em

Como tratar corrimento: veja os sintomas, causas e como prevenir

Embora seja comum, o corrimento nem sempre é normal. Saiba identificar os tipos para buscar o tratamento adequado

como tratar corrimento
Crédito: Freepik

Muitas mulheres têm, já tiveram ou ainda vão ter corrimento vaginal. De acordo com a Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, o corrimento representa cerca de 30% dos motivos para consultas ginecológicas. Ele ocorre por diferentes causas, como você vai ver a seguir, junto com os sintomas, formas de como tratar corrimento e dicas de prevenção.

Sintomas de corrimento vaginal

Para saber como tratar corrimento é preciso saber reconhecer seus sintomas, já que variam conforme o tipo. Os preocupantes, que necessitam de tratamento médico, são aqueles que apresentam coceira intensa na vagina, odor fétido, aspecto granulado ou cores diferentes do branco leitoso, além de ardência para urinar, ardência no contato sexual e vermelhidão na vagina. Veja, no próximo tópico, quais tipos de corrimento apresentam cada um desses sintomas.

Possíveis causas

As causas do corrimento vaginal variam conforme o tipo. Aliás, nem sempre o líquido expelido pela vagina representa um problema de saúde, já que é normal as mulheres expelirem, diariamente, o chamado muco cervical que é um líquido mais viscoso, esbranquiçado, que serve como protetor do útero, como lubrificante natural e como um aviso sobre as fases do ciclo menstrual. Mas existem os tipos com cores:

  • Corrimento rosa: esse tipo de corrimento pode acontecer ao final da menstruação ou como um sinal de gravidez, nesse caso, surgindo cerca de 3 dias depois da relação sexual.
  • Corrimento marrom: pode ser apenas um escape menstrual que surge alguns dias depois da menstruação. Se ele ocorrer com outros sintomas, como ardência ao urinar, pode ser sinal de câncer na vagina ou leucorreia.
  • Corrimento amarelado/esverdeado/acinzentado: costuma surgir com mais sintomas, como odor desagradável e sensação de ardência. Ele pode ser um sintoma de tricomoníase que causa infecção vaginal ou pode ser clamídia, ambas infecções sexualmente transmissíveis.
  • Corrimento branco: se o corrimento branco tiver aspecto de leite talhado, odor forte, coceira, ardência e vermelhidão na vagina, pode ser causado por candidíase, uma doença fúngica que não necessariamente é contraída por meio do contato sexual.

Como tratar corrimento

dicas de como tratar corrimento por tipos
Crédito: Freepik

Como você viu no tópico anterior, as causas e sintomas de cada tipo de corrimento variam. Logo, as formas de como tratar corrimento vaginal também são diferentes. Antes de aplicar qualquer método de tratamento, converse com seu ginecologista. Um tratamento inadequado pode piorar os sintomas.

Tratamentos caseiros

As receitas caseiras para corrimento não substituem a consulta ao médico. Apenas servem como paliativo, aliviando os sintomas até que chegue o dia da consulta. Mesmo assim, se fizer uso de uma dessas receitas e não perceber qualquer melhora, deve suspender o uso. Não é porque o tratamento é caseiro e natural que vai funcionar para todos os tipos de infecção.

  • Banho de assento com plantas: os banhos de assento costumam ser uma forma segura de como tratar corrimento e aliviar os sintomas como coceira intensa, que atrapalha a mulher o dia inteiro. Esse banho pode ser feito com ervas e plantas como calêndula, aroeira, alho, sálvia, nim e goiabeira. Algumas possuem ação fungicida e outras bactericida.
  • Banho de assento com bicarbonato ou vinagre: também é possível fazer o banho de assento misturando água morna com bicarbonato de sódio ou vinagre. A proporção é de 2 colheres de sopa de bicarbonato para 500 ml de água ou 500 ml de vinagre para 3 litro de água.

Para qualquer um dos tipos de banho de assento, basta misturar os ingredientes em uma bacia bem limpa e se sentar sem roupa nessa água, que deverá estar quente (não demais), deixando-a em contato direto com a vagina até que esfrie. Pode fazer uma ou duas vezes ao dia.

Tratamento com remédios

No caso da candidíase, que pode ocorrer em outras partes do corpo, o tratamento deve ser feito com medicação antifúngica, pois é causado pelo fungo candida albicans.

Se o problema for causado por uma vaginose bacteriana, por exemplo, somente o ginecologista poderá prescrever o tratamento que será feito com antibióticos, seja em forma de comprimidos ou pomada para aplicação no interior da vagina.

No caso de vírus, o tratamento também necessita de prescrição médica com medicamentos antivirais e outros cuidados que o profissional irá orientar.

Como prevenir o corrimento vaginal

como evitar corrimento
Crédito: Freepik

Para os tipos de corrimento causados por infecções sexualmente transmissíveis, a forma mais segura de prevenção é o uso de preservativo. Não adianta apenas tomar anticoncepcional para evitar uma gravidez, pois esse medicamento não protege contra as doenças por contato direto corpo a corpo. No mais, é importante que a mulher visite seu ginecologista pelo menos uma vez por ano e mantenha uma boa higiene íntima, com os seguintes cuidados:

  • Trocar de calcinha todos os dias;
  • Nunca deixar a calcinha secando no banheiro sem ventilação e luz natural;
  • Evitar roupas muito apertadas;
  • Alimentar-se de forma saudável, evitando excesso de açúcar que pode desequilibrar a microbiota vaginal;
  • Fazer xixi depois das relações sexuais, mesmo se usar preservativo;
  • Nunca deixar de usar preservativo nas relações, mesmo com parceiro fixo;
  • Tomar cuidado com as pessoas que for ter relações sexuais, pois as doenças podem não estar aparentes;
  • Nunca fazer lavagem interna da vagina nem aplicar cosméticos internamente, pois tudo isso enfraquece a microbiota vaginal e pode causar infecção por bactérias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading…

0

Comentários

dor de dente

Dor de dente: conheça as causas e o que fazer para passar

causas câncer na vagina

Câncer na vagina: conheça os sintomas e tratamentos