em

Idosas deixam casa ilhada depois de anos cavando terreno com colher de pedreiro

Do solo escavado para o alicerce da casa são quase dois metros de diferença

Crédito: Reprodução TV Gazeta

A casa é quase um lugar sagrado, de encontro, trabalho e descanso. Cada pessoa ou família tem sua forma própria de lidar com ela, de se sentir e de cuidar. Porém, algumas vezes, observa-se impressões muito distintas em algumas, como foi o caso dessas duas idosas. As duas idosas que passaram oito anos retirando terra a ponto de deixar a casa ilhada. Do solo escavado para o alicerce da casa são quase dois metros de diferença. Você consegue imaginar como elas conseguiram isso? E pior: com apenas uma colher de pedreiro, sacos e baldes.

Você deve estar se perguntando o que levou duas idosas a deixarem sua casa ilhada, cercada por uma cratera. Pois é isso o que os profissionais que as acolheram estão também investigando. O fato concreto é que foram 8 anos de escavação. Onde estavam os filhos e familiares? Será que não sabiam do que estava acontecendo?

Veja também: por R$ 4,99 você pode comprar um serviço de mensagem pós-morte

Idosas deixam casa ilhada

Idosas deixam casa ilhada entenda
Crédito: Reprodução TV Gazeta

O caso aconteceu em Benedito Bentes, em Maceió. Todos os dias, de segunda a sexta, Maria Rita e Maria José acordavam de madrugada para começar seu trabalho. De acordo com o depoimento de vizinhos, elas começavam a escavar às 3 da manhã e só paravam depois do sol se por. O mais surpreendente é que elas faziam isso apenas com uma única colher de pedreiro.

Elas se revezavam entre escavar e carregar os baldes, despejando o entulho no campo. Semanalmente, a prefeitura retirava uma caçamba de terra dali. Depois que foram proibidas, começaram a jogar na parte de trás de uma escola local. Depois de perceber o ocorrido, a escola realizou a limpeza e impediu as idosas de jogar novamente.

Com isso, elas passaram a jogar na rua mesmo, colocando seus vizinhos e a si próprias ainda mais em risco. Por não ter sustentação, os muros estão trincados e a fundação da casa comprometida. Há vazamentos na parte de fora da mesma e a tubulação está apoiada em pilhas de tijolos. A situação é grave, mas outro ponto é ainda mais.

O que leva duas irmãs a cavarem um terreno por 8 anos seguidos, somente com uma pá? E onde estava essa família que não resolveu o problema? Eles foram avisados por vizinhos, quando eles notaram as rachaduras há 3 anos e não resolveram. Com a situação extremada, os próprios vizinhos decidiram ajudar as idosas e evitar problemas ainda maiores.

Com isso, elas receberam a visita da equipe de Saúde Mental da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), para recolher as idosas e tratar devidamente. Ela foi acompanhada pela equipe do Centro de Atenção Psicossocial (Caps). Em parceria, recolheram as senhoras e colocaram à disposição uma psiquiatra, uma enfermeira e um médico. Assim podem avaliar a saúde física e mental de ambas.

A Defesa Civil já analisou o caso e solicitou o reaterramento, para que a região possa voltar a ficar em segurança. Serão necessárias diversas caçambas de terra e muitas mãos para repor o que as duas idosas – sozinhas – retiraram. Dentro da casa, foram encontrados somente dois colchões, uma geladeira e um fogão. Caso triste de abandono e talvez de agravamento de problemas anteriores.

É complicado julgar sem conhecer todos os fatos envolvidos, mas à primeira vista percebe-se muita falta de humanidade. Veja mais detalhes na reportagem abaixo.

Suar emagrece: mito ou verdade?

empadão de carne

Empadão de carne: 8 receitas deliciosas de forno para experimentar