Depilação íntima não tem relação com infecção sexualmente transmissível
Crédito: Freepik
em

Depilação íntima não tem relação com infecção sexualmente transmissível

Se quiser, pode depilar se quiser! Um estudo concluiu que retirar os pêlos não aumenta riscos para a saúde

Então quer dizer que a depilação íntima aumenta a chance de contrair infecção? Nem sempre! Um estudo mostrou que não importa a quantidade de pêlos, desde que a região seja bem cuidada. Foram realizados exames para ver se havia relação entre a ausência ou presença de cabelos influenciava, porém o resultado surpreendeu.

No senso comum, a presença de pêlos pode ser prejudicial, pouco higiênico. Por outro lado, também o senso comum diz que a depilação aumenta o risco de contaminação. Então, qual é o raciocínio correto? O estudo procurou focar na ausência de pêlos, para ver se realmente fazia sentido.

Depilação íntima e infecções

Certamente você quer saber o resultado do estudo, certo? Pois saiba que depilar ou deixar natural não faz a menor diferença, quando o assunto é contaminação. O estudo foi realizado em 214 mulheres que cursam na mesma instituição da pesquisa, a Universidade Estadual de Ohio, nos Estados Unidos. E o resultado foi muito interessante!

Os pesquisadores questionaram sobre os hábitos de depilação e fizeram exames de infecções comuns na área genital. Entre elas estavam o de clamídia e gonorreia, sendo os mais notórios entre as infecções comuns. Depois, fizeram uma correlação entre o número de contaminações e estilo de depilação escolhido pela mulher.

O estudo mostrou que entre as entrevistadas, a maioria (98%) fazia depilação na área genital, sendo que mais da metade tirava todo o pêlo do local. Isso no prazo de uma semana, um mês ou um ano, diariamente. Agora, foi impressionante a constatação que, com ou sem pêlo, 1 em cada 10, estava com alguma infecção genital.

Impressionantemente, não houve uma diferença significativa que levasse a crer que mais ou menos pêlos fariam a diferença. As infecções nas áreas íntimas não estão relacionadas à quantidade de pêlos pubianos e sim com outros fatores, não detalhados no estudo.

Como evitar infecção genital

Manter a saúde em dia é importante, não somente beber muita água, se alimentar bem, mas também outras medidas importantes. Entre elas, é a utilização do discernimento e maturidade para cuidar da saúde da região genital. Veja algumas coisas que podem ajudar a evitar muita dor de cabeça e até doenças mais sérias:

  • Higiene: óbvio que a higiene faz parte do dia a dia, mas na área genital é fundamental que se redobre o cuidado;
  • Pêlos: manter ou tirar não faz diferença quando se trata de contrair infecções, mas sabia que eles ajudam a manter a flora local? Pense nisso, quando for escolher o tipo de depilação;
  • Sexo seguro: sem dúvidas, a melhor forma de manter sua região genital longe de problemas é utilizar camisinha, feminina ou masculina;
  • Sexo oral: ao receber sexo oral, procure estar também com proteção, seja a camisinha ou uma camisinha cortada e aberta, que cubra a região;
  • Ginecologista: visite anualmente ou semestralmente o ginecologista, realizando os exames adequados para cuidar da sua saúde e evitar infecções genitais.

melhor remédio para dor nas pernas

7 Opções de remédio para dor nas pernas

Bombeiro recebe chamado de resgate e descobre que filha estava entre os mortos

Bombeiro recebe chamado de resgate e descobre que filha estava entre os mortos