Sintomas de falta de proteína na alimentação
Crédito: Freepik
em

10 Sintomas de falta de proteína na alimentação

O corpo avisa quando tem algo de errado no seu funcionamento

Uma boa alimentação é importante para a saúde como um todo. Alguns ajustes podem ser necessário ao longo da vida para atender as necessidades do organismo, que manda sinais claros quando há falta de proteína, por exemplo.

Segundo o Ministério da Saúde, “as proteínas são componentes necessários para o crescimento, construção e reparação dos tecidos do nosso corpo. Elas entram na constituição de qualquer e ainda fazem parte da composição dos anticorpos do sistema imunológico”. Além disso, quando o seu corpo está precisando, se converte em glicose e fornece energia.

Ela é fundamental para o funcionamento do organismo, mas se precisa de equilíbrio. Quando o corpo está com excesso de proteína, tende a causar “sobrecarga de trabalho no fígado e nos rins, aumento da excreção de cálcio e de outros minerais”. Além disso, pode se transformar em gordura, depositando-se nos tecidos.

O equilíbrio é sempre importante para manter o corpo saudável, principalmente quando se trata de nutrientes. Tanto o excesso quanto a falta de proteína pode ser ruim para o corpo, então é importante conhecer os sintomas da sua ausência. Dessa forma, fica mais fácil diagnosticar e tratar adequadamente.

10 Sinais de falta de proteína no organismo

Sinais de falta de proteína no organismo
Crédito: Freepik

Como as proteínas fazem parte de muitas funções do seu corpo, quando ela começa a faltar, os sinais logo aparecem. Porém, muitos deles são sutis e podem ser confundidos com outras doenças ou problemas. Veja quais são.

1. Perda de massa magra

No seu corpo, a maior parte das proteínas fica estocada na musculatura como um todo. Dessa forma, quando a pessoa ingere menos do que o necessário para todas aquelas atividades, precisa buscar na reserva. E o que acontece é a perda de massa magra, ou seja, passa a retirar da reserva para atender as funções vitais, causando perda muscular.

2. Fraturas

A ingestão da quantidade adequada de proteína ajuda a manter os ossos mais fortes, pois aumenta a densidade, consequentemente a resistência. Se o corpo percebe a falta do nutriente, vai encaminhar a proteína ingerida – ou retirada dos músculos – para funções vitais. Como eles não são fundamentais para o funcionamento como um todo, ficam mais fracos e tendem a fraturas.

3. Dores nas articulações

Tanto as cartilagens quanto as articulações acabam sofrendo com a falta desse precioso nutriente. Isso porque ele desempenha importante função durante a formação e manutenção das mesmas. Quando em falta, há maiores chances de dores, inflamações e até acidentes com as articulações e cartilagens do corpo.

4. Pele flácida

Um tipo de proteína muito especial é o colágeno, fundamental para manter a estrutura da pele e muitas outras partes do corpo. Sua falta acaba resultando em rugas e uma pele mais flácida e sem viço. Porém, em geral, a proteína é fundamental para a sua pele, pois ajuda a dar elasticidade e maior firmeza.

5. Alopecia

A temida alopecia ou queda de cabelo crônica, pode ser causada pela baixa ingestão de proteínas na alimentação. Além disso, o fio se torna quebradiço, com tendência a frizz e sem brilho, ficando sem movimento e opaco. Isso tudo porque também sua estrutura é prejudicada, principalmente quando falta a queratina.

6. Distração

Quando a mente está muito distraída e você fica com dificuldade de foco e concentração, pode ser falta desse nutriente. Isso porque o aminoácido responsável pela produção de neurotransmissores está em quantidade insuficiente. E você já sabe que o aminoácido deriva da proteína, certo? Além da distração, pode diminuir a produtividade e até capacidade motora.

7. Imunidade baixa

Também a sua imunidade pode sofrer quando o seu corpo não está devidamente nutrido, seja pelas vitaminas ou por causa da proteína. Quando em falta, prejudica o sistema imunológico, pois há um decréscimo da produção da imunoglobulina, anticorpos, citoquinas e outros. Isso traz uma menor resistência a doenças, te deixando mais vulnerável.

8. Metabolismo lento

Com a queda da quantidade de proteína, há uma menor quantidade de músculos na pessoa. Dessa forma, também o metabolismo fica mais lento, fazendo com que a queima seja menos intensa. Assim, as chances de conseguir emagrecer ficam reduzidas, com uma velocidade muito menor do que a de um corpo nutrido.

9. Alterações no comportamento

Por mais incrível que possa parecer, a baixa ingestão de proteína tende a alterar inclusive, o comportamento da pessoa. Ela pode ter alterações bruscas de humor, passando de um temperamento tranquilo para explosivo ou até deprimido. Faz também com que seus hábitos de sono se modifiquem, piorando a qualidade e quantidade do sono.

10. Dificuldade cicatrização

Outro sinal de que seu corpo está precisando de uma maior quantidade de proteína é a dificuldade na cicatrização de feridas. O processo se torna mais lento e com maiores chances de desenvolver uma inflamação, por causa da menor quantidade de glóbulos brancos. Também a quinina é importante no processo de cicatrização, sendo assim importante consumir a quantidade correta do nutriente.

Cochilar muito durante o dia pode indicar Alzheimer

Cochilar muito durante o dia pode indicar Alzheimer

barrado em toalha

Lindos modelos de barrado de tecido para fralda, toalha e pano de prato