Mãe descobre que filha era abusada sexualmente assistindo Encontro com Fátima Bernardes
Crédito: Freepik
em

Mãe descobre que filha era abusada sexualmente assistindo Encontro com Fátima Bernardes

Conheça a história dessa família salva graças à informação e saiba como reconhecer os sinais de abuso sexual

A Childhood é uma instituição que visa proteger crianças do abuso sexual e de acordo com seu último relatório, ainda há muito trabalho pela frente. A cada hora, quatro crianças ou adolescentes sofrem abuso no país, sendo que mais da metade tem menos de 5 anos de idade. E o pior, somente sete a cada 100 casos são denunciados.

Encontro com Fátima Bernardes abuso
Crédito: Childhood.org

E foi exatamente a denúncia que salvou a vida de Eva Luana, uma mulher guerreira, que sofreu abuso físico, psicológico e sexual do seu padrasto. Sua mãe e irmã (filha do padrasto), também sofriam muito e nenhuma delas tinha coragem de denunciar. Viviam em total estado de terror e controle, sendo que Eva já viu sua mãe desmaiar de dor diversas vezes na sua frente.

Mas ela conseguiu, em meio ao medo, dor, vergonha e caos, salvar a ela e sua família, dando porém mais um passo. Calada por anos a fio, ela decidiu abrir a boca e falar sobre o terror que vivia, encorajando outras meninas e mulheres a denunciarem também.

Mãe descobre abuso ao assistir programa

Foi um programa como esse, falando sobre o abuso sexual e seus sinais, que essa mãe conseguiu descobrir que isso se passava em sua própria casa. Mãe de três filhos, com toda a rotina que já se conhece, ela tinha percebido algumas mudanças na filha do meio, mas acreditou ser coisa da adolescência. Até assistir ao Encontro com Fátima Bernardes, o que salvou a vida da menina.

Agradecida, ela escreveu um comentário para o programa, falando sobre o que aconteceu e a importância de se falar sobre esse incômodo e delicado tema. Depois de ouvir de sua menina o que estava acontecendo, ela brigou contra o mundo, para poder provar. Em suas palavras, “Foram dois anos, dois meses e 18 dias para conseguir provar na Justiça e colocar o marido da minha irmã na prisão”.

Porém, o sofrimento levou muito mais tempo, já que sua filha tinha medo de falar sobre isso. Ao todo, desde o início do abuso até a prisão do criminoso que o fazia, foram quatro anos e 10 meses. Foi uma luta difícil, em que elas lutaram sozinhas contra tudo e todos, como geralmente acontece quando o abusador está dentro da família. Veja o depoimento em vídeo:

Sinais de abuso sexual infantil

Mulheres também sofrem abuso sexual, mas não somente elas. As crianças são também muito vulneráveis, pois geralmente o abusador tem algum poder sobre ela. Tendo uma figura de autoridade, acaba usando seu poder para calar a criança. Ameaça a ela, os familiares, diz que será culpada e menos amada. Destrói a auto-confiança, amor-próprio e até a vontade de viver. Veja então quais são os sinais, para dar voz a quem se sente invisível.

Mudança de comportamento brusca

É comum que ocorram mudanças bruscas de comportamento. O isolamento é um deles, pois a criança se sente estranha, diferente. Ela passa a ficar muito desconfiada e assustada, não confiando em ninguém, nem mesmo a mãe ou uma professora.

Outras mudanças incluem pesadelos à noite e dificuldade para dormir, por medo do abusador aparecer. Os banhos ficam menos frequentes e a criança pode não querer se arrumar mais. Pode passar a comer demais ou menos que o necessário, apresentando regressão no comportamento.

Baixa no rendimento escolar

Quem tinha um bom rendimento escolar e passa a receber reclamações, deixar de fazer tarefas e ter notas mais baixas, pode estar sofrendo abuso. É importante – ao invés de brigar – procurar entender o que está acontecendo para aquele resultado.

Pode ser um professor novo, alguma matéria mais complexa, problemas na escola, doenças ou até mesmo o abuso sexual. Então, antes de tomar medidas drásticas, como um castigo, procure conversar, acolher e buscar uma solução conjunta com a criança.

Brincadeiras diferentes

As brincadeiras podem falar muito sobre os sentimentos e vivências das crianças. Não é à toa que é uma ferramenta amplamente utilizada por psicólogos. Então, deve-se estar atento se a criança passar a fazer algum desenho de órgãos genitais, de forma não condizente com o conhecimento para a sua idade.

Também nos relacionamentos com os coleguinhas, pode-se observar uma sexualização maior do que o equivalente à idade, com comentários e brincadeiras impertinentes. Além disso, pode tentar tocar os colegas exageradamente e repetir o que acontece em casa, com eles.

Medo de um gênero específico

A criança pode apresentar o comportamento de medo, quando um homem ou mulher chega perto, a depender do gênero do abusador. Ficar calada do nada, abaixar o olhar, cruzar braços e pernas ou até mesmo sair de perto são sinais dessa mudança.

Além disso, se recusa a estar no mesmo ambiente, procurando se isolar sempre que possível, afastando-se da figura que lhe causa medo. Isso acontece principalmente em crianças muito pequenas, sendo um forte sinal.

Hematomas e doenças

Não é normal que crianças tenham hematomas na área genital. São raros os casos onde uma queda deixe a região dolorida ou machucada. Feridas e inchaço também são indicativos de abuso, pois o corpo ainda não está pronto para isso, causando muito sofrimento para ela.

Outro forte sinal é a presença de doenças venéreas ou irritação constante no local. Coceira e corrimento com cheiro forte devem ser indicativos de uma visita ao ginecologista ou urologista o mais urgente possível. Também a infecção urinária constante pode ser um sinal de alerta.

O que fazer

O primeiro passo é chamar a criança e conversar, fora de casa, em um ambiente descontraído. Ela deve confiar em você, mas se achar que ela não irá, peça para uma tia de confiança, ou até mesmo a professora, que chame e converse.

Se ela não se abrir, pode procurar a ajuda de um psicólogo especializado, para que ele dê a ela a segurança necessária para se abrir. Se você estiver desconfiando de alguém e a criança não falar de forma alguma, tente descobrir por si. Busque apoio da polícia para ver quais são os meios possíveis.

A criança contou? A primeira coisa a fazer é ir até a delegacia e denunciar, se afastando completamente do abusador, mesmo que seja alguém querido ou até mesmo o pai. Será uma luta que valerá a pena, salvando o coração e a alma, já machucada, da sua criança.

É criança ou adulto precisando de socorro agora? Disque 100 no seu celular. É de graça e vão te orientar como agir. Lembre-se: não denunciar só faz com que o agressor piore a cada dia. A denúncia irá salvar a criança e, quem sabe, outras pessoas a quem ele está fazendo mal. Vizinhos, amigos e parentes também podem denunciar.

como plantar tomate-cereja

Como plantar tomate-cereja em vaso passo a passo

quando pólipo colorretal pode ser câncer

Pólipo colorretal pode ser câncer? Conheça os riscos