em

Amor-próprio: aprenda como aumentar a autoestima

Veja o que é o amor-próprio, quais são os sinais da sua falta e dicas para aumentar a autoestima
amor-próprio
Crédito: Unsplash

O que você vê quando olha no espelho? O que diz para você, mesmo sem palavras. O amor-próprio não está relacionado às selfies nas redes sociais, nem aos sorrisos que se distribui ao longo do dia. Ele não se reflete em frases prontas ditas em voz alta, mas sim naquela vozinha bem baixa, que as vezes é mais assustadora do que muitos gritos.

“Você mereceu”, “bem feito, quem mandou”, “essa roupa fica horrível em mim”, “sou muito alta/baixa/magra/gorda”. Por que é tão difícil se amar por completo? Não que você deva aceitar tudo e nunca mudar – pelo contrário – a mudança faz parte da dinâmica da vida.

Que tal começar a olhar com mais amorosidade para si, ao invés de buscar defeitos e criticar o que está no espelho e na alma. Amor-próprio é se reconhecer em constante construção, com erros e acertos. É valorizar cada conquista, por menor que seja, e buscar formas de melhorar o que ainda não está como você espera.

Ter amor-próprio é estimar a si como o faria com outro alguém próximo e querido. A autoestima elevada é fundamental para o desenvolvimento pessoal e a felicidade, e quer saber um segredo? Depende somente de você.

5 Dicas para aumentar amor-próprio

1. Somos fruto do meio

Lembre-se: o que você é hoje foi construído com seus acertos e erros, bem como daqueles que te cercaram ao longo da caminhada. A forma como você vê as falhas pode influenciar na forma como se vê.

Por exemplo, se seus pais eram extremamente críticos, você pode imaginar ser incapaz para algumas coisas. Porém, pense que eles também estavam aprendendo e certamente erraram algumas vezes, criando esse conceito para você.

Se ao longo da infância alguns atributos vistos como negativos foram reforçados pelos outros, há chances de você carregar algum estigma relacionado, refletindo-se nas suas ações do presente. Ter consciência de que o “eu” é fruto das experiências pode te fazer perceber que o que você pensa e sente sobre si foi uma construção.

Sabendo disso, você pode tomar a decisão de assumir as rédeas da situação, analisando e eliminando o que é conceito de outros e o que você realmente é.

Resumindo: você é fruto do meio, mas tem a escolha de assumir as mudanças que quer realizar e agradecer a si mesma, pelas suas qualidades. Sempre de acordo com sua percepção, e não a que criaram para você.

Tome as rédeas dos seus sentimentos e pensamentos!

2. Não se julgue pela ótica do outro

amor-próprio não se julgue
Crédito: Unsplash

Você se arruma para sair, imaginando o que vão pensar da sua roupa ou maquiagem (ou falta dela), já criando diversos rótulos? E quando vai interagir com as pessoas, você fica para baixo se não respondem da forma esperada, se achando estranha ou desinteressante?

Se sim, você precisa rever sua forma de se avaliar. Será que a opinião dos outros é assim tão importante? Lembre-se que houve tempo em que o sexy era ser gordinha, como aquelas lindas pinturas barrocas. Houve tempo também onde alguns loucos acreditavam em raça pura ou que mulheres não pensavam.

Não se julgue pela ótica do outro, pois:

  • Ninguém te conhece tão bem quanto você;
  • Somente a você cabe a avaliação do que é ou não bom para si;
  • O outro tem suas próprias lentes de percepção social, ou seja, vê a vida de acordo com seus estigmas e (pré) conceitos;
  • Você é a única pessoa que pode promover qualquer mudança em si, não cabendo aos outros esse papel.

3. Perdoe os erros do passado

Você é o reflexo da perfeição na terra? Felizmente não, certo? Assim também são os outros.

Perdoar tira um peso imenso da sua mente, liberando espaço para coisas melhores e mais saudáveis. Perdoe os que te humilharam, maltrataram e até aqueles que tentaram te fazer bem, porém da forma errada.

Perdoe a si, pelas vezes em que pensou que não podia e deixou aquela oportunidade passar. Se perdoe pelo mal que fez ao outro e à si mesma. Perdoe, sacuda a poeira e fique apenas com a lição do que passou.

Ninguém acerta todas (para o bem da verdade, ninguém acerta muitas). Não exija de você ou dos outros a punição eterna, isso não resolve nada. Perdoe e continue a andar.

4. Esqueça a perfeição

amor-prórpio esqueça a perfeição
Crédito: Unsplash

Somos todos humanos em evolução, então não espere perfeição dos outros e nem de você. Se você ainda não chegou onde deseja, comemore os passos que já foram dados. Aliás, você sabe onde quer chegar, não sabe?

Se não, faça o seguinte:

  1. Em um momento de calma e silêncio (se possível), pegue papel e caneta;
  2. Sente-se em um local confortável, feche os olhos e respire fundo, devagar;
  3. Veja você como a pessoa perfeita. Como está sua vida? O que está fazendo? Quais são as pessoas que te cercam?
  4. Faça essas e outras perguntas e anote em um papel as principais características dessa pessoa perfeita;
  5. Compare essa versão com o você de hoje e perceba o que está faltando;
  6. Faça uma nova lista com esses pontos a alcançar e crie uma estratégia de reconstrução;
  7. Para cada ponto, um objetivo;
  8. Cada objetivo vai ser dividido em pequenos passos para alcançar, que você pode chamar de metas. Elas têm que ser curtinhas e ter um prazo definido;
  9. Escolha uma e foque para realizá-la.

A sua versão de pessoa perfeita é só um modelo e não um padrão, aceite cada conquista e se perdoe pelas falhas no caminho.

É melhor feito do que perfeito! Vá e faça, mude, ouse. Teste novas coisas e, se falhar, levante e comece novamente. Isso se chama crescimento.

5. Agradeça sempre

Agradeça pelo aprendizado, depois de uma queda. Por uma conquista, um sorriso, uma flor. Seja grata pelas pequenas belezas que encontra pelo seu dia, como o canto do pássaro no meio do trânsito conturbado.

Agradeça por estar aqui, com inúmeras possibilidades de mudança e crescimento.

Como ter amor-próprio nos relacionamentos

amor proprio nos relacionamentos
Crédito: Unsplash

Se valorize, acima de tudo. Você não deve aceitar qualquer coisa por amor. Se respeite, assim como faz com os outros. Você deve buscar sempre uma melhor conduta, consigo e com quem você tem contato.

Proteja-se, física e emocionalmente. Não entregue a sua felicidade nas mãos de ninguém, construa-a e compartilhe-a amorosamente. Não permita que te limitem, quem ama de verdade quer que o outro seja feliz e que cresça.

Mude, se onde você estiver não houver mais a possibilidade de compartilhar, crescer e amar.

Sinais de falta de amor-próprio

1. Sentimento de culpa

Se você está sempre se sentindo com culpa em relação a tudo o que acontece, isso pode ser sinal de falta de amor-próprio. Lembre-se que você vive em um meio com diversas outras pessoas, tão maravilhosamente imperfeitas quanto você.

Esqueça a culpa e pense sempre em soluções!

2. Autocrítica venenosa

Se avaliar para buscar os erros e acertos é mais que necessário, mas e se essa análise vier carregada de crenças limitantes e negativas?

A autocrítica carregada de uma carga emocional negativa é um forte sinal de que seu amor-próprio pode estar precisando ser trabalhado.

3. Necessidade constante de auto-afirmação

amor-proprio auto-afirmação
Crédito: Unsplash

Conhece alguém que conta vantagem o tempo todo? Não se está falando de compartilhar vitórias de vez em quando, isso é mais do que saudável. O grande ponto aqui é o excesso de ego nas histórias, como se precisasse provar o tempo todo o seu valor.

Esse é um forte indício de que a pessoa precisa fazer isso para tentar se sentir bem consigo mesma, dada a falta de amor-próprio.

4. Nunca diz não

Você tem medo da rejeição caso diga não? Aceita tudo, mesmo que não possa ou não queira fazer? Isso pode ser falta de amor-próprio. Lembre-se sempre que você não precisa agradar o mundo. E mesmo que tente, ninguém nunca vai conseguir esse feito.

Aprenda a dizer não e a deixar de ser “boazinha” sempre, seja forte e ame, a si a aos outros, igualmente.

5. Falta de confiança – em si e nos outros

Quantas oportunidades você já perdeu por não acreditar que conseguiria? Essa falta de confiança em si é um dos indícios de que seu amor-próprio está precisando ser trabalhado.

E quanto aos outros, você confia neles? O ciume excessivo, bem como a desconfiança de tudo e todos pode ser um sinal de falta de amor-próprio.

Então, se você conseguiu identificar alguns destes pontos, vale a pena começar a pesquisar sobre o tema e buscar desenvolver uma estratégia para mudar sua realidade. Você pode fazer isso com a ajuda de um psicólogo ou até mesmo com base em leituras e discussões, vai depender do seu perfil e da necessidade do momento.

De qualquer forma, procure um especialista para ao menos conversar sobre o tema e esclarecer as ideias.

Se perdoe, se ame e agradeça, sempre.

Veja também como se livrar dos pensamentos negativos e viver melhor!

 

Redigido por Angela Oliveira

Mãe de três, esposa em treinamento há mais de duas décadas, nerd assumida e karateca por paixão. Ama escrever e procura sempre as melhores informações para compartilhar e deixar seu dia a dia mais leve, simples e gostoso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Loading…

0
Comentários

comentários

sorvete faz mal
Sorvete faz mal à saúde: mito ou realidade?
a falta de amor é a maior de todas as pobrezas
A falta de amor é a maior de todas as pobrezas