como limpar o celular
Crédito: Freepik
em

Bactérias resistentes em objetos: como limpar o celular para evitar essa fonte de contaminação

Pesquisa encontra bactérias resistentes à limpeza em celulares. Saiba como fugir desse problema

Quantas vezes você já descumpriu alguma regra de hospital, achando que não tinha nenhum problema? Tem muita gente que prefere “flexibilizar” algumas regras, trazendo bactérias resistentes a um local que deveria ser mais controlado. Isso acontece com lanchinhos, visitas e até mesmo o uso de equipamentos. Um deles é o celular, fonte de muitos agentes contaminantes, por isso é tão importante saber como limpar o celular.

As bactérias resistentes são um problema muito grave, principalmente em hospitais. Os pacientes internados estão com a imunidade prejudicada, sendo muito mais propensos a contrair as mesmas. Dessa forma, podem desenvolver a sepse, mais conhecida como a temida infecção generalizada ou hospitalar.

Elas estão cada vez mais comuns, por causa da pouca atenção com a higiene, sua presença nos mais diversos locais, mas principalmente pelo uso indiscriminado de antibióticos. Infelizmente, são presença garantida em celulares, cada vez mais presentes em UTIs. Era para ser proibido, mas as pessoas parecem não ter consciência do risco. Por isso, um estudo procurou alertar para o risco da sua presença.

Veja também: os riscos de de usar celular no banheiro

Estudo mostra bactérias resistentes em UTI

Pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP), identificaram bactérias resistentes dentro de UTIs do Hospital das Clínicas. Foi identificada como principal fonte de entrada das mesmas a permanência de celulares no local. Infelizmente, nem sempre os médicos e enfermeiros respeitam a regra do local, onde é proibida a entrada do equipamento.

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores coletaram pequenas amostras de diversos objetos manuseados pela equipe. Entre eles estavam os prontuários, equipamentos, celulares, monitores e até mesmo os colchões. A coleta era realizada sempre em duas vias, uma minutos antes da limpeza e outra logo a seguir, para comparar os resultados e eficácia da mesma.

Como resultado, observaram que, em geral, as bactérias eram mais inofensivas, provenientes da pele e do cabelo. Porém foram observadas algumas bactérias resistentes que não deveriam estar lá, sendo extremamente nocivas para os pacientes. Também percebeu-se que a repetição do produto de limpeza cria certa resistência, devendo ser modificado periodicamente.

Como limpar o celular

Para evitar bactérias resistentes, seja no hospital ou no seu dia a dia, que tal aprender como limpar o celular corretamente? Primeiro, é importante lembrar que a limpeza mais simples, já é de grande valia, fazendo a retirada mecânica dos agentes patogênicos ali presentes. Mas será que existe uma forma correta de deixar o celular mais seguro?

Claro que sim e o melhor: você precisa fazer isso somente uma vez por semana. Sempre lembrando de desligar o celular antes de fazer a limpeza, ok? Veja então as melhores formas de deixar seu celular livre de bactérias resistentes:

  • Álcool isopropílico: pegue um paninho de microfibra, molhe com o álcool isopropílico e aperte bem, para tirar qualquer excesso. Limpe bem a tela com ela, uma vez por semana. Não confunda com nenhum outro tipo de álcool;
  • Lenços umedecidos: por mais incrível que possa parecer, eles são excelentes para limpar o celular e retirar os germes. Retire um lenço do pacote, esprema bem e limpe o celular. Em seguida, finalize com um pano de microfibra seco, dando brilho.

Lembre de nunca molhar seu celular, a não ser que ele tenha resistência à água, devidamente autorizado no manual. O mesmo cuidado deve ser feito com os produtos indicados, utilizando os tecidos o mais secos possível.

Ataque de gavião

Ataque de gavião: por que acontecem e o que fazer

Acumulador compulsivo

Acumulador compulsivo: quando se torna um problema