em

5 Melhores exercícios para diabéticos mais recomendados

Os exercícios para diabéticos estão liberados, mas é necessário precauções e cuidados para evitar crises.

melhores exercícios para diabéticos
Crédito: Pxhere

A diabetes atinge mais de 400 milhões de pessoas no mundo, segundo dados da Organização Mundial da Saúde, e no Brasil são cerca de 16 milhões de diabéticos. Quem sofre da doença sabe da importância de mudar o estilo de vida e adotar hábitos saudáveis, principalmente a prática de atividades físicas com exercícios para diabéticos.

Uma pesquisa da Universidade Estadual Paulista, em Presidente Prudente, revelou que pacientes sedentários que sofrem de diabetes gastam 63% mais com consultas médicas em comparação com os ativos. Quanto mais cedo o diabético começar o tratamento, melhores serão os resultados para a saúde e até o bolso.

Exercícios para diabéticos mais recomendados

A Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) aponta que o estilo de vida sedentário, a redução da atividade física e a má qualidade alimentar estão relacionados ao aumento da prevalência da diabetes tipo 2.

Os benefícios são explicados pelo estímulo na produção de GLUT-4, uma proteína que barra o excesso de glicose na circulação sanguínea e deposita-a nas células. Dessa forma, o paciente precisa de menos insulina para absorver o açúcar, e em casos onde a doença ainda está no início ela pode até deixar de ser necessária.

Outros benefícios dos exercícios para diabéticos incluem diminuição da pressão arterial, perda de peso e redução do colesterol, que são fatores de risco para o desenvolvimento da diabetes tipo 2. No geral, qualquer atividade física pode ser realizada por pacientes com diabetes, desde que com supervisão profissional e seguindo alguns cuidados. Veja quais são os mais recomendados.

Musculação

musculação diabeticos
Crédito: Unsplash

A melhor opção de exercícios para diabéticos são os de musculação, que devem ser realizados entre três e cinco vezes na semana. Isso porque os músculos consomem muito açúcar, e quanto mais se desenvolverem menores serão os índices de glicose na circulação.

Aeróbicos

futebol diabeticos
Crédito: Unsplash

São consideradas atividades aeróbicas aquelas que demandam consumo de oxigênio para realização. Ou seja, as que você gasta muita energia rapidamente e, consequentemente, tendem a baixar os níveis de glicose mais rápido.

Bons exemplos são corrida, ciclismo, dança e esportes como futebol e tênis.

Natação

natação diabeticos

Crédito: Unsplash

A natação é um esporte aeróbico considerado uma das melhores opções em exercícios para diabéticos. Além de reduzir os níveis de glicose e melhorar a ação da insulina, a atividade reduz os níveis de colesterol, controla o peso, promove relaxamento e melhora a respiração.

Pilates

pilates diabéticos
Crédito: Pixabay

O treinamento de flexibilidade é muito importante no tratamento da diabetes, pois a doença provoca má circulação. Praticar pilates pelo menos três vezes na semana melhora os níveis glicêmicos no sangue, aumenta o gasto de energia, melhora a flexibilidade e acelera o metabolismo.

No entanto, exercícios que promovam tensão excessiva podem gerar aumento nos níveis de açúcar no sangue. Tome cuidado!

Yoga

yoga diabéticos
Crédito: Unsplash

A yoga promove consciência corporal, relaxamento, ganho de massa muscular e flexibilidade. Os exercícios aumentam a irrigação sanguínea nos músculos e extremidades e podem ser feitos em casa, diferente do pilates.

Cuidados ao fazer exercícios

A prática de exercícios físicos é liberada, mas é necessário uma série de cuidados, além de orientação profissional e acompanhamento médico. Atenção aos seguintes pontos, que são importantes antes, durante e depois das atividades.

Principais riscos

Ao se exercitar sem orientação e cuidado, o diabético pode passar por crises dos seguintes tipos:

  • Hipoglicemia, quando o nível de açúcar cai demais;
  • Hiperglicemia, quando a glicose sobe demais;
  • Arritmia cardíaca;
  • Enjoo;
  • Hiperventilação;
  • Tremor;
  • Taquicardia;
  • Náusea;
  • Sensação de fome;
  • Alteração no nível de consciência;
  • Hemorragia.

Antes dos exercícios

Antes de se matricular em uma academia é preciso consultar o endocrinologista, cardiologista e oftalmologista para garantir que todos os exames estão bons.

Em seguida, vale a pena procurar um educador físico com experiência no acompanhamento de diabéticos e se informar sobre o plano de exercícios para esse tipo de paciente.

Antes de ir para a academia faça uma refeição leve e não saia de casa sem garrafa de água para se manter hidratado, lanchinhos salgados e doces (maçã, barrinha de cereal ou até rapadura) e a carteirinha de identificação do diabético.

Meça o nível de glicose

É necessário fazer a medição antes, durante e depois dos exercícios. Siga à risca:

  • Antes: se estiver abaixo de 100 mg/dl coma um carboidrato e espere um pouco. Se subir, pode se exercitar. Se estiver maior que 250 mg/dl em jejum evite atividade física;
  • Durante: meça novamente e coma alguma fonte de carboidrato. Se a glicemia estiver muito alta pare os exercícios e procure atendimento médico;
  • Depois: verifique novamente o índice glicêmico para evitar crises de hipoglicêmia.

Atenção aos pés

Quem sofre de diabetes sabe da importância de evitar feridas, mesmo que as menores, devido à dificuldade de cicatrização. Escolher meias e tênis confortáveis para não machucar os pés e conferir cuidadosamente após as atividades físicas é essencial.

Cuidado com a medicação

Exercite-se em um horário que não coincida com o pico de ação dos medicamentos que baixam a glicose e NUNCA mude a medicação sem consultar um médico – mesmo que a prática de exercícios diminua os índices glicêmicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Loading…

0

Comentários

comentários

tirinha de abobrinha com bacon crocante

Receita de tirinha de abobrinha com bacon crocante

maquiagem para pele madura

10 Dicas e truques de maquiagem para pele madura