em

AmeiAmei

O que é anemia? Dicas e tratamentos para recuperar a saúde

Você sabia que existem tipos de anemia diferentes? Veja quais são e como tratá-los!

anemia causa fadiga
Crédito: Freepik

A anemia é uma condição médica que implica a baixa fora do comum de hemoglobinas no sangue. Isso acontece por causa da falta de nutrientes importantes, como o ferro. Calcula-se que um terço da população mundial apresente falta desse mineral no organismo, ou seja, 2 bilhões de pessoas.

Os sintomas da doença são quase sempre difíceis de perceber e se confundem muito com outros problemas. Cansaço, fadiga, falta de capacidade de se concentrar, cicatrização demorada e até desmaios podem ser decorrentes dessa condição.

O que é anemia?

Como dito acima, a doença é a falta de hemoglobinas, os famosos glóbulos vermelhos, no sangue. De acordo com os médicos, uma pessoa é considerada anêmica se revelar valores de hemoglobina abaixo de:

  • 11g/dL, se estiver grávida;
  • 12g/dL, se for mulher;
  • 13g/dL, se for homem:

A maior parte dos casos de anemia acontecem por causa da falta de ferro no sangue. Quando é assim, chama-se a doença de anemia ferropriva. Contudo, também pode ser provocada por carência de proteínas, zinco, vitamina B12, entre outros.

Profissionais de saúde alertam que a anemia não deve ser negligenciada, já que não é um estado natural em nenhuma idade. Por isso, a pessoa deve manter a sua saúde sempre vigiada, para evitar que aquilo se torno algo mais grave.

Para saber se você está ou não com anemia, um exame de sangue basta e nem precisa ser daqueles em jejum. Você pode solicitar ao seu médico caso desconfie ou apresente alguns dos sintomas que serão descritos abaixo.

Causas da anemia

A doença pode acontecer por inúmeros fatores, até mesmo condições genéticas. Todavia, algumas coisas podem levar a um estado anêmico em pouco tempo. São elas:

  • Hemorragias crônicas ou agudas;
  • Perdas menstruais de sangue, no pós-parto ou de origem patológica;
  • Alturas de maior necessidade de ferro: gestação, infância e adolescência;
  • Regime alimentar pobre em ferro ou ingestão de ferro de absorção difícil;
  • Pouca facilidade de absorção de ferro causada por doença celíaca, cirurgia bariátrica ou câncer.

Como são muitas as fases da vida em que um indivíduo pode desenvolver esse problema, é preciso que se faça um check-up anual. É também por esse motivo que grávidas e crianças são sempre acompanhadas mais de pertinho.

A má ingestão do ferro ou a dificuldade de absorção podem ser resolvidas, muitas vezes, apenas com mudanças alimentares. Já a anemia provocada por hemorragias pode requerer um tratamento farmacológico ou até mesmo transfusões de sangue.

Tipos de anemia

tipos de anemia
Crédito: Pixabay

São vários os tipos desse problema de saúde. Eles variam de acordo com as causas da doença, como você já viu acima. Confira agora um pouco mais sobre cada tipo:

1. Ferropriva

O nome parece esquisito, mas é a mais comum. Sua ocorrência está diretamente relacionada com a alimentação e trata-se da anemia provocada pela falta de um cardápio equilibrado e rico em ferro. O tratamento, quando as quantidades de hemoglobina não são drasticamente baixas, é basicamente uma mudança de dieta.

Você pode aumentar a hemoglobina somente adicionando mais folhas verdes, ovos e carnes na sua alimentação diária. Em alguns casos, o médico pode recomendar a suplementação oral de ferro.

2. Megaloblástica

Não é só a falta de ferro que provoca anemia. Quem come pouca vitamina B12 não consegue produzir bons glóbulos brancos. O resultado é um nível mais baixo de hemoglobina no sangue por conta das células deficientes.

É o que ocorre com vegetarianos e veganos, porque não ingerem carne, principal fonte da vitamina. O tratamento é feito com suplementos alimentares ou mudança de dieta.

3. Perniciosa

Mesmo tendo uma dieta saudável e rica em B12, você pode sofrer de um problema que impede a absorção da vitamina. Nesses casos, menos comuns e mais graves, a cura se dá através de injeções por um grande período de tempo.

Se não diagnosticada rapidamente e tratada, essa anemia provoca danos neurológicos.

anemia falciforme
Crédito: Freepik

4. Falciforme

Também muito popular, essa variação da doença acontece por mutação genética. Quem nasce com a condição costuma ter alguns sintomas específicos, como alergia na pele, icterícia e inchaço dos membros.

A condição faz com que as suas células do sistema imunológico destruam os glóbulos vermelhos. O tratamento é vitalício e é feito com medicamentos prescritos por um profissional da saúde.

5. Hemolítica

É outra variação da doença em que os anticorpos atacam as próprias células do sangue. Contudo, ocorre mais em mulheres e os sintomas são mais específicos. Pode causar tonturas, palidez, secura nos olhos e na pele, marcas roxas com facilidade, entre outros.

Diferente da falciforme, essa condição pode ser curada com corticoides ou medicamentos imunossupressores.

6. Aplástica

Causada por uma doença autoimune, esse tipo de anemia acontece na medula óssea. A principal causa é a dificuldade de produção das células do sangue. A única forma de curar a doença é através de um transplante de medula com um indivíduo compatível. Sem tratamento, a condição pode matar rapidamente.

7. Fanconi

É parecida com a perniciosa. Porém, nesse caso, há também diminuição dos glóbulos brancos e das plaquetas. O tratamento mais comum é através de corticoides e transfusões de sangue.

Como fazer o diagnóstico?

diagnóstico da anemia
Crédito: Freepik

O diagnóstico da doença depende da verificação dos níveis hematológicos laboratoriais. É possível ainda dosar pelos seguintes critérios:

  • Ferro livre: através da quantidade de ferro livre no sangue obtém-se a origem da anemia;
  • Ferritina: analisa a quantidade de ferro no seu depósito;
  • Volume corpuscular médio (VCM): reporta a dimensão dos glóbulos vermelhos circulantes. Caso sejam pequenos, indica pouca presença de hemoglobina no seu interior;
  • Hemoglobina: a quantidade de hemoglobina é o critério principal;
  • Índice de saturação de transferrina: o nível de ferro, que está junto da transferrina (o mineral é transportado por esta proteína para as células), aponta para a eficácia da mobilidade no corpo.

A anemia pode também ser um sinal de que algo não está bem no seu organismo. Ou seja, ela pode caracterizar um sintoma de outros problemas graves, como tumores no cólon ou no estômago. Por isso, ela deve ser bem investigada, visto que tratar um tumor precocemente é o indicado para que o câncer se cure mais facilmente.

Sintomas da anemia

A anemia tem relação com estados depressivos, fraco desempenho no esporte e no trabalho e mau funcionamento da cognição. Carência de ferro está agregada ao cansaço, falta de foco, apatia e irritabilidade. Por outro lado, quem tem falta de ferro pode experimentar tontura, pouca concentração, fadiga recorrente e sem razão, assim como dores de cabeça.

No caso das crianças, elas podem manifestar pouca facilidade em aprender, terem péssimos resultados, crescimento atrasado e infecções frequentes. Em adultos, é comum terem palpitações, perda de cabelo, falta de ar e falta de capacidade física. Podem igualmente ocorrer enfraquecimento de unhas e da pele.

Alguns médicos ainda ressaltam que quem não tem os seus níveis de ferro normais, pode ter vontade de comer elementos não alimentares como giz, terra, macarrão cru e gelo.

Veja também: Sintomas de anemia que você precisa conhecer

Tratamentos

tratamento para anemia
Crédito: Pixabay

O melhor tratamento é ingerir alimentos ricos em ferro oralmente. Todavia existem remédios com sais de ferro variados em tipo, tolerabilidade e capacidade de absorção. Os mais vendidos no Brasil são: o sulfato ferroso, ferro carbonila, complexo de ferro polimaltose (ferripolimaltose) e o ferro aminoquelado. Exceto o sulfato ferroso, os outros surgem na forma de sal férrico.

Deve considerar-se os efeitos adversos dos suplementos de ferro e a duração do tratamento, que pode durar de três a seis meses. Por isso, quem está tratando o problema não deve parar com os medicamentos, assim que se sentir melhor, pois a anemia pode voltar!

Por que pacientes não levam o tratamento até o fim?

Por causa dos efeitos adversos do sulfato ferroso. Ele é eficaz, mas provoca constipação, náuseas, diarreia e vômitos. Em alternativa, pode ser usado o ferripolimaltosado ou outros sais férricos, que não tenham tantos efeitos adversos, para a pessoa aderir melhor ao tratamento e ter sucesso. É crucial que você vá ao médico para analisar os detalhes do seu tipo de anemia e seguir à risca os conselhos dele.

A biodisponibilidade do ferro é a forma eficaz através da qual o mineral é usado pelo corpo. Apesar de a prevenção passar pelo aumento do ferro ingerido na dieta, quem já tem essa carência, especialmente pessoas com anemia ferropriva, precisa muito mais dos medicamentos.

Como prevenir-se?

Em especial, as mulheres devem vigiar as perdas menstruais, visto que se forem elevadas devem fazer uma avaliação médica. Nesses casos, as grávidas devem tomar suplementos de ferro depois da 20ª semana de gestação.

A mudança na sua dieta é crucial para prevenir a anemia. Você deve ingerir alimentos ricos em ferro, como carnes, ovos, vegetais verdes escuros e grãos. A capacidade de absorção do ferro melhora se beber, antes ou no decorrer das refeições, um suco de cítricos, como acerola, laranja e limão. Assim como se cozinhar numa panela de ferro!

Note que a vitamina C faz elevar a capacidade de absorção do ferro e reduz a ação dos inibidores do mineral. Por isso, basta ter presente na refeição, cerca de 50 miligramas de vitamina C para aumentar em 50% a capacidade de absorção do nutriente. Que bela desculpa para comer uma feijoada com bife e suco de laranja, não é mesmo?

Fonte: Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading…

0

Comentários

Bebida poderosa e saudável que emagrece sem demoras!

Comunidade mobiliza-se e faz ponte que prefeitura tinha prometido!