em

Mudar de carreira aos 50 anos mesmo “estando velha demais”?

Foi o que a executiva Patrícia Braga decidiu fazer para superar o baque de perder o emprego aos 49 anos

mudar de carreira aos 50 anos
Crédito: Freepik

O destino às vezes traz algumas mudanças repentinas na vida das pessoas. Por vezes, essas mudanças podem parecer más, mas acabam por ser algo bom. Mudar de carreira aos 50 anos pode parecer loucura, mas foi isso que uma carioca fez. Ela acabou por transformar a sua vida e agora se sente feliz e realizada.

É loucura mudar de carreira aos 50 anos?

Patricia Braga, uma carioca nascida em Petrópolis, teve uma grande mudança em sua vida depois de ser demitida, prestes a fazer 50 anos. Na época ela trabalhava como Office Manager de uma multinacional.

A sua formação conta com uma faculdade de letras completa, além de falar 3 idiomas. Após ser demitida, passou por muitas entrevistas, mas acabou por não conseguir voltar.

Ela conta que descobriu “que estava velha demais para o mercado de trabalho, aliás, para qualquer vaga. Levei um susto, fiquei deprimida”.

mudar de carreira aos 50 anos carioca
Crédito: Mariza Tavares

Patricia sofreu de síndrome de burnout. Esse termo é a forma que chamam o esgotamento físico e mental por conta do estresse.

Depois da demissão, ela decidiu então abrir a mente para novas possibilidades de trabalho. Sobre a sua busca, ela conta:

“Experimentei Uber, fiz aulas de artesanato, fui promotora de eventos, trabalhei como voluntária em ações de empreendedorismo feminino e comecei a estudar o assunto”.

Como lidar com a frustação e permitir-se ser mais feliz

Ela ainda completa com a seguinte frase: “descobri que adorava lidar com gente e, embora ainda não tivesse consciência plena do que acontecia, estava ressignificando minha vida, procurando o lugar onde poderia me encaixar”.

O ponto da virada na vida de Patrícia

mudar de carreira aos 50 anos patricia
Crédito: Acervo pessoal

Finalmente, em 2018, ela teve uma ideia para um negócio próprio. Em parceria com Márcia Amaro, sua sócia, ela equipou uma bicicleta para que pudesse vender artesanato, pães de mel e alfajores,  que ela mesma produzia.

Depois de ideia se tornar uma realidade, faltou a coragem para ir à luta na rua. Mesmo assim, no início do mês de abril do mesmo ano, ela decidiu levar a Penélope (sua bicicleta), em um passeio juntamente com seu marido, filha e cachorro.

As melhores atitudes para ser feliz

O negócio fez tanto sucesso que, as Criações da Pat, como nomearam o empreendimento, começaram a receber até encomendas online.

Patrícia conta que já recebeu convites para voltar aos empregos corporativos. Porém ela só voltaria caso fosse uma atividade que realmente lhe fosse prazerosa. A prova viva de que é possível e pode sim valer a pena mudar de carreira aos 50 anos.

Ela diz: “Hoje eu acordo na segunda-feira cheia de disposição. Também quero ajudar os outros que estão se sentindo perdidos, porque recebi muita ajuda e gostaria de retribuir. […] Quero mostrar como é importante quebrar paradigmas, passar a ver as coisas sob uma nova perspectiva”.

laqueadura em mulher grávida

Hospital de SP é multado por realizar laqueadura em mulher grávida

USP anuncia tratamento inédito para controlar a dor da fibromialgia