Mamoplastia redutora
Crédito: Freepik

Mamoplastia redutora: quando pode fazer, quais os riscos e benefícios

Reduzir o tamanho dos seios é uma solução que aumenta muito a qualidade de vida e autoestima de algumas mulheres.

Publicidade

Assim como muitas mulheres colocam silicone para ter seios maiores, outras já nascem com predisposição a terem seios grandes, inclusive desproporcionais ao corpo, e sonham em fazer a mamoplastia redutora. Essa cirurgia é feita para reduzir o tamanho dos seios, oferecendo mais qualidade de vida para a mulher.

O que é a mamoplastia redutora?

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), a mamoplastia redutora é um procedimento cirúrgico que remove o excesso de gordura, tecido granular e pele das mamas para atingir um tamanho de mama proporcional com o seu corpo e aliviar o desconforto associado com seios muito grandes.

O que o formato dos seios revela sobre a personalidade

Quando é recomendada?

Em primeiro lugar, os cirurgiões plásticos recomendam que a cirurgia de redução de mama é um procedimento individualizado e você deve fazê-lo para si mesma, não para satisfazer os desejos de outra pessoa ou para tentar se adaptar a qualquer tipo de imagem ideal.

Publicidade

A mamoplastia redutora é recomendada para sanar problemas emocionais e de saúde causados pelos seios muito grandes. O peso do tecido mamário em excesso pode prejudicar sua capacidade de levar uma vida ativa e causar dores nas costas.

Além disso, o desconforto emocional associado a seios grandes e caídos é um problema para muitas mulheres, pois podem causar problemas de baixa autoestima e sentimento de exclusão social.

Aproveite e veja: Como o tamanho dos seios afeta a prática de exercícios

Publicidade

Requisitos para realizar a cirurgia

Para estar apta a fazer a mamoplastia redutora, a mulher precisa passar por uma avaliação com o cirurgião plástico e fazer exames. Na consulta, o médico irá avaliar os motivos da paciente para fazer a cirurgia, e entre eles estão:

  • Estar incomodada com a sensação de que seus seios são muito grandes;
  • Estar limitada a fazer certas atividades físicas por causa dos seios grandes;
  • Estar fisicamente saudável;
  • Não fumar;
  • Ter dor nas costas, pescoço e ombro causada pelo peso de seus seios;
  • Ter depressão nos ombros, no lugar das alças do sutiã, devido ao peso de seus seios;
  • Ter irritação da pele abaixo do sulco da mama;
  • Ter seios flácidos e pendentes;
  • Ter o mamilo abaixo do sulco da mama quando seus seios não são sustentados;
  • Tem aréolas alargadas e pele flácida;
  • Estar com expectativas realistas quanto ao procedimento, a recuperação e o resultado.

Veja também: 4 exercícios para seios flácidos que podem ser feitos em casa

Possíveis riscos da mamoplastia redutora

Nas consultas antes do procedimento, o médico irá explicar tudo o que você precisa saber sobre o pré e pós-operatório, e tudo o que vai acontecer durante a cirurgia. Você terá de assinar um termo de consentimento para assegurar que compreendeu plenamente o procedimento ao qual irá se submeter e quaisquer riscos ou complicações potenciais, que são os seguintes:

Publicidade
  • Cicatriz desfavorável;
  • Infecção;
  • Alterações de sensibilidade no mamilo ou na mama, que podem ser temporárias ou permanentes;
  • Riscos anestésicos;
  • Sangramento (hematoma);
  • Má cicatrização;
  • Contorno e forma da mama irregulares;
  • Descoloração da pele, alterações permanentes da pigmentação, inchaço e hematomas;
  • Danos em estruturas mais profundas, tais como nervos, vasos sanguíneos, músculos e pulmões, podendo ocorrer de forma temporária ou permanente;
  • Assimetria de mama;
  • Acúmulo de líquido (seroma);
  • Rigidez excessiva do peito;
  • Possibilidade de incapacidade de amamentar;
  • Potencial de necrose da pele/tecido onde se encontram as incisões;
  • Possibilidade de necrose total ou parcial do mamilo e da aréola;
  • Trombose venosa profunda, complicações cardíacas e pulmonares;
  • Dor, que pode perdurar;
  • Alergias à fita, à sutura, a colas, a produtos derivados do sangue, a medicações tópicas e injetáveis;
  • Necrose da pele;
  • Possibilidade de novo procedimento cirúrgico (retoque).

Dor nos seios: veja as possíveis causas do desconforto

Benefícios do procedimento

De acordo com os especialistas da SBCP, “o novo tamanho da mama ajudará a aliviar a dor e as limitações físicas existentes previamente à cirurgia. A mama mais proporcional poderá melhorar sua autoestima e autoconfiança. No entanto, ao longo do tempo, seus seios podem mudar devido ao envelhecimento, às oscilações de peso, aos fatores hormonais e à gravidade”.

Veja também: Implante de silicone: por que tantas mulheres estão removendo?

PODE GOSTAR TAMBÉM

Bulimia

Bulimia: saiba o que é, os sintomas e tratamentos

Polução noturna

Polução noturna: por que acontece e como evitar?