em

10 Mitos sobre a depressão para tirar o estigma da doença

Essa doença é considerada um dos maiores males psicológicos da atualidade.
mitos sobre depressão
Crédito: Pxhere

A desinformação e o preconceito são as principais causas dos mitos sobre a depressão. Essa doença atinge cerca de 11 milhões de pessoas em todo o Brasil e é considerada, ao lado da ansiedade, o mal do século 21.

O tema é delicado e cercado de tabus, o que dificulta a busca por ajuda e por tratamento. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que 53% das pessoas que sofrem de depressão não tratam a doença adequadamente.

Aqui você encontra:

Saiba a verdade por trás dos mitos sobre a depressão

A depressão de manifesta por meio de sintomas físicos e principalmente por meio de sintomas psíquicos. Os mais comuns são humor depressivo, apatia, dificuldade para se concentrar e tomar decisões e atitudes. Há também sensação de vazio, sono excessivo ou insônia, redução ou aumento de apetite, diminuição da libido, crises de choro e de raiva, irritabilidade, maus pensamentos, falta de esperança e tendências suicidas.

Ao identificar qualquer desses sinais em uma pessoa próxima ou em si mesmo procure tratamento psicológico e psiquiátrico. Depressão é coisa séria, mas tem cura. Se precisar desabafar entre em contato com os voluntários do CVV (Centro de Valorização da Vida), que oferecem apoio emocional e prevenção do suicídio através do 188. Abaixo veja os mitos sobre a depressão e ajude a desmistificar a doença.

1. Pessoas com depressão estão sempre tristes

A depressão é sempre associada com tristeza e isso dificulta o diagnóstico entre amigos e familiares. De fato, a tristeza, melancolia e crises de choro são alguns dos sintomas, mas a doença não se resume a eles.

Na maioria dos casos as pessoas depressivas conseguem sair, se divertir e até dar risada normalmente, mas sempre com uma sensação de vazio, de apatia e de ansiedade.

2. A depressão é provocada por situações específicas

depressão adultos
Crédito: Pxhere

Situações traumáticas, como término de relacionamentos, demissão ou morte de uma pessoa próxima, podem levar à uma depressão profunda se não forem acompanhadas. Há estudos que apontam que até mesmo certos alimentos podem causar depressão.

Essas, porém, não são as únicas causas da doença. De acordo com especialitas, na depressão há um comprometimento dos neurotransmissores responsáveis pelo funcionamento normal do cérebro, e isso tem causas genéticas, sociais e ambientais.

Costuma-se dizer que a depressão é uma doença com muitos tentáculos, já que não existe um fator determinante para sua causa. Eis algumas causas da doença:

  • Solidão;
  • Falta de apoio social;
  • Histórico familiar;
  • Traumas ou abusos de infância;
  • Uso de álcool e drogas;
  • Problemas de saúde e dor crônica;
  • Situações de violência e preconceito.

3. Depressão é sinônimo de cabeça fraca

Esse é um dos mitos sobre a depressão mais graves, pois aumenta o preconceito em relação à doença e faz com que o indivíduo tenha vergonha de procurar ajuda. A depressão é uma doença como qualquer outra, bastante complexa e com dimensões biológicas, psicológicas e sociais. Ela  pode atingir qualquer pessoa, mesmo aquelas que parecem ter uma vida perfeita.

4. Depressão é falta de religião

Esse é outro estigma grave sobre a doença. No Brasil, o padre Marcelo Rossi e o padre Fabio de Melo já falaram sobre suas lutas contra depressão, contra a ansiedade e contra a síndrome do pânico. Esses relatos são importantes, pois buscam desmistificar a doença.

Uma pessoa religiosa também fica doente ao longo da vida. A depressão é uma enfermidade que ataca pessoas de todas as crenças e mesmo aquelas que em nada acreditam. Mais uma vez, depressão é uma junção de causas biológicas, sociais e psicológicas.

5. Depressão passa com o tempo

O que acontece é que por estigma e mitos sobre a depressão muitas pessoas doentes sofrem caladas e preferem fingir que estão melhores. É comum que ignorem os próprios sintomas em vez de buscar um tratamento adequado, o que leva a uma falsa ideia de melhora. A enfermidade só melhora com acompanhamento psicológico e psiquiátrico, medicação e, em alguns casos, mudanças de hábitos.

6. Depressão não tem cura

Mais de 80% daqueles que buscam tratamento melhoram. É preciso buscar atendimento e avaliação de um especialista, que vai dar o diagnóstico correto e recomendar a medicação adequada.

A maioria dos tratamentos recomendados é misto, ou seja, envolve medicação e terapia para que o indivíduo lide com seus demônios e questões interiores. As chances de melhora são enormes, mas é preciso seguir exatamente as orientações médicas e terapêuticas.

7. Antidepressivo é para a vida toda

Entre os mitos sobre a depressão esse se relaciona com a ideia de que a doença não tem cura. Metade das pessoas que sofrem de depressão em algum momento da vida tem maiores chances de ter outro quadro em outro momento. Se a pessoa sofreu dois episódios a chance aumenta para 70% e em caso de três episódios sobe para 90%.

Esses pacientes, no geral, precisam da medicação contínua, que pode durar anos e até a vida toda, em alguns casos. Porém, não diz respeito a todos que sofrem com a doença.

8. Depressão é doença de adulto

verdades e mitos sobre a depressão
Crédito: Freepik

Dados do Instituto Nacional de Saúde Mental apontam que 1 em cada 33 crianças e 1 em cada 8 adolescentes apresentam depressão. O bullying é uma das principais causas da depressão nessa fase da vida e até entre os adultos: pesquisas apontam que um terço dos casos de depressão adulta é gerado por casos de bullying no início da adolescência.

A atenção deve ser redobrada nessa fase da vida, já que crianças e adolescentes não costumam falar sobre seus sentimentos de forma profunda e, muitas vezes, nem sabem como expressar o que estão sentindo.

9. Todo depressivo é suicida em potencial

No geral, todo indivíduo com depressão sofre com maus pensamentos, desesperança e sensação de vazio. A doença é um fator de risco para o suicídio, já que a pessoa sente que interromper a própria vida é a única forma de acabar com aquela dor sem nome.

Os pensamentos suicidas, no entanto, são mais comuns entre aqueles que já estão com depressão severa e que não encontraram alívio de nenhuma forma. Eis os principais sintomas que servem de alerta para comportamentos suicidas:

  • Expressar frequentemente angustia, desespero ou sensação de não ter saída;
  • Preocupação incomum com a morte, ao mesmo tempo em que fala muito sobre morrer;
  • Comportamentos imprudentes, como excesso de velocidade e abuso de álcool e de drogas;
  • Despedidas, como telefonar para pessoas que não conversa há tempos e escrever cartas;
  • Preparar o terreno para seus dependentes, como criar um fundo financeiro, pagar as dívidas e fazer um testamento;
  • Mudança repentina de comportamento muito depressivo para humor calmo e alegre;
  • Verbalizar frases como “eu não faço mais diferença aqui” ou “não vejo mais sentido em nada”.

É preciso atenção redobrada nesses casos! Se sentir que um amigo ou familiar manifesta esses sinais procure ajudar urgentemente e fale abertamente sobre o assunto, sem tabus.

10. Mulheres sofrem mais de depressão do que homens

Mais ou menos. Menopausa, depressão pós-parto, pressões da sociedade e machismo aumentam as chances de a mulher sofrer de depressão. Ao mesmo tempo, os homens têm dificuldade de falar sobre seus sentimentos, e como foi dito, a depressão é muitas vezes associada com fraqueza.

As dicas deste artigo não substituem a consulta ao médico. Lembre-se que cada organismo é único e pode reagir de forma diferente ao mencionado. E para obter os resultados mencionados também é preciso aliar a uma vida e alimentação saudável e equilibrada.

Fonte: Drauzio Varella

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading…

0
Comentários
mitos sobre chá de hibisco
6 Mitos sobre chá de hibisco e 4 verdades sobre a bebida
oração de nossa senhora aparecida
Conheça todas as versões da Oração de Nossa Senhora Aparecida