em

Perda de memória: Por que ela acontece e como tratar?

Não consegue se lembrar do nome das pessoas ou do que foi fazer no quarto? Veja o que afeta sua memória e como tratar.

perda de memória
Designed by Freepik

A perda de memória pode acontecer em pessoas jovens ou mais velhas, pois suas causas são bastante variadas.

Pode ocorrer de repente e logo passar, como em uma situação de estresse, mas também pode ser duradoura. Nesse caso, necessita de uma visita ao médico para investigar a causa.

Veja a seguir quais são as causas mais comuns da perda de memória, os tratamentos, além de dicas sobre alimentos e remédio natural para fortalecer a memória.

Principais causas e como tratar a perda de memória

Na maior parte das vezes a perda de memória é passageira e reversível. Em alguns casos, como das doenças degenerativas, existem tratamentos que ajudam a melhorar os sintomas, mantendo a capacidade de memória pelo maior tempo possível, mesmo não havendo cura. Veja:

Ansiedade

Quando uma pessoa sofre com a ansiedade, tanto a memória quanto outras funções cerebrais acabam sendo afetadas.

O excesso de pensamentos no passado, presente e futuro ao mesmo tempo acabam gerando pequenos lapsos, que são os episódios de esquecimento, mesmo sobre coisas simples do dia a dia ou informações que não costuma-se esquecer, como o nome de objetos e pessoas próximas.

A maneira de tratar não é só para a perda de memória, mas sim, para a ansiedade de modo geral. Ao consultar o médico, conforme o caso, ele irá prescrever medicação, além de atividades que estimulem a normalização da memória, como meditação, psicoterapia e exercícios físicos.

Depressão

Outra doença que pode levar a episódios de perda de memória é a depressão, pois afeta o funcionamento dos neurotransmissores do cérebro.

Estudos apontam que quando o cortisol é liberado em excesso no sangue (hormônio do estresse), ele pode gerar uma redução do hipocampo, que é a parte do cérebro onde ficam nossas memórias.

No caso diagnosticado de depressão o tratamento médico pode ajudar a manter a memória funcionando normalmente, reunindo os efeitos da medicação e de atividades estimulantes para a memória.

Falta de atenção

Quando falamos em falta de atenção, não necessariamente está ligada a uma patologia, como o déficit de atenção. É simplesmente a distração que não permite ao cérebro gravar uma informação ou acontecimentos recentes.

A falta de atenção pode estar relacionada a doenças ou não, e por isso é recomendado consultar um médico caso os episódios de esquecimento estejam ocorrendo com frequência.

Se não for o caso de doença, existem muitas atividades interessantes para estimular a atenção e a memória, que é possível fazer por conta própria ao longo do dia, como a leitura, jogos de memória e exercícios para forçar a lembrança de informações.

Carência de vitamina B12

A vitamina B12 é muito importante para o funcionamento do sistema nervoso, além de atuar na formação dos glóbulos vermelhos do sangue e na produção do DNA. Os efeitos da carência dessa vitamina vão desde a fraqueza muscular à fraqueza da memória.

Em exames de sangue o médico poderá detectar a carência dessa vitamina e a razão da sua causa, que nem sempre é por não comer alimentos que a contenham, mas sim, por dificuldade de absorção.

O médico poderá prescrever sua reposição por meio de suplemento alimentar e de uma alimentação que contenha boas doses desse nutriente ou outro tratamento conforme a causa diagnosticada.

Falta de qualidade do sono

Uma boa noite de sono é essencial para que todo o organismo descanse e se regenere do desgaste diário. Por isso, pessoas que não dormem bem ou o suficiente acabam sofrendo os efeitos colaterais, o que inclui episódios de perda de memória.

As causas de noites mal dormidas variam, podendo ser desde o estresse do dia a dia, passando por problemas respiratórios, como a apneia ou até os maus hábitos praticados antes de dormir, como comer demais e ir para a cama.

Se você percebe que dorme mal, acorda muito cansado e sua memória pode não estar funcionando bem por causa disso, procure a causa da dificuldade em dormir bem. Se não conseguir identificar e solucionar por conta própria, procure seu médico.

Drogas e remédios

As substâncias que entram no nosso organismo e provocam efeito psicoativo (alteram as funções cerebrais), pode causar problemas de memória.

Se você faz uso de drogas ou tratamento com remédio fortes, isso pode estar ligado à falta de memória nas atividades do dia a dia. Se puder abandonar a substância por conta própria e mudar os hábitos de vida que prejudicam a saúde, é uma ótima ideia.

Mas se for o caso de usar medicação controlada, converse com seu médico sobre o efeito colateral na memória para que ele possa trazer uma solução.

Confusão mental

Episódios de confusão mental estão ligados a dificuldade em utilizar a memória de forma normal. Essa confusão pode acontecer por diversas causas, como doença de Alzheimer, efeito pós-cirúrgico ou mesmo um acidente em que houve um impacto na cabeça.

É comum que junto da falta de memória a pessoa passe por situações em que não sabe onde está ou não sabe o que foi fazer em um lugar que acabou de chegar. É fundamental consultar um médico para que a causa da confusão mental seja diagnosticada e tratada.

Alimentos bons para a memória

Os alimentos que comemos são a fonte de nutrientes que alimentam todos os sistemas e órgãos do corpo. Por isso, muitos deles atuam diretamente na função da memória e também em outras funções que estão ligadas à ela.

Alimentos ricos em vitamina E, vitamina B, selênio e ômega-3, por exemplo, são muito importantes para as funções do cérebro, incluindo a memória. Entre os alimentos ricos nestes nutrientes estão:

  • Salmão, ovos, abacate, coco e oleaginosas: incluir na alimentação esses alimentos ricos em ômega-3, vai acelerar as respostas do cérebro e ajuda a se concentrar em novos aprendizados;
  • Chá verde: o chá verde deixa o cérebro em alerta e atenção, sem a agitação causada pelo café;
  • Chocolate meio-amargo: um quadradinho por dia ajuda a oxigenar o cérebro ao mesmo tempo em que ajuda a relaxar;
  • Tomate: salada de tomate cru, especialmente com semente de girassol, reúne os benefícios da vitamina C, E e magnésio aliviam o estresse;
  • Levedura de cerveja: a levedura pode ser adicionada a sucos naturais para melhorar a função dos neurotransmissores que enviam informação para a memória;
  • Vegetais verde-escuros: eles contêm sulforafano, que é um antioxidante que previne a morte precoce das células de todo o corpo, inclusive cerebrais.

Estes são apenas alguns exemplos de alimentos fundamentais para o cérebro – e a memória -, mas basicamente uma alimentação saudável e balanceada é necessária para que todo o organismo trabalhe em harmonia e funcione com saúde.

Então, a melhor recomendação é consultar um nutricionista para elaborar uma dieta com base nas necessidades do seu organismo.

Remédio natural para melhorar a memória

Embora nenhum remédio natural substitua a consulta ao médico, existem substâncias que podem contribuir com o resultado do tratamento médico, além dos alimentos já citados acima. Uma boa dica é tomar chá de alecrim que atua como ativador da memória.

Dica: Exercícios para evitar a perda de memória

Além da alimentação variada e balanceada, das boas noites de sono, dos exercícios físicos e do chá de alecrim, você pode praticar atividades cognitivas que ajudam a fortalecer sua memória. Confira as dicas no vídeo abaixo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading…

0

Comentários

como organizar a limpeza da casa

Como organizar a limpeza da casa? Confira o guia completo

ômega-3

Ômega-3: veja os benefícios e como consumir a substância