riscos da depilação íntima feminina
Designed by Freepik
em

3 Riscos da depilação íntima feminina e seus mitos e verdades

A depilação pode trazer uma sensação de conforto, mas para isso é preciso ter cuidados especiais para evitar problemas.

As mulheres brasileiras, de modo geral, são muito vaidosas. E essa vaidade inclui os cuidados com a depilação das pernas, das axilas, do buço e das partes íntimas. Mas será mesmo que tirar os pelos do corpo faz bem? Veja agora quais são os riscos da depilação íntima feminina, já que essa região do corpo é ainda mais sensível do que as demais.

Quais são os riscos da depilação íntima feminina?

Fazer depilação é um hábito muito antigo, que começou a se popularizar na época em que as mulheres foram deixando de lado aqueles longos vestidos cheios de armação e começaram a poder mostrar os braços e as pernas ao saírem na rua.

Nessa época, começou a ser considerado antiestético que as mulheres tivessem pernas e axilas com pelos, então a moda da depilação pegou, inclusive nas regiões íntimas do corpo. Porém existe uma questão muito importante a se considerar: há um motivo para que as pessoas tenham pelos no corpo, e esse motivo é a proteção natural. Então veja quais são os principais riscos da depilação íntima feminina.

1. Infecções e inflamações

Todos os pelos do corpo, inclusive cabelos, sobrancelhas e cílios, têm a função de proteger a pele das impurezas do ambiente, reduzindo o risco de inflamações e de infecções. Ao depilar uma parte do corpo, principalmente se for com cera, que remove o pelo até a raiz, essa região fica desprotegida e aumenta o risco de contaminação.

2. Evolução de uma infecção

No caso da região íntima, esse risco é ainda maior, pois a mulher tem um corpo muito sensível, e mesmo sem fazer depilação é necessário ter cuidados especiais com a higiene íntima. Imagine então se não houver pelos para proteger a região, e os poros estiverem completamente expostos às bactérias. É mais fácil para que uma pequena irritação, inflamação ou infecção torne-se um caso mais sério.

3. Manchas na pele

Essa é uma situação mais estética, mas não deixa de ser um dos riscos da depilação íntima feminina. Há mulheres que não sofrem com esse problema, então é mais uma questão variável. O que ocorre é que as peles mais sensíveis costumam ficar irritadas após a depilação. E essa irritação causa o escurecimento na região.

À parte desses três riscos da depilação íntima feminina, sabe-se que depilar o corpo não é sinônimo de pegar doenças. Se fosse, todas as mulheres que se depilam estariam sempre com problemas dermatológicos e ginecológicos.

Mas antes de você optar por um tipo de depilação íntima, é bom saber quais são os mitos e verdades sobre o tema e quais os cuidados a ter para evitar os riscos da depilação íntima feminina. Confira a seguir.

Mitos e verdades da depilação íntima

quais os Riscos da depilação intima feminina
Crédito: Freepik

Existem mitos e verdades muito comuns quando o assunto é sobre os riscos da depilação íntima feminina. Veja quais são e tire suas dúvidas:

Não depilar a região íntima aumenta o risco de odores

Mito. Fazer depilação não é uma prática que tem a ver com higiene, mas sim com estética. Manter a região íntima bem limpa é importante, depilando ou não.

Ainda assim, deve-se tomar cuidados especiais, como não exagerar no uso de sabonetes contra bactérias e nem fazer lavagem vaginal interna. Essas práticas acabam removendo as bactérias benéficas que servem como proteção para a região genital. Apenas uma limpeza externa, com água e sabão no banho, é suficiente.

A depilação íntima causa inflamação na pele

Verdade. Mas nem sempre, vai depender da reação de cada organismo. Porém, pelo fato de você remover os pelos, seja com cera ou com lâmina, acaba de certa forma machucando a pele e deixando os poros expostos à contaminação do ambiente. Assim, é muito fácil que ocorram inflamações, como aquelas bolinhas avermelhadas com pus.

Essas reações são ainda mais comuns na região íntima, pois a pele dessa área é mais sensível. Elas podem passar sozinhas em um ou dois dias para quem tem o sistema imunológico fortalecido. Mas se perceber que a inflamação não está curando, é importante procurar um dermatologista ou ginecologista para evitar que o problema evolua.

A depilação íntima aumenta o prazer sexual

Mito. Mas também é uma questão variável. Uma depilação íntima do estilo cavada, que é quando os pelos são removidos quase por completo, ficando apenas um pouco na parte frontal da pelve, pode fazer com que algumas mulheres sintam mais prazer sexual por estarem mais à vontade e em contato direto com a pele dessa região. Mas varia muito de mulher para mulher.

Outro fator que está relacionado com o aumento do prazer sexual é o psicológico. Sabe-se que cada pessoa possui desejos e fantasias com coisas diferentes quando o assunto é sexo, então, para muitos casais o visual de um corpo depilado é mais atraente. Mas o fato é que a depilação em si não é responsável pelo aumento do prazer sexual de forma fisiológica.

A depilação íntima não pode ser feita com muita frequência

Mito e verdade. Vai depender do seu tipo de pele. Se for muito sensível e sempre ocorrem irritações na região após a depilação, é recomendado esperar que a pele cicatrize por completo e que os pelos cresçam um pouco mais para fazer a próxima depilação.

Se não ocorrem irritações na pele nem outro tipo de inflamação ou infecção na região, não há problema em ter uma frequência maior para se depilar. Esse não será um dos riscos da depilação íntima feminina para você.

Os pelos protegem a região íntima de infecções

Verdade. Conforme mencionado no início, os pelos possuem justamente a função de proteger o corpo, e é isso que ocorre na região genital. Não é à toa que tantos pelos crescem nessa área.

Porém, vale lembrar que o papel de proteção não fica somente a cargo dos pelos. É importante que a mulher tenha bons hábitos de higiene íntima para se manter sempre saudável. Inclusive, os hábitos alimentares também fazem parte da saúde íntima da mulher.

Cuidados a ter para fazer a depilação íntima em segurança

cuidados com os riscos da depilação feminina intima
Crédito: Freepik

Como você viu, fazer depilação e ter sucesso nessa prática é algo que varia muito de mulher para mulher. Afinal, cada organismo funciona de um jeito diferente. Também há mulheres que ficam mais à vontade com uma depilação mais cavada e outras com uma depilação mais natural. Então, o primeiro cuidado a ter é escolher o tipo de depilação que funciona melhor para você.

Depois, mesmo que a sua pele pareça ser bem resistente e o seu organismo não provoque inflamações após se depilar, não dispense o uso de produtos calmantes e cicatrizantes que vão ajudar a pele a se recuperar do procedimento. Esses produtos devem ser recomendados pelo dermatologista ou por um profissional de depilação.

Se você possui problemas de pele, como dermatite, precisa ter cuidado redobrado na hora de se depilar. Sua pele é naturalmente mais sensível e há maior risco de problemas como pelos encravados ou contaminação por fungos e bactérias. Além disso, precisa escolher bem os produtos que vai utilizar para evitar reações alérgicas.

Depois de saber qual é o melhor tipo de depilação para você, procure se depilar sempre durante ou após um banho com água morna, pois os pelos estarão mais amolecidos e fáceis de serem removidos.

Outra dica é que se você utiliza lâmina para se depilar, nunca compartilhe ela com outra pessoa, mesmo que seja alguém da sua intimidade. Além disso, mantenha a lâmina sempre seca e guardada em local arejado e limpo.

As dicas deste artigo não substituem a consulta ao médico. Lembre-se que cada organismo é único e pode reagir de forma diferente ao mencionado. E para obter os resultados mencionados também é preciso aliar a uma vida e alimentação saudável e equilibrada.

Veja no vídeo abaixo mais dicas sobre os cuidados a ter para se depilar com lâmina:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading…

0

Comentários

Chás para o cérebro e que previnem Alzheimer

Conheça 6 chás para o cérebro e que previnem Alzheimer

bolo gelado de abacaxi

9 Receitas de bolo gelado de abacaxi para todos os gostos