síndrome da cabeça chata em bebês
Crédito: Freepik
em

Síndrome da cabeça chata em bebês: como diagnosticar, evitar e tratar

Recém-nascidos podem ficar com um lado da cabeça mais achatado. Veja como evitar o problema com dicas simples

A Sociedade Brasileira de Pediaria (SBP) explica que “crianças com crânio assimétrico podem ter plagiocefalia posicional ou plagiocefalia associada a craniossinostose“. No caso da craniossinostose, é fundamental que se faça o tratamento com um neurocirurgião. Porém, a posicional é bem comum e simples de tratar.

Também conhecida como síndrome da cabeça chata, a plagiocefalia posicional é uma malformação do crânio. Temporária e facilmente reversível, ela é bastante comum, principalmente em prematuros. Isso porque o crânio ainda é muito macio e maleável, e o bebê tende a ficar muito tempo deitado na UTI neonatal.

Como diagnosticar

Normalmente são os próprios pais ou cuidadores que identificam os primeiros sinais da plagiocefalia posicional. Veja os principais sinais:

  • Achatamento de uma área da cabeça;
  • Perda de cabelo no local;
  • Projeção de uma das orelhas mais para a frente;
  • Deformação na testa e estrutura do rosto do bebê.

Causas

A principal causa da síndrome da cabeça chata é a forma como o bebê dorme. Isso porque normalmente ele passa muito tempo na mesma posição. Consequentemente, o peso da cabeça em uma lateral faz com que a parte de baixo fique mais achatada.

O uso de carrinhos e afins, sem o devido acompanhamento, também pode causar o problema. Por mais que deixar o bebê deitadinho facilite o dia a dia, ele precisa se movimentar. Não apenas para evitar a plagiocefalia, mas também para estimular o desenvolvimento.

Consequências

Além de causar o achatamento da lateral, passar muito tempo na mesma posição pode trazer outras consequências. Por exemplo, o torcicolo congênito, que deixa a cabeça pendendo mais para um dos lados.

Porém, não há com que se preocupar quando o assunto é desenvolvimento cerebral. A plagiocefalia posicional não interfere na forma e velocidade com que o cérebro se desenvolve.

Tratamento da síndrome da cabeça chata

O tratamento é simples e seu pediatra de confiança vai explicar bem o que fazer – tenha sempre esse acompanhamento! Se for leve, basta evitar a mesma posição que causou o problema e estimular outras formas de deitar.

Se já estiver em estágio mais avançado, pode ser necessário o uso do capacete específico, que ajudará a recuperar mais rapidamente e dar conforto para o bebê. Além disso, pode também ser necessário fazer fisioterapia.

Como evitar

Melhor do que tratar é evitar que aconteça. E isso não é tão complicado, precisa apenas de alguns cuidados básicos. Veja como evitar a síndrome da cabeça chata em bebês:

  • Durante o dia, enquanto o bebê descansa, mude sempre a posição em que ele está deitado, variando o lado da cabeça.
  • Quando acordado, deixe que fique um pouco com a barriga para baixo, sempre com acompanhamento e em local macio.
  • Dê colo; é muito melhor do que ficar no berço, carrinho ou cadeirinhas.
  • Se for confortável para você, invista em um sling, que deixa a posição do bebê muito mais ergonômica e pertinho de você.
  • À noite, use um travesseiro adequado para a prevenção e tratamento da plagiocefalia, que contém um furo no centro.

Assim fica mais fácil evitar o problema e manter seu bebê saudável. Mas não se preocupe caso já apresente os sinais. Leve ao seu pediatra, siga o tratamento indicado e aproveite para ter seu pequeno nos braços por mais tempo. Eles crescem muito rápido.

Aproveite e veja também: Estudo mostra que existe um abraço perfeito para acalmar os bebês

Como tirar mofo de couro

Como tirar mofo de couro – e como evitar!

deixar de gostar de alguém que não merece seu amor

5+ Dicas para deixar de gostar de alguém que não merece seu amor