em

5 Mitos e verdades sobre a saúde do intestino

Esclareça suas dúvidas e cuide melhor da sua saúde para viver mais

saúde do intestino
Crédito: Freepik

A sabedoria popular é sempre bem vinda, porém deve sempre ter aquela análise mais baseada em fatos científicos. Algumas coisas sobre a saúde do intestino simplesmente não fazem sentido serem ditas. Outras são explicadas de forma brilhantemente simples, mesmo conceitos mais complexos. Dessa forma, os mitos e verdades se propagam, mas são discutidos.

E como diferenciar o que é fato do que é só superstição? Simples, é só entender como funciona o corpo e pensar sobre ele. E isso é o que você vai ler a seguir, com verdades e mitos sobre o intestino. Acompanhe!

Mitos e verdades sobre a saúde do intestino

Saiba que a saúde do seu intestino está totalmente relacionada à do seu corpo, envolvendo fatores como a beleza da sua pele ou sua imunidade. Não acredita? Então veja a explicação de cada um dos fatos sobre o intestino.

1. Intestino influencia na sua pele

Verdade. De acordo com a Revista Planeta, “um dos primeiros sinais de que nosso intestino está carregado de impurezas é o aparecimento de cravos, espinhas, furúnculos e outras inflamações na pele”. Segundo o artigo, ao tentar reduzir a inflamação da pele com pomadas, acaba-se aumentando a quantidade de toxinas dentro do corpo. Isso leva a uma base para o surgimento de outros problemas.

Problemas no intestino podem levar também ao surgimento de aftas, feridas na pele que têm formato semelhante a um vulcão (pioderma gangrenoso) e de nódulos dolorosos na pele.

2. Prisão de ventre é uma doença

Mito. A prisão de ventre não é uma doença, e sim um sintoma de que algo não está funcionando. É como se você dissesse que o vômito é uma doença. Na realidade, a constipação intestinal é um problema até comum.

As causas da constipação podem ser a alimentação inadequada, falta de ingestão de líquidos, hábitos e respeito ao ciclo do organismo. Algumas doenças também podem causar esse sintoma, como a diverticulose, hemorroidas, fissuras anais e câncer colorretal.

3. Existem 100 trilhões de bactérias no seu intestino

Verdade. De acordo com a Associação Catarinense de Medicina (ACM), o intestino conta com um “microbiota de aproximadamente 100 trilhões de bactérias; destas, cerca de 500 espécies diferentes se localizam no intestino grosso”. Dá para imaginar? Pois saiba que seu corpo tem mais bactérias do que células! São “somente” 10 trilhões de células, para 100 trilhões de bactérias (só no intestino).

Mas não se preocupe, pois a flora intestinal é fundamental para a manutenção da sua saúde, sendo a grande parte delas benéfica para você, como explica a associação: “apesar de a maioria dos componentes da microbiota normal ser inofensiva a indivíduos sadios e constituir um dos mecanismos de defesa contra enfermidades, esta constitui ainda um reservatório de bactérias potencialmente patogênicas”.

Veja também: qual a diferença entre probióticos e prebióticos

4. O intestino tem neurônios

Verdade. Outro dado que muita gente acha que é mentira, mas não imagina a importância desses neurônios para a saúde. O intestino, de acordo como Núcleo de Divulgação Científica da USP, “agrega a maior coleção de neurônios fora do cérebro. São eles os responsáveis pelas funções autônomas do sistema digestivo. Os responsáveis por essa comunicação são grupos de neurônios do sistema nervoso simpático, famoso por desencadear respostas a situações de estresse, como a reação de ficar ou fugir”.

Por isso o intestino costuma ser chamado de segundo cérebro e costuma travar ou soltar de vez em situações de estresse. Ele faz parte do processamento das emoções e das respostas imunes em diversas situações. E agora, vale a penas comer aqueles alimentos ricos em fibras e cuidar da saúde do intestino, certo?

5. Intestino sujo faz engordar

Verdade. O intestino, quando não está saudável e com a microbiota rica em bactérias do bem, pode causar muitos problemas. Se ele tem uma maior quantidade de bactérias Firmicutes (não boas) do que Bacteroides (boas), há maiores chances da pessoa ser obesa. Isso porque as Firmicutes são mais hábeis em quebrar polissacarídeos não-digeríveis, armazenando-os ao invés de eliminar nas fezes.

De acordo com o Instituto de Microbiologia da UFRJ, pessoas obesas apresentam uma maior quantidade de Firmicutes do que as não-obesas. Segundo seu artigo, “estudos com camundongos colonizados com uma microbiota de obeso apresentaram não somente um aumento da gordura corporal total, mas também passavam a apresentar resistência à insulina”.

Que tal cuidar melhor a partir de agora dessa parte fundamental do seu corpo? Busque uma alimentação rica em fibras e beba ao menos 1,5 litros de água todos os dias. Além disso, pratique atividade física para estimular a musculatura intestinal. Também é fundamental ir ao banheiro na hora que der vontade, buscando evitar alimentos hiperprocessados. Garanta mais saúde cuidando da saúde intestinal!

receita de vaca atolada

Receita de vaca atolada: 8 opções para um almoço completo

cheesecake de limão

8 Receitas de cheesecake de limão para uma sobremesa refrescante