Síndrome de Alice no País das Maravilhas
Crédito: Piqsels
em

Síndrome de Alice no País das Maravilhas: já ouvir falar nessa condição?

Ainda não existe uma causa definida, nem tratamento. Mas, pode estar relacionada com outras doenças

Publicidade

Você já deve ter ouvido falar na história da Alice no País das Maravilhas, certo? Trata-se de um clássico da literatura infantil escrito por Lewis Carroll e publicado, originalmente, em 1865. A obra virou um dos mais conhecidos filmes da Disney, lançado em 1951 e que já ganhou versões mais modernas.

Em todas as versões, a personagem principal é uma menina chamada Alice que cai numa toca de coelho que a transporta para um lugar fantástico povoado por criaturas peculiares, onde tudo mais parece um sonho, de forma surreal.

Mas, o que isso tem a ver com a Síndrome de Alice no País das Maravilhas (SAPM)? Bem, a Síndrome tem esse nome porque é uma condição neuropsicológica que faz o paciente ter uma alteração na percepção do tamanho do seu próprio corpo e dos objetos ao seu redor.

Essa Síndrome é mais comum em crianças, embora possa surgir em adultos. Ocorrem episódios curtos nos quais a pessoa tem a impressão de que partes de seu corpo são muito maiores do que realmente são.

Publicidade

Esses episódios costumam ser curtos, mas assustadores o bastante para causar crises de ansiedade e de pânico, tanto pelo sintoma em si quanto pelo medo de acontecer de novo.

Causas da Síndrome

A Síndrome de Alice no País das Maravilhas é rara e, por isso, a comunidade médica não tem, ainda, uma causa definida. Os médicos que tratam pacientes com essa condição acreditam que possa haver uma conexão com a doença de Lyme, da mononucleose ou de fortes impactos na cabeça.

Tem cura?

De acordo com a pediatra Anne Weissenstein, em artigo publicado no Journal of Pediatric Neurology, “a condição não tem tratamento efetivo e provado, mas existem métodos para tentar reduzir os efeitos da condição. Casos crônicos de SAPM são raros, mas não há tratamento e há a esperança que possam desaparecer com o tempo”.

Publicidade

Ainda, segundo a médica, “as distorções e alucinações não são contínuas e podem aparecer durante a noite ou somente durante o dia. Por serem breves, elas causam ansiedade e pânico nos indivíduos. Entretanto, essas manifestações não são perigosas e provavelmente irão sumir depois de algum tempo”.

O que fazer se perceber os sintomas?

Se notar o sintoma da distorção do tamanho das coisas em você, ou alguma pessoa do seu convívio relatar esse sintoma, é importante ir ao médico para fazer exames.

Como essa Síndrome é mais comum em crianças, os pais podem não dar importância quando o filho pequeno relata que está vendo as coisas ou partes do corpo bem grandes, de forma assustadora. Então, se o seu filho ou outra criança lhe disser que está vendo isso, não ignore.

Publicidade

Como a causa pode estar relacionada com uma das doenças mencionadas, é importante descobrir se a pessoa está mesmo com alguma doença para que seja iniciado o tratamento. Assim, os episódios da Síndrome devem desaparecer.

Coisas que não devemos proibir as crianças de fazer

6 Coisas que não devemos proibir as crianças de fazer

bebidas que cachorro pode e não pode tomar

3 Líquidos que cães podem beber e 6 que não podem