segredos para ter plantas lindas
Crédito: Freepik
em

4 Principais segredos de quem tem plantas lindas

As plantas são seres vivos que precisam de cuidados básicos para ficarem bonitas, fortes e saudáveis

Se você já tentou várias vezes manter um pequeno jardim, seja no quintal ou em vasos dentro de casa, mas nunca teve sucesso, não desista. A jardinagem requer paciência, testes e experiência até que você entenda como funciona o mundo das plantas. Então, para continuar sua busca pelas melhores dicas, veja alguns dos cuidados essenciais que não pode deixar de ter com as suas plantinhas.

Veja também: a beleza fascinante das flores góticas

1. Adubar é preciso

Todo mundo sabe que as plantas precisam receber água de tempos em tempos. Mas nem todo mundo sabe que elas precisam de alimento. Esse alimento é o adubo, que pode ser orgânico (de fonte vegetal ou animal) ou inorgânico (de fonte mineral).

A maioria dos profissionais recomenda os adubos orgânicos, como húmus de minhoca, esterco de gado curtido ou fazer o seu NPK natural misturando borra de café, casca de ovo e casca de banana.

A função do adubo é bem completa, pois cada mineral vai ajudar de uma forma diferente. O adubo serve para deixar a planta mais bonita, mais forte e crescendo mais rápido, com melhores flores e frutos.

O período de tempo para dar adubo à planta vai depender da espécie, do tempo de vida e do local onde ela é cultivada, então é preciso pesquisar de forma mais específica. Veja no vídeo abaixo como fazer o seu NPK orgânico, reaproveitando os restos de alimentos.

2. Regas periódicas e personalizadas

Assim como a adubação, as regas também variam conforme a planta que você tem, o tempo de vida de cada uma delas e o ambiente em que são cultivadas. Por isso, cada planta tem sua necessidade particular de rega.

Se você é uma pessoa esquecida ou muito ocupada, e não consegue se comprometer a regar suas plantas todos os dias ou duas vezes por semana, procure cultivar espécies que não necessitam de tantas regas. Veja essas plantas que precisam de poucos cuidados.

3. Respeitar necessidades de sol e sombra

Bem, você já percebeu que plantas são seres vivos que têm necessidades particulares, pois não são todas iguais. Então, além de prestar atenção nos cuidados com adubação e rega, também é essencial saber se a sua planta é de sol, de sombra ou de meia sombra. Essa característica depende, principalmente, da origem da planta.

Se ela é originária de uma região tropical e seu habitat natural é a mata fechada, ela vai lidar bem com ambientes de sombra, pois costuma ficar “escondida” embaixo de outras plantas. Já se você pegar uma planta de regiões áridas, com muito sol e pouca chuva, ela vai estar naturalmente adaptada a umas 6 ou 8 horas de sol direto todos os dias.

Portanto, na hora de escolher as plantas que irá cultivar, pesquise levando em consideração o ambiente no qual pretende cultivá-las e a sua disponibilidade para trocá-las de lugar ao longo do dia, caso isso seja necessário. Para ajudar, veja algumas plantas para cultivar em ambientes fechados.

4. Usar uma terra boa

Se você comprar uma planta quando ela ainda é uma mudinha, mas vai crescer e ficar de médio ou grande porte, você vai precisar trocá-la de vaso para que ela se desenvolva, fique forte e bonita. Para isso, vai precisar ter uma terra boa para replantá-la. Essa terra boa vai depender da finalidade. Existem, por exemplo:

  • Terra de jardim: é mais compacta, já vem adubada e com pH equilibrado, é boa para floreiras, jardins e hortas, pois mantém a umidade por mais tempo.
  • Terra preta: é uma terra mais solta, feita com restos de orgânicos. Pode usar em vasos de piso, vasos pendurados ou floreiras.
  • Terra vegetal: é uma terra comum misturada com restos de plantas. É a terra que você pode fazer em casa por meio de uma composteira, que é onde você vai depositar o seu lixo orgânico, cobrir com terra que já tem no jardim e deixar por alguns meses até se decompor por completo. Pode usar para todos os tipos de plantas.
  • Terra vermelha: é uma terra argilosa, mais compactada, muito usada em plantações de alimentos. Para usá-la nas plantas, deve ser misturada com um pouco de terra preta e areia de construção para que fique mais solta e facilite o enraizamento. Como ela mantém a umidade por mais tempo, é melhor evitar essa terra para suculentas, que precisam de menos umidade.
  • Terra arenosa: ao contrário da terra vermelha, que é argilosa e compacta, essa terra vem da areia e é mais leve e solta. O ideal é misturá-la com um pouco de terra vermelha e um pouco de terra preta, em medidas iguais.

Veja mais dicas sobre as terras no vídeo abaixo e tenha suas plantas sempre lindas:

Depois de casa incendiada, cachorro sobrevivente esperou pelos donos por um mês

Depois de casa incendiada, cachorro sobrevivente esperou pelos donos por um mês

recuperar plantas que estão morrendo

4 Dicas para reanimar sua plantinha que está morrendo