Homem investigado por omitir HIV
Crédito: Freepik
em

Homem investigado por omitir HIV teria transmitido o vírus para 3 mulheres

Na Flórida, essa atitude é considerada crime grave de primeiro grau

Um estadunidense está sendo investigado por omitir HIV de suas parceiras. Agora, pelo menos três mulheres estão infectadas e reclamam por justiça, já que é obrigatório informar, caso tenha a doença.

De acordo com o Ministério da Saúde, HIV é a sigla em inglês do vírus da “imunodeficiência humana. Causador da AIDS, ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças”. Ela pode ser transmitida de mãe para filho, através do compartilhamento de seringas e também na relação sexual desprotegida.

E foi exatamente o que aconteceu com essas mulheres, que acusaram Gentry Burns de não ter dito ser portador do HIV. Um caso que vem levantando muitas discussões acerca da questão da proteção durante o ato sexual e a importância de se seguir, não somente as leis do país, mas também as regras básicas de segurança.

Ele omitiu HIV e contaminou 3 mulheres

Gentry é portador do vírus HIV e, de acordo com a lei da Flórida, onde vive, ele deve contar aos parceiros sexuais que tem a doença. Não dizer que está com uma DST e ter relações é visto como crime. O caso é ainda mais grave quando a doença é a AIDS, sendo considerado um crime grave de primeiro grau, através da lei de atos ilícitos.

Além disso, tem que haver o consentimento por parte do parceiro, preferencialmente por áudio ou escrito. Isso porque se “você for acusado de um crime de DST na Flórida, não poderá ser condenado se puder provar que a pessoa com quem você se envolveu em atividade sexual foi informada do status de sua doença e consentiu no contato”.

Mas não foi isso o que aconteceu com essas mulheres. Gentry já tinha sido preso por abusos sexuais e parece que não aprendeu absolutamente nada. Ele tem a doença diagnosticada desde 2014, sendo informado de todos os seus direitos e deveres, inclusive legais. Desde então, tem a obrigação de contar da condição antes do sexo.

Com apenas 26 anos, ele já tem três acusações e, com a repercussão do caso, provavelmente muitas outras aparecerão. Claro que, se comprovado, ele terá que pagar pelo crime, voltando para a cadeia, mas e as mulheres contaminadas? Elas terão que seguir a lei, da mesma forma que ele e pensar muito melhor antes de ter mais nenhuma relação desprotegida.

Como prevenir DSTs

E de pensar que elas poderiam ter evitado a doença somente tomando cuidados básicos e quase obrigatórios, durante o ato sexual. O uso de preservativos não evita somente a gravidez, impede que vírus como o HIV e outras DSTs entrem em contato com o seu corpo. Dessa forma, é fundamental usar, porém não é a única medida de proteção. Veja como prevenir as doenças sexualmente transmissíveis:

  • Preservativo: claro que esse é o primeiro ponto a se ter atenção. O uso do preservativo, seja no sexo vaginal, anal ou oral, é fundamental para evitar a transmissão de doenças;
  • Comportamento: o uso de seringas e material hospitalar compartilhado é uma fonte dessas doenças. Use apenas o que é descartável;
  • Exames de rotina: toda pessoa sexualmente ativa deve ir ao menos uma vez ao ano no médico para fazer exames de rotina;

Claro que não pode ficar de fora o amor próprio e o bom senso. Se na hora H, ele ou ela não querem usar a camisinha, é melhor desistir (e pensar mais alto que seus hormônios). O sexo seguro é importante não somente para você, seu parceiro, mas para toda a sociedade, refreando uma epidemia cujo controle, depende de cada um.

Viver o agora pode ajudar a diminuir a ansiedade no dia a dia

Viver o agora pode ajudar a diminuir a ansiedade no dia a dia

Mulher descobre câncer de mama e gravidez na mesma consulta