escabiose
Crédito: Freepik
em

Escabiose: sintomas, o que é e qual o tratamento para a sarna

Já ouviu falar em escabiose? Ou quem sabe as palavras sarna ou pereba já lhe são mais familiares?

Escabiose é o nome da doença vulgarmente conhecida por sarna e que consiste na infecção provocada pelo ácaro Sarcoptes scabiei. Essa doença é contagiosa e pode ser facilmente propagada por pessoas que compartilhem uma casa, escola ou escritório.

Esse ácaro tem uma vida média de 30 dias. Aloja-se na pele, onde se alimenta e reproduz. Enquanto o macho morre depois do ato de reprodução, a fêmea esconde-se na pele. Lá, ela liberta os seus ovos que vai chocando até ao fim da sua vida, pode chegar até aos 60 dias.

Durante esse período, a fêmea liberta entre 2 a 3 ovos todos os dias. Os parasitas novos encaminham-se para a superfície da pele, onde amadurecem e provocam lesões. Podem ainda espalhar-se por outras partes de corpo, sem ser aquelas em que serão mais facilmente localizados. Isso por causa das lesões que provocam, facilitando a locomoção.

Sintomas de escabiose

escabiose sintomas
Crédito: HealthLine

Os sintomas da sarna humana são bem claros e fáceis de detectar. De acordo com a biblioteca virtual em saúde (BVS), o paciente deve ser orientado a ter cautela com relação ao contágio e tratamento. De acordo com as orientações da mesma, esses são os principais sintomas:

1. Pápulas

Um dos sintomas da sarna humana é a presença de pápulas, ou seja, pequenas lesões ou carocinhos na pele, que têm menos de 1 cm ao todo.

São formados diversos deles, em uma única região, espalhando-se aos poucos. Eles podem ser avermelhados, rosados, da cor da pele, arroxeados ou castanhos. Você percebe a sua presença, tanto visualmente quanto ao toque, o que deve ser evitado.

2. Bolhas d’água

Em um grau um pouco mais avançado, podem surgir também bolhas d’água, espalhando-se entre as pápulas. Elas, quando esfregadas durante o atrito, podem romper e causar, além da coceira já presente, ainda mais feridas. As bolhas surgem de inflamações locais, em áreas que já foram coçadas com maior intensidade, causando lesões na pele.

3. Coceira noturna

Um dos sintomas mais claros da sarna humana é a coceira noturna, de forma intensa e quase incontrolável. Ela piora depois de um banho quente ou quando se está deitado, pronto para dormir.

Isso acontece por causa do aquecimento da região, que estimula não somente a inflamação, mas também o desenvolvimento do parasita. Isso faz com que a quantidade de toxinas também se eleve, agravando o prurido.

4. Locais das lesões

Em pessoas adultas saudáveis, com o sistema imunológico relativamente forte, os principais locais, de acordo com a BVS, são os “punhos, entre os dedos, mamilos, axilas, abdômen, nádegas e genitália. Nas crianças pode acometer o couro cabeludo, palmas das mãos e plantas dos pés”. Pode também atingir outras partes do corpo, mas são casos mais raros.

É importante lembrar que, além dos sintomas clínicos, pode-se ter a confirmação da doença através de exames laboratoriais. Para isso, se coleta parte da pele e envia para análise, sendo assim analisada no microscópio, para confirmar ou negar a presença do parasita.

Como se pega?

A escabiose ou sarna é transmitida pelo contágio entre pessoas que tiveram contato próximo. Dessa forma, a situação que é verificada mais vezes é a transmissão entre familiares que habitem na mesma casa. O contato íntimo também permite que a infecção seja transmitida.

Lugares como creches, lares de idosos, presídios, escritórios e outros locais que promovam o contato frequente entre as pessoas são lugares onde há mais condições para que ocorram surtos da doença. Da mesma forma, são formas de contaminação ambientes com aglomerações, compartilhamento de toalhas, lençóis e roupas.

Apesar das relações normais entre crianças e adolescentes em contexto escolar normalmente não sejam por si uma forma certeira de contaminação, todo o cuidado é pouco. Até um simples aperto de mão é suficiente para que os parasitas troquem de alvo. Além disso, você saiba que esse ácaro tem a capacidade de sobreviver até dois dias no ambiente? Então cuidado e higiene sempre.

Tratamento

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), “o tratamento consiste em usar medicamentos tópicos ou uso de medicamentos orais. A escolha vai depender das características da doença em cada paciente e das suas condições gerais de saúde. Portanto, o tratamento é individualizado pelo médico para cada paciente”.

Os tratamentos mais frequentes para a escabiose são feitos com Permetrina 5% ou a Ivermectina, administrada oralmente. Ambos os tratamentos têm taxas de sucesso eficazes. No entanto, a indicação da Ivermectina é mais usual em surtos que tenham atingido várias pessoas, pela sua simplicidade de aplicação.

Lembre que pode ser importante avaliar toda a família e que há um tempo entre a contaminação e a manifestação dos primeiros sintomas. Importante ressaltar que qualquer medicamento deve ser recomendado pelo seu médico de confiança, pois cada organismo reage de forma única e somente um profissional qualificado pode receitar com segurança.

Prevenção

A melhor forma de prevenção da escabiose é evitar o contato com pessoas que tenham a doença, assim como locais com grande aglomeração. Evitar também compartilhar toalhas de banho, roupas, lençóis e similares, pois podem estar contaminados.

O contato sexual também pode aumentar as chances de contrair a doença, pois o ácaro fica muitas vezes alojada nas regiões íntimas. Saiba mais no vídeo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading…

0

Comentários

chás para asma

5 Melhores chás para asma e bronquite

problema no coração

Problema no coração: 7 sintomas mais comuns