Crédito: Freepik
em

Empatia: o que é e qual a importância nos dias atuais?

Não faça aos outros o que não gostaria que fizessem a você

Publicidade

Todo mundo fala muito sobre ter empatia. Virou uma palavra bastante popular, mas, você já parou para pensar sobre o que é empatia e como esse sentimento é tão importante nos dias de hoje, principalmente para melhorar as relações entre as pessoas nas redes sociais? Vamos fazer uma breve reflexão.

O que é empatia?

No dicionário, a empatia é uma forma de identificação intelectual ou afetiva de um sujeito com uma pessoa, uma ideia ou uma coisa.

Dois exemplos: a empatia entre os voluntários e a população local era evidente; assistimos à perfeita empatia entre piano e violino.

Já na visão da psicologia, a empatia é definida como a capacidade de sentir ou compreender o que a outra pessoa está passando, mas do ponto de vista dela, e não do seu. Na psicologia, existem três tipos de empatia: a cognitiva, a emocional e a compassiva.

Publicidade
  • Empatia cognitiva é a capacidade de entender como o outro sente e, até mesmo, o que ele está pensando. Esse é o tipo necessário e muito usado por comunicadores e outros profissionais que precisam compreender um público para transmitir uma informação de forma clara e eficaz.
  • Empatia emocional (ou afetiva) a capacidade de compartilhar os mesmos sentimentos de outro indivíduo. É bem importante para criar uma conexão com as pessoas em todas as esferas da vida.
  • Empatia compassiva vai além de apenas compreender e compartilhar sentimentos. A pessoa age e ajuda os outros por compreender, de forma clara, seus sentimentos e pensamentos.

Empatia no dia a dia

Então, na prática do dia a dia, podemos aplicar a empatia para nos colocarmos no lugar do outro antes de fazer qualquer julgamento, com a intenção de entender uma situação por perspectivas diferentes, além da nossa.

Não seria ótimo se uma pessoa chegasse até você e perguntasse o motivo de uma atitude sua, antes de começar a lhe julgar de forma errada e xingar, sem nem conhecê-lo?

A empatia pode ser vista como uma forma mais respeitosa e sensível de lidar com as pessoas. É você refletir antes de julgar; pensar em como a sua fala ou a sua atitude pode afetar a vida do seu semelhante, e mudar o que ia dizer ou fazer, depois de perceber que iria gerar um conflito ou uma ofensa.

Publicidade

Por que é tão importante ter empatia nas redes sociais?

A empatia sempre foi importante, mas antes não se falava nisso e, como consequência, se praticava menos.

Agora se fala muito, mas ainda estamos em um processo de aceitação, compreensão e prática desse sentimento.

A verdade é que fica mais fácil compreender e aceitar a importância da empatia quando você já foi vítima de alguém sem empatia. E atualmente, com as redes sociais, passar por isso é muito mais frequente do que quando não havia internet.

Publicidade

Ao mesmo tempo em que a era da internet nos permitiu estar em contato com o mundo e milhares de pessoas sem sairmos de casa, também trouxe uma liberdade perigosa de expressarmos nossas ideias.

O perigo está justamente na facilidade em dizermos qualquer coisa sem uma reflexão prévia, pois nos sentimos protegidos, escondidos atrás de uma tela, e podendo simplesmente ignorar as respostas que recebemos.

Como resultado, começamos a fazer parte de um círculo de ódio, preconceitos e desinformação, que acaba refletindo na vida presencial, cara a cara com as pessoas. Nos tornamos menos tolerantes, mais preguiçosos intelectualmente, mais frios e rasos.

Publicidade

Atitudes empáticas ao usar as redes sociais

  • Pense antes de fazer um comentário sobre uma pessoa: será que pode ser ofensivo pra ela, na visão e na situação dela?
  • Reflita antes de dar uma opinião, quando sua resposta não depender apenas da sua experiência com a situação.
  • Não faça comentários em momentos de raiva, apenas jogando sua frustração sobre os outros.
  • Se não puder ou quiser ajudar com algo que alguém está pedindo em uma publicação, não precisa fazer um comentário negativo. Apenas deixe passar.
  • Você tem direito a dar sua opinião, desde que ela não se enquadre em um crime de intolerância (racismo, homofobia, machismo).
  • Você pode dar a sua opinião porque tem liberdade para se expressar, mas tenha o bom senso de refletir se a sua opinião é mesmo necessária e construtiva.
  • Leia sobre os assuntos do seu interesse, busque conhecimento em fontes confiáveis, antes de fazer comentários.
  • Olhe para as pessoas com boa intenção, procure enxergar primeiro os pontos positivos, pense primeiro em elogiar.

Artigo com informações de Instituto de Psicologia Aplicada

Diferenças entre sinusite e rinite

Diferenças entre sinusite e rinite: sintomas e tratamentos

Icterícia no bebê

Icterícia no bebê: o que é, características e tratamento