em

Meningite bacteriana: sintomas, transmissão e prevenção

Essa doença é considerada gravíssima, por isso é essencial conhecer os sintomas para buscar ajuda médica imediata

meningite bacteriana
Crédito: Freepik

A meningite bacteriana é uma doença que, como o nome sugere, é causada por bactérias que atacam as meninges, membranas que ficam em volta do cérebro e da medula espinhal. Existem outros tipos de meningite causadas por vírus, fungos, parasitas, medicamentos e tumores, mas a bacteriana é a mais perigosa devido à gravidade.

De acordo com o Ministério da Saúde, essa doença é do tipo endêmica, ou seja, que é bem comum e esperado ocorrer todos os anos na forma de surtos e epidemias em determinadas regiões. No caso da bacteriana, os casos são mais recorrentes no outono e no inverno. Conheça mais sobre os riscos dessa doença e como se prevenir.

Sintomas de meningite bacteriana

É muito importante conhecer os sintomas da meningite bacteriana para que possa procurar um médico imediatamente, já que a doença é muito grave. Veja quais são os principais:

Sintomas de início súbito

Em crianças, jovens, adultos e idosos, os primeiros sintomas da doença são febre, dor de cabeça e rigidez do pescoço. Esses sintomas são mais difíceis de perceber nos bebês, exceto a febre, que não deve ser ignorada.

Sintomas seguintes

Nos dias seguintes ao contágio, é comum que a pessoa infectada sinta um mal estar geral do corpo com náuseas, vômito, sensibilidade à luz e confusão mental.

Sintomas nos bebês

Os bebês terão febre, vômito, irritabilidade, não irão responder aos estímulos que recebem, vão ficar apáticos. A moleira pode ficar protuberante, os reflexos anormais e eles não sentirão fome.

Sintomas do tipo meningocócica

Quando a doença ocorre pela bactéria Neisseria meningitidis, também são comuns sintomas como mãos e pés frios, fadiga, calafrios, diarreia, respiração rápida, manchas vermelhas pelo corpo e dores severas nas articulações, músculos, peito ou abdômen, já que esse tipo afeta a corrente sanguínea.

Transmissão

A meningite bacteriana é transmitida de pessoa para pessoa a por meio de secreções e gotículas que saem do nariz e da garganta da pessoa infectada e entram em contato com as pessoas próximas. Os tipos de bactérias Listeria monocytogenes e Escherichia coli também são transmitidas por meio dos alimentos.

É preciso ter muito cuidado, pois pessoas chamadas “portadoras” também podem transmitir a doença quando transportam essas bactérias no corpo sem apresentar sintomas. Por isso que a vacinação é a melhor forma de prevenção, já que mesmo uma pessoa aparentemente saudável pode estar infectada e não saber.

Vacinas

Pessoas de todas as idades correm o risco de serem afetadas pela meningite bacteriana, que pode ser causada por diferentes tipos de bactérias, entre elas:

  • Neisseria meningitidis
  • Streptococcus pneumoniae
  • Mycobacterium tuberculosis
  • Haemophilus influenzae
  • Listeria monocytogenes
  • Treponema pallidum
  • Escherichia coli

Deve-se ter cuidado especial com crianças abaixo dos 5 anos de idade e idosos debilitados. Esse cuidado é feito por meio de vacina, disponível gratuitamente, durante o ano inteiro, em qualquer Unidade de Saúde. Ela também deve ser aplicada em meninos de 11 a 14 anos e meninas de 9 a 14 anos de idade.

Diagnóstico

Assim que os sintomas forem percebidos, mesmo que leves, não fique na dúvida. A pessoa afetada deve ser levada ao médico imediatamente para ser avaliada. Se houver suspeita da doença o médico pedirá exames de sangue e uma amostra de líquido cerebroespinhal para ser avaliado em laboratório e identificar qual é o tipo de meningite que afetou o paciente e, então, poder aplicar o tratamento mais adequado.

Tratamento

O tratamento deve ser feito no hospital, com internação, fazendo uso de antibióticos que são os tipos de medicamentos feitos para combater bactérias. O tipo de antibiótico vai depender do tipo de bactéria que afetou o paciente.

Prevenção

A melhor forma de prevenção da meningite bacteriana é a vacina que deve ser aplicada nas pessoas de todas as idades, desde bebês até idosos. Também é importante ter o cuidado de evitar permanecer em ambientes com aglomero de pessoas, manter a casa limpa e ventilada e procurar não manter contato com muitas pessoas quando estiver com o organismo debilitado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading…

0

Comentários

receitas de arroz doce

Receitas de arroz doce para a sobremesa

lustra móveis caseiro

Como fazer lustra móveis caseiro