em

A Coca-Cola pagou $1,000,000 para você nunca ficar sabendo disso

Recentemente, a empresa norte-americana Coca-Cola tem passado um mau bocado. Essa marca é dona de outras marcas como a Simply Orange, Vitamin Water, Powerade, Honest Tea, Odwalla e outros produtos que são direcionados para um consumo e dietas saudáveis.

No entanto, a empresa é mais conhecida pelo famoso refrigerante Coca-Cola, um produto que é desprovido de qualquer valor nutricional e é muitas vezes apontado como um dos maiores contributos para a epidemia da obesidade mórbida nesse mesmo país – uma epidemia que vem custando centenas de biliões de dólares e que vem sendo a causa de morte para milhares, todos os anos.

Como a procura por esse refrigerante gaseificado, de um sabor artificial e repleto de açúcar tem vindo a diminuir, a marca Coca-Cola tem apostado forte nas restantes marcas que possui e que promovem alternativas mais saudáveis.

O portal Bloomberg.com noticiou que as vendas destas marcas controladas pela Coca-Cola, tais como a Simply Orange, a Powerade e a Honest Tea são a nova fonte de receitas da marca-mãe.

Mas tem um problema! Em Outubro, foi revelado que a Coca-Cola contribui secretamente com mais de 1 milhão de dólares para o combate contra a categorização de produtos GMO – produtos geneticamente modificados – em Washington. Para descobrir esse segredo, foi necessário que o estado processasse a GMA – Grocery Manufacturer’s Association – descobrindo-se que a violação atingia os 11 milhões de dólares. Agora que a verdade foi revelada, alguns ativistas estão dando luta. Um deles é Andrew Kimbrell, o fundador do Center Food Safety.

Ele diz que os consumidores de bebidas saudáveis querem saber o que elas contêm. Utilizando os lucros das bebidas mais saudáveis para investir, secretamente, em uma campanha que pretende que os consumidores não tenham o direito de saber o que os alimentos contêm, a Coca-Cola vem traindo o interesse público, se colocando no lado errado dessa história.

Muhtar Kent, CEO da Coca-Cola, se defende dizendo que a sua empresa oferece uma tremenda variedade de produtos saudáveis, de onde se pode escolher. No entanto, no que diz respeito a saber que os seus produtos foram geneticamente modificados, a Coca-Cola, aparentemente, gosta de nos deixar no escuro. Segundo alguns relatórios, Seth Goldman, o co-fundador da Honest Tea disse em Setembro que, após conflitos internos, a Coca-Cola iria deixar de tentar influenciar direta e negativamente o I-522.

Aparentemente, a Coca-Cola pensou que ao, alegadamente, lavar dinheiro (ilegalmente) através da Grocery Manufacturer’s Association, conseguiria manter em segredo o seu envolvimento.

O pior é que a Honest Tea publicita no seu sítio online que os seus produtos são ‘GMO Free’, livres de modificação genética, enquanto a sua empresa-mãe trabalha contra a categorização de GMO.

Perguntamos à Coca-Cola se tinham a intenção de continuar a financiar a campanha anti-categorização. A resposta da empresa foi que a iniciativa de Washington para essa categorização – a I-522 – requer a categorização de dezenas de milhares de produtos alimentares. Essa medida irá aumentar os preços dos produtos e, consequentemente, o orçamento anual de uma família-modelo do estado de Washington.

Resumindo, a Coca-Cola não só tentou esconder as suas contribuições nessa campanha, como continuam a tentar iludir as pessoas em relação às verdadeiras consequências da categorização GMO.

12 Comments Leave a Reply
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading…

0
Comentários
9 sinais incomuns de AVC em mulheres que ninguém fala
Tratamento para expelir pedras biliares