Tratamento hormonal para menopausa pode aumentar risco de câncer de mama
Crédito: Freepik
em

Tratamento hormonal para menopausa pode aumentar risco de câncer de mama

Estudo mostra maior incidência de câncer em mulheres que fizeram esse tipo de tratamento

Um estudo publicado na revista científica inglesa Teh Lancet Journal mostrou que há uma forte ligação entre o tratamento hormonal para a menopausa e o câncer de mama. O que já era uma suspeita, foi comprovado estatisticamente, com números realmente assustadores.

De acordo com o Ministério da Saúde, somente em 2018, foram quase 60 mil novos casos da doença no país. Ele é um dos mais comuns, representando 28% dos casos de câncer em mulheres, geralmente depois dos 35 anos. Porém, é aos 50 que os índices disparam, com evolução mais rápida.

Seus principais sintomas são o surgimento de nódulos na mama, além de “edema cutâneo (na pele), semelhante à casca de laranja; retração cutânea; dor; inversão do mamilo; hiperemia; descamação ou ulceração do mamilo e secreção papilar, especialmente quando é unilateral e espontânea”.

É fundamental que dê atenção a qualquer um desses sintomas, buscando ajuda médica imediatamente. Pode não ser nada, mas o ideal é não bobear. Além disso, essa máxima vale especialmente para mulheres que fazem terapia hormonal.

Tratamento hormonal aumenta a chance de câncer de mama

O estudo, realizado por pesquisadores ingleses, comprova o que os médicos já afirmavam. Realmente, a reposição hormonal pode afetar a saúde da mulher. Além disso, aumenta as chances de desenvolver o câncer de mama de forma considerável.

Independente se a mulher parou a terapia hormonal há algum tempo ou se continua fazendo, os índices foram semelhantes. Foi observado também que quanto maior era o tempo de tratamento, maior era o risco de desenvolver o câncer. Os maiores indicadores apontaram para o estrogênio-progestágeno do que as reposições somente com estrogênio.

Foram estudadas 1,3 milhão de mulheres desde 1998 até 2018, em parceria com “66 centros de rastreamento de câncer de mama do Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido”. Entre elas, mais de 900 mil já estavam na menopausa e não sofriam com câncer de mama. Cerca de 1/3 delas fazia reposição hormonal, 1/6 já tinham feito alguma terapia hormonal e a metade não usou hormônios.

Resultados

Os resultados da pesquisa com mais de 1 milhão de mulheres foram impressionantes e provaram o que os médicos já afirmavam. Mostraram que fazer tratamento hormonal a partir dos 50 anos, por um período de 5 anos, pode levar a ter 8,3% de chance de desenvolver o câncer de mama. Além disso, foi comprovado que a combinação entre estrogênio e progesterona é menos indicada.

A taxa apresentada para as mulheres do grupo de controle – ou seja, que nunca fizeram tratamento hormonal – é diferente. O estudo mostrou que elas têm cerca de 6% de chance de desenvolver câncer de mama, menos do que as que fizeram reposição. As que fizeram tratamento somente com estrogênio, apresentaram um índice de 6,8%.

Isso mostra o quanto é importante cuidar da saúde durante toda a vida e não somente quando chega a idade. Com um corpo saudável, há menores chances de necessidade de reposição hormonal. Além disso, se for preciso, ele irá lidar melhor com as mudanças apresentadas, reduzindo as chances de desenvolver doenças.
crianças desaparecidas em portugal

A cada 6 horas, uma criança desaparece em Portugal

homem emagrece 35kg

Ele conseguiu emagrecer 35 kg depois de ser recusado em emprego