em

AmeiAmei

Queloide: o que é, causas e como tratar

Sabe aquela sua cicatriz que ficou bem marcada, mais escura e com relevo? Pode ser que você tenha queloide
queloide
Crédito: Freepik

É difícil ver uma pessoa que não tenha qualquer cicatriz no corpo, por menor que seja. A cicatriz é a marca que fica depois de um ferimento que abriu a pele. Quando o problema está curado, sem infecção ou inflamação, a pele se reconstrói formando as casquinhas e então se fecha novamente, mas algumas vezes deixa uma marca na linha do corte. Quando essa marca fica exagerada, pode ser sinal de queloide.

O que é queloide?

Esse é o nome dado a uma cicatriz que se formou com excesso de pele. Quando o ferimento está em processo de cicatrização, a pele vai se reconstruindo até conseguir fechar totalmente o ferimento.

Em pessoas que têm esse problema, essa produção de tecido é exagerada, formando uma cicatriz bem marcada e mais grossa, algumas vezes com relevo e uma cor mais escura por conta da concentração de pigmento no local.

Causas

como tratar queloide
Crédito: Wikimedia Commons

É uma alteração benigna, que não oferece risco à saúde, e acontece por uma predisposição genética. Ele pode acontecer em homens e mulheres, mas em especial nas pessoas com a pele mais pigmentada e entre os 10 e 30 anos de idade.

Enquanto não sofrer qualquer tipo de corte na pele, pode passar a vida sem saber que tem essa predisposição. Então, a cicatrização com excesso de tecido pode ser desencadeada quando fizer uma cirurgia, furar a orelha ou sofrer um ferimento que abra a pele. Inclusive, mesmo se fizer uma segunda cirurgia para remover o queloide que se formou, ele pode se formar outra vez.

Para conhecimento, existe também a cicatriz hipertrófica que não é a mesma coisa que queloide. Essa cicatriz fica elevada também, mas respeita o espaço limite da ferida. Já o queloide ultrapassa o limite da ferida, como se não soubesse a hora de parar de produzir mais tecido e fosse se espalhando.

Como evitar?

Por ser uma alteração genética e sem riscos à saúde, ainda não há uma forma de evitar que uma pessoa nasça livre dessa alteração. Então, a única maneira de evitar é não sofrendo cortes na pele. Ainda assim não quer dizer que todas as pessoas com predisposição vão tê-lo em um pequeno corte, por exemplo. Ele pode aparecer ou não, e o único jeito de descobrir é esperando para ver.

Como tratar?

Da mesma maneira que não há uma forma de prevenir que essa disfunção se desenvolva na hora de uma cicatrização, também não há um tratamento isolado e eficaz somente para isso. Existem alguns tipos de medicação e de intervenções cirúrgicas que atuam tanto nos sintomas quanto na estrutura depois que ele já se formou.

Cirurgia

Normalmente fazem-se tratamentos com medicamentos antes de partir para a cirurgia. Quando nenhum medicamento resolve, essa pode ser a única solução. O médico precisa fazer uma incisão cuidadosa no local, evitando cortar a pele em volta do queloide para não estimular que ele cresça outra vez.

Mesmo assim existe o risco. Então, logo depois da cirurgia, são usados compostos injetáveis e curativos oclusivos e que causam compressão para prevenir a recidiva.

Medicamentos

Os medicamentos podem ser recomendados para tratar dos sintomas, como dor e coceira, que às vezes aparecem. Também para devolver os movimentos normal às pessoas que chegam a ter dificuldade de movimentar alguma parte do corpo por causa desse problema. Entre os medicamentos usados estão bleomicina, triancinoloma, 5 fluoracil, INF-alpha, INF-beta e INF-gama.

Tratamento a laser

Esse tipo de tratamento tem o objetivo de reduzir a altura da pele que cresceu na cicatriz, bem como despigmentar a região para que a cor da pele fique mais homogênea. Esse tratamento é feito em conjunto com o uso de curativos compressores ou de injeções de corticosteroide.

Crioterapia

Esse tratamento é usado em alguns casos de câncer de pele para os quais a cirurgia não é recomendada. Na crioterapia usa-se uma determinada quantidade de nitrogênio líquido injetado na pele para congelar o problema. Vai reduzir seu tamanho e sua dureza.

Que médico consultar e quando?

Queloide que médico consultar
Crédito: Dr. Rodolfo Oliveira

O médico que você deve consultar para tratar é o dermatologista, especialista em tratar da pele, do cabelo, das unhas e das mucosas do corpo. Você só precisa procurar o médico se ele estiver atrapalhando a sua rotina, seja por causa de dor, coceira excessiva, dificuldade de movimentar a parte do corpo afetada ou se estiver sentindo-se muito mal com a aparência da pele.

Quem tem queloide pode fazer tatuagem?

Até pode, mas vai correr o risco de ter uma grande cicatriz depois. Além disso, tem também o tipo que pode surgir por causa de alergia à tinta da tatuagem. Para prevenir que isso aconteça, escolha um estúdio de tatuagem que use produtos de boa qualidade e peça para o tatuador fazer um teste antes.

Ele pode tatuar apenas uma bolinha em alguma parte do seu corpo e você espera alguns dias para ver se vai acontecer alguma reação alérgica. Se sim, evite a tatuagem ou procure por outro tipo de tinta para fazer um novo teste.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading…

0
Comentários
remedios para dor de cabeca
Remédios para dor de cabeça mais conhecidos
sintomas TPM
TPM: o que é, sintomas e como aliviar