pode fazer depilação com pasta de dente
Crédito: Freepik
em

Depilação com pasta de dente funciona? Veja como deve fazer

A pasta de dentes foi feita com uma única finalidade e talvez não seja uma boa ideia querer usá-la para outra coisa

Na internet é possível encontrar todos os métodos mais mirabolantes para fazer depilação sem sentir dor. Muitas pessoas só querem encontrar substitutos para as ceras e lâminas que deixam a pele dolorida, irritada e com bolinhas. Então, uma das mais receitas “soluções” é a depilação com pasta de dente. Será que funciona?

Veja também: pode usar pasta de dente no rosto para acne?

Funciona fazer depilação com pasta de dente?

Bem, como você sabe, a pasta de dentes tem esse nome porque é feita uso bucal. Sendo assim, a sua composição não é compatível com o pH da pele, apenas com o das mucosas das boca e dos dentes.

Além do mais, não existe qualquer elemento na composição da pasta de dente que a faça remover ou amolecer os pelos do corpo.

Algumas das receitas que usam pasta de dente para fazer depilação, levam esse produto apenas como ingrediente para deixar a pele mais fresca, sendo que há outros ingredientes responsáveis pela remoção dos pelos.

Mas, em todo caso, depilação com pasta de dente não funciona e não deve ser feita. A pasta de dente resseca a pele e pode causar irritação. Não é o método mais recomendado.

Então, para que não fique sem alternativas, conheça alguns métodos seguros de fazer depilação, estude cada um deles e descubra qual é o melhor no seu caso.

E lembre-se: se tiver qualquer problema de pele, antes de escolher o tipo de depilação é melhor consultar um dermatologista para prevenir que o problema aumente.

Métodos seguros para fazer depilação

tipos seguros de depilação para fazer
Crédito: Freepik

Como viu, nada de fazer depilação com pasta de dente. Guarde esse produto apenas para escovar os seus dentes, pois ele não deve ser aplicado na pele. Os métodos que pode escolher como alternativa à cera e à lâmina, são:

Depilação com linha

Esse método, também chamado de depilação egípcia, pode ser a solução ideal para quem deseja se depilar evitando irritações na pele. A depilação com linha dói um pouco, mas é suportável, e ela arranca os pelos lá na raiz, mas sem deixar os poros abertos com risco de infecção.

Depilação a laser

Esse é um método bem conhecido e muito procurado por quem sofre muito com as irritações de pele e pelos encravados após cada depilação. A depilação a laser é mais cara, leva algumas sessões para ser terminada, mas dura por cerca de 1 ano até que precise fazer um reforço. É um investimento que parece alto, mas você não vai mais gastar com depilação fora de casa nem sofrer com pelos grossos e encravados.

Receitas de cera caseira

Se você até gosta da cera quente ou fria, mas prefere fazer receitas caseiras para se depilar, tem essas opções. As receitas de cera caseira são à base de açúcar, limão, água e mel. Só precisa ter o cuidado de remover a cera por completo antes de se expor ao sol, pois o limão mancha e queima a pele.

Ceras de variados tipos

Agora, se você não gosta da depilação com cera porque só conhece um tipo desse produto, talvez a solução seja conhecer outros tipos de depilação com cera. Existe a cera de abacate, de leite, de aloe vera, de oliva, de chocolate branco, de argan e de coco. Todas mais naturais e que trazem benefícios para a sua pele.

Depilação com creme depilatório quente

Existem também os cremes depilatórios que fazem os pelos amolecerem e são bem menos dolorosos do que as ceras. Esses cremes são aplicados na pele com um rolinho, ficam agindo e depois é só puxar de leve, com bem menos força do que a cera, pois eles amolecem a estrutura dos pelos. Pode ser a solução perfeita que estava procurando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading…

0

Comentários

pomada para clarear as axilas

Pomada para clarear as axilas funciona? Veja como usar

alergia à bijuteria

Alergia à bijuteria: conheça os sintomas e o que fazer