a um ponto descontrolado de não comer a comida feita por outras pessoas e nada do que não tenha certeza da procedência, evitando agrotóxicos, conservantes e calorias.

4. Transtornos psicóticos

Nesse grupo estão as psicopatologias que fazem a pessoa perder o contato com a realidade, tendo delírios e alucinações durante as crises. Os delírios são ideias equivocadas sobre algo que existe. As alucinações são percepções falsas sobre algo que não existe. Alguns dos mais comuns são o Transtorno delirante e a esquizofrenia.

Transtorno delirante: esse é o transtorno caracterizado pela paranoia, quando há uma ou várias ideias delirantes sobre algo que existe. A pessoa fica convencida de que, por exemplo, está sendo perseguida por alguém. Esse alguém não é inventado, realmente está lá. O que não está acontecendo é a perseguição.

Esquizofrenia: já no caso da esquizofrenia, ocorrem alucinações e pensamentos perturbantes que fazem a pessoa se isolar do convívio social. Essa doença é considerada muito grave, havendo casos em que a pessoa vive quase o tempo todo em um universo particular, com seus próprios personagens, misturando-os ao mundo real.

5. Transtornos de personalidade

Os transtornos de personalidade costumam surgir na adolescência ou início da vida adulta e afetam todos os aspectos da vida da pessoa doente. Os mais comuns subdividem-se entre borderline e antissocial.

Borderline: entre os transtornos mentais, esse faz com que a pessoa viva as suas emoções ao máximo, ocorrendo alterações contínuas no comportamento. Pode haver uma raiva intensa sem capacidade de autocontrole, autoimagem instável, compulsões por compras e momentos de vazio extremo, entre outros, conforme cada caso.

Transtorno antissocial: também é chamado de sociopatia ou psicopatia. Se caracteriza pela tendência de não interagir na sociedade. No comportamento da pessoa podem estar presentes os hábitos de agredir, mentir, roubar, além da tendência à solidão. Costumam ser pessoas tímidas, deprimidas e com medo de rejeição, porém não necessariamente todas essas características vão surgir em um mesmo indivíduo.

O que fazer quando percebe sinais de transtorno mental em uma pessoa do convívio pessoal?

Todos os tipos de transtornos mentais necessitam de tratamento médico. Então, em todos os casos, se perceber os sintomas em uma pessoa do seu convívio pessoal, o recomendado é que, em primeiro lugar, leve essa pessoa ao médico psiquiatra.

Muitas vezes esse pode ser um processo difícil, pois a pessoa vai negar estar com problemas e precisar de ajuda. Então pode ser melhor você ir sozinho ao médico explicar quais são os sintomas que está percebendo. Assim ele irá orientar sobre o que pode fazer para convencer a pessoa de ir até ele por vontade própria ou mesmo se deve tomar outra atitude.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading…

0

Comentários

bepantol para cabelo

Bepantol para cabelo: como usar para deixar os fios macios e hidratados

alcachofra

Para que serve a alcachofra