Herpes labial está relacionada à queda de imunidade
Crédito: Freepik
em

Herpes labial está relacionada à queda de imunidade

É comum que a herpes apareça sempre que a imunidade baixar. Saiba o que fazer

Publicidade

Muitas pessoas sofrem com herpes labial todas as vezes em que a imunidade dá uma baixa. É um incômodo que pode, sim, ser evitado, se feito o tratamento correto. Veja então quais são as formas mais comuns que os médicos recomendam.

Herpes labial e imunidade

De acordo com o Ministério da Saúde, através do BVS, “o herpes labial, assim como a gengivo-estomatite herpética e a faringite herpética, provocam lesões ao redor da boca e são causados na maioria das vezes pelo HSV 1”. Cerca de 90% das pessoas têm esse vírus, sendo que o tipo genital atinge uma parcela muito menor, de 20%.

A herpes ainda não tem cura, mas pode ser controlada. Além disso, existem diversas varações do vírus, sendo que algumas são praticamente inofensivas e podem ser encontradas em quase todas as pessoas adultas. Porém, quando a imunidade cai, eles acabam se manifestando. A forma mais comum é a pústula labial, que tanto incomoda quem sofre com isso.

Além da queda na imunidade, se a pessoa tiver tendência, o uso de medicamentos também pode incentivar o surgimento das feridas. Como exemplo, estão os corticoides e imunossupressores. Também a situação emocional, estresse ou até mesmo um simples resfriado pode causar o problema. Mas tem como amenizar e até evitar o surgimento da crise com tratamento adequado.

Publicidade

Tratamentos

Primeiro de tudo, é fundamental que a pessoa procure ajuda médica, pois a automedicação pode agravar o caso. Entretanto, algumas medidas são bem comuns e podem trazer ótimos resultados, se prescritas corretamente. Claro que o foco principal deve ser manter a imunidade em dia, com hábitos de vida saudáveis.

Entre eles, é fundamental manter uma boa alimentação, sempre com foco em fortalecer seu sistema imunológico. Atividades físicas também ajudam a manter o corpo saudável e funcionando corretamente. É importante também tomar ao menos um pouco de sol todos os dias, para que seu corpo resista melhor às infecções. Porém há outras medidas que também podem ser tomadas.

Veja também: melhores alimentos para aumentar a imunidade

Publicidade

Medicamento antiviral

Seja com o uso de pomadas no local onde a lesão apareceu ou com o uso de comprimidos, os medicamentos antivirais são sempre uma boa opção. Porém, isso só é interessante para pessoas que não sofram com crises recorrentes. Sendo então um paliativo para momentos de crise, sempre com recomendação médica.

Primeiros sinais

Outro tratamento é mais relacionado a uma ação ativa diante da possibilidade do surgimento da lesão. Ao aparecerem os primeiros sinais, a pessoa já toma um comprimido antiviral para evitar que a doença se fortaleça. Consequentemente, será mais fácil tratar a lesão ou se pode até impedir que ela se desenvolva.

Supressivo

Para quem sofre muito com as crises e acaba ficando com a boca lesionada muitas vezes ao ano, uma boa medida é agir de forma supressiva com o vírus. Assim, o paciente toma o remédio antiviral por um determinado período de tempo – sempre com recomendação médica. Então dá pausas e depois volta a tomar, evitando assim que o vírus se fortaleça. Consequentemente, as crises diminuem.

Publicidade
Infecção por roer as unhas homem passa por cirurgia de emergência e quase morre

Infecção por roer as unhas: homem passa por cirurgia de emergência e quase morre

Baratas transmitem doenças

Baratas transmitem doenças: mito ou verdade?