em

Benefícios e como consumir laranja

Essa fruta tão popular tem propriedades medicinais que talvez você não conheça. Veja no que ela pode ser útil
sobre laranja
Crédito: Pixabay

Entre as frutas mais populares do Brasil está a suculenta laranja. Dessa fruta faz-se um suco simples, saboroso, nutritivo e que serve de base para várias outras receitas. De origem asiática, com registros de consumo de 4 mil anos atrás, seu nome científico é Citrus sinensis e ela chegou ao Brasil no século 16, durante a colonização portuguesa.

Esse nome é genérico e representa diversas variedades entre as espécies cítricas, que são as frutas ácidas. Suas características são de uma fruta composta por gomos de suco protegidos por uma casca rija, onde estão as propriedades responsáveis por dar o aroma e a cor. É rica em vitaminas e minerais, com ácidos, açúcares, pectinas, pigmentos.

Conheça a seguir quais são seus benefícios, propriedades nutricionais, tipos mais comuns e formas de consumo.

Benefícios para a saúde

benefícios laranja para saúde
Crédito: Pxhere

De modo geral, os benefícios dessa fruta compreendem todas as suas diversas espécies. O mais conhecido deles é o poder a vitamina C, mas está longe de ser o único. Veja tudo o que a laranja oferece de bom ao organismo.

1. Propriedade fungicida

Além do famoso suco, a partir dessa fruta também são feitos óleos essenciais. Mais especificamente da casca, que passa por um processo de extração do óleo feito em laboratório, obtendo-se uma substância pura e concentrada.

Nesses óleos estão propriedades que agem como fungicida, podendo ser bons aliados no tratamento de problemas causados por fungos. Resultados de uma pesquisa realizada na Espanha apresentam efeito positivo nesse sentido, mas, mesmo assim, o tratamento deve ser feito com orientação médica para ter uma ação segura.

2. Ação positiva para diabéticos

Para pessoas diabéticas, há estudos ainda em desenvolvimento realizados na Índia que apontam o extrato da casca e o pó obtido das sementes trituradas como bons aliados na melhora dos perfis glicêmicos e no equilíbrio do índice da hemoglobina glicosada, que quando não está funcionando corretamente, aumenta os níveis de açúcar no sangue.

Há ainda um outro efeito positivo do extrato da casca da laranja para diabéticos. Em um estudo realizado na Nigéria, observou-se que esse extrato teve a capacidade de inibir a atividade de amilase e glicosidase, que são enzimas que quebram os açúcares, facilitando sua absorção. Como os diabéticos não querem aumentar essa absorção, esse poder de inibição é positivo.

3. Ação antioxidante

A ação antioxidante é oferecida ao organismo por todos os vegetais. No caso dessa fruta, ocorre quando as vitaminas são metabolizadas. Uma de suas funções é agir como antioxidante, impedindo que o excesso de radicais livres oxidem as células do corpo.

Ao proteger as células, evita-se que elas envelheçam precocemente e desenvolvam doenças degenerativas, piores casos de doenças crônicas, processos inflamatórios e o surgimento de câncer. Claro que apenas tomar suco da fruta não vai impedir que todos esses males aconteçam, mas dentro de um estilo de vida saudável, vai contribuir para uma boa saúde.

4. Tratamento de hipertireoidismo

Quando a glândula tireoide está produzindo hormônios demais, chama-se de hipertireoidismo. Usando a casca dessa fruta em quantidade equilibrada, recomendada pelo médico, pode-se obter um efeito de controle na atividade dessa produção excessiva.

É importante que o médico esteja a par do uso desse tratamento, pois também é necessário seguir outras orientações para obter o efeito desejado de forma segura.

5. Tratamento de colite

A colite é uma inflamação intestinal que causa feridas no intestino. Existe, na medicina popular indiana, uma receita feita com a raiz da planta moringa e a casca de laranja que apresenta resultados positivos no tratamento da doença. Mas é recomendado que esse tratamento só seja feito com acompanhamento médico, pois ainda considera-se apenas parte da medicina popular.

6. Controle da pressão alta

Também no tratamento da hipertensão, sua casca tem uma propriedade capaz de inibir a angiotensina, que é uma substância que contrai vasos sanguíneos e artérias, aumentando a pressão. Ao inibir essa substância, os vasos ficam mais relaxados, permitindo que o sangue passe com mais facilidade, sem que haja o aumento da pressão por esse motivo.

7. Efeito sedativo

O efeito que facilita o sono está nas flores da laranjeira. A forma de uso nesse caso é em chá das flores. Ele pode ser usado para casos leves de dificuldade para dormir, como quando está muito estressado. Deve-se ter o cuidado de saber se o seu organismo não é propenso a qualquer reação alérgica às flores da laranjeira antes de tomar.

Propriedades nutricionais

propriedades nutricionais laranja
Crédito: Pxhere

Além de todos os benefícios mais específicos da fruta, ele é boa para organismo de modo geral, pois é rica em nutrientes essenciais para a manutenção dos sistemas e órgãos. Confira o que está consumindo ao ingerir 100 gramas da polpa da laranja-da-baía:

  • Valor energético: 45 kcal;
  • Carboidratos: 11,5 gramas;
  • Proteínas: 1,0 grama;
  • Fibras: 1,1 grama;
  • Cálcio: 35 mg;
  • Magnésio: 9 mg;
  • Potássio: 174 mg.

Laranja engorda ou emagrece?

Quando consumido na sua forma natural, ou seja, espremido da fruta na hora de consumir e sem adição de açúcares artificiais, o suco é saudável. Logo, comer a fruta pura também é benéfico, pois está ingerindo todas as suas propriedades nutricionais que acabou de ver acima.

Então, pode-se dizer que ela é uma boa fruta para fazer parte de dietas de emagrecimento. Seu nutricionista pode recomendar que prefira ingerir a fruta inteira, pois na forma de suco a ingestão de açúcar natural da fruta é maior.

Em um copo de suco com 240 mililitros tem em média 110 calorias. Logo, não é a melhor opção para uma dieta de emagrecimento, embora seja saudável. A questão é a quantidade que você ingere, o formato (suco ou inteira) e as combinações que faz com outros ingredientes.

Tipos de laranja

tipos de laranja
Crédito: Pixabay

Considerando o mundo todo, há mais 100 espécies cultivadas. A lista é longa e as características que as separam são pequenas para quem apenas consome e não é especialista no assunto. No Brasil, a produção também é muito grande e há variedades mais consumidas. O ideal é dar prioridade a elas, pois assim vai estar consumindo uma fruta que não foi importada, ou seja, se comprar na época da colheita, vai estar mais fresca e ter melhor qualidade.

  • Laranja-da-baía: também conhecida por laranja-umbigo, seu sabor é adocicado, a casca tem cor amarela bem viva, é bastante suculenta e pouco ácida;
  • Da terra: outros nomes comuns para essa variedade são laranja-bigarada, laranja-cavalo e laranja-azeda. Ela tem cor amarelo avermelhado, polpa suculenta e é mais ácida;
  • Laranja-lima: esse é o tipo que se oferece aos bebês, pois é a menos ácida. Sua casca é fina e em um tom de amarelo-claro, com sabor doce, suave e bastante suco;
  • Seleta: essa também é uma fruta pouco ácida, doce, suculenta e a casca é amarelo-claro;
  • Pera: com uma casca fina e lisa, o tamanho dessa fruta é menor do que as demais. Sua polpa é suculenta, adocicada e de cor amarelo avermelhado;
  • Barão: esse tipo é ainda menor um pouco do que a pera, e sua cor é mais clara também. A polpa é bastante suculenta.

Como consumir

As frutas do tipo baía, da terra, pera e barão são recomendadas para consumo de formas mais variadas. Além do suco e do consumo inteiro, também são boas para o preparo de geleias, sobremesas e até molhos para pratos salgados.

Já os outros tipos não são recomendados para outros pratos, apenas para comer inteira ou em forma de suco, pois o sabor não agrega muito a outros preparos culinários.

É importante lembrar que a vitamina C, tão valorizada na fruta, oxida rapidamente. Isso significa que o corpo só receberá esse nutriente se o suco, por exemplo, for espremido na hora.

Para começar a saborear de forma variada, veja como fazer receitas de bolo de laranja com casca.

Contraindicações e cuidados a ter

laranja precauções
Crédito: Pixabay

No sentido da toxidade da fruta, seu suco é considerado seguro. Pode ser consumida por todos, salvo quem tem alguma restrição médica por conta do excesso de ácidos. Também deve-se evitar dar o suco e derivados da fruta para os bebês pequenos, apenas quando o pediatra libera o consumo e na quantidade recomendada.

Além do suco, é preciso ter um cuidado importante quanto ao extrato da casca da fruta. Se for consumido em excesso, pode sim oferecer toxidade para os rins e fígado. O consumo da casca deve ser feito em quantidade equilibrada. De modo geral, uma colher de sobremesa por cada xícara de água, para que tenha noção da proporção.

Pessoas com hipotireoidismo devem estar especialmente atentas ao consumo da casca da laranja, pois nela há componentes responsáveis por inibir o funcionamento da glândula tireoide. Nesse caso, é melhor não consumir os extratos da casca, mas o suco pode ser consumido.

Mais um cuidado relevante que deve ser mencionado é quanto à furucumarina, uma substância na casca que, quando em contato com a pele e os raios do sol, pode causar queimaduras. Então sempre depois de descascá-la, lave as mãos para remover os vestígios dessa substância.

As dicas deste artigo não substituem a consulta ao médico. Lembre-se que cada organismo é único e pode reagir de forma diferente ao mencionado. Para obter os resultados mencionados também é preciso aliar a uma vida e alimentação saudável e equilibrada.

Conteúdo verificado clinicamente por Drª Dafne Oliveira

Redigido por Priscilla Riscarolli

Graduada em Comunicação Social, decidiu trocar as campanhas publicitárias pela produção de conteúdo para inspirar as pessoas a enriquecerem suas vidas com mais informação, bem-estar e criatividade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Loading…

0
Comentários
beneficios chá verde com hibisco
Chá verde com hibisco: benefícios e como preparar
tipos de cachos
Quais são e como cuidar dos tipos de cachos