em

Dieta perfeita para se ter um intestino saudável e limpo

Entenda como seu intestino influencia na sua saúde, e como limpá-lo

Você sabia que muitos dos problemas do nosso corpo acontecem por causa do mau funcionamento do intestino? Muitas alergias, dores de cabeça, problemas na pele e outros podem ser causados por intestino sujo. Entenda melhor e veja como resolver nesse artigo.

Funcionamento do intestino

Após a mastigação, os alimentos são encaminhados para o estômago, onde são digeridos parcialmente. Em seguida, seguem para o intestino, local onde ocorre parte importantíssima do processo digestivo, pois é lá onde são absorvidos os nutriente, eliminando assim o que não é mais útil para o corpo.

O intestino colabora também com os rins, pele e pulmões para eliminar detritos do corpo, mas há uma parte que é ainda mais importante do que as outras, o cólon.

O intestino grosso e o reto são fundamentais para a manutenção da saúde do organismo. É lá que se absorve a água, as proteínas e boa parte dos medicamentos utilizados.

No mínimo 3 vezes ao dia, passam em nosso intestino os alimentos que consumimos nas refeições.

Intestino e as doenças

Depois que o cirurgião inglês Arbuthnot Lane percebeu no século 20 que, ao fazer amputações no intestino, outras doenças acabavam sendo curadas, ele se convenceu de que a intoxicação no intestino acabava adoecendo outras partes do corpo.

Atualmente, discute-se ainda a influência da contaminação do intestino sobre problemas como câncer, alergias, na pele e de intolerância, pois de acordo com o Dr. Bernard Jensen, a medicina estuda venenos e contaminações externas como causas de doenças e se esquece de avaliar aqueles criados no próprio intestino.

Os mais antigos, munidos da sabedoria popular, faziam periodicamente a limpeza intestinal, mantendo a saúde por muito mais tempo. Devemos lembrar que o intestino tem aproximadamente 9 metros. Imagine tudo isso contaminado, deve fazer alguma diferença, não é mesmo?

A pele é uma das primeiras a mostrar que o intestino está sujo, com o aparecimento de cravos, espinhas e outras erupções. Infelizmente, ao invés de atacarmos a origem do problema, recorremos a mais compostos químicos que terão que ser processados pelo intestino, alimentando o ciclo.

Problemas no intestino

Quando as paredes do intestino, especialmente do cólon não estão limpas e saudáveis, a mucosa pode vir a inflamar, perdendo assim a camada protetora que evita que as toxinas lá presentes se espalhem pelo organismo, através do sangue e da linfa.

Mas a influência do intestino vai além disso. Vamos conhecer algumas particularidades juntos.

1. Incrustações fecais

De acordo com o Dr. Arnold Ehret, nós carregamos muitos quilos de substâncias nunca eliminadas, desde a infância. O consumo de farinha branca tem aumentado muito, e as pessoas se esqueceram de que ela era utilizada para fazer cola para os livros antigos.

A medida em que nos alimentamos com farinha branca, ela vai deixando resíduos no intestino, criando uma camada sobre suas paredes. Esse acúmulo acaba estreitando o canal, tornando difícil a passagem do bolo fecal.

Aliando essas incrustações a uma alimentação desregulada, uso de remédios alopáticos, sedentarismo e poluição, têm-se uma bomba, acumulando toxinas e desregulando a flora intestinal.

2. Disbiose intestinal

O desequilíbrio da flora intestinal tem o nome de disbiose e tem consequências ruins para o organismo, como por exemplo diverticulites, pólipos, retocolites e tumores.

As principais causas desse desequilíbrio são a alimentação desequilibrada, uso de laxantes, antiácidos, antibióticos e outros que criam um bolo estranho ao organismo, facilitando o desenvolvimento de bactérias danosas e toxinas.

3. Síndrome do intestino irritável

Muito comum hoje em dia, essa doença consiste na lentidão do trânsito intestinal, causado por pressões do mesmo sobre os alimentos ingeridos. É normalmente causado por estresse e ansiedade.

Essa pouca velocidade é estimula a presença de fungos, parasitas e bactérias maléficas ao organismo, como o Blastocystis hominis e a cândida, podendo levar a doenças autoimunes, infecções diversas, sensibilidade química, fadiga crônica, câncer e outros.

4. Síndrome de hipermeabilidade intestinal

Quando a mucosa do intestino perde a sua capacidade de impermeabilização, ou seja, quando a distância entre as células que a compõe aumenta, perde-se a proteção, deixando que as toxinas e bactérias presentes no intestino, sejam distribuídas por todo o corpo.

Ela pode ser a causadora da doença celíaca, infecções diversas, eczema atópico, problemas no estômago, cansaço, alergias e intolerância alimentar, asma e outros. Reduz também a imunidade, abrindo portas para muitas outras doenças.

5. Doença celíaca

A doença celíaca é conhecida como uma doença autoimune, onde o organismo cria defesas contra o glúten ingerido, causando diversos incômodos e danos, podendo levar a morte.

O glúten é uma proteína, nada demais. Porém, a alimentação moderna, prática e vazia está sobrecarregando o organismo com essa proteína, fazendo com que o corpo não consiga processá-la devidamente. Toda a produção hoje é modificada para que possa ter mais glúten, tornando a industrialização mais rentável.

O interessante é que a resposta imunológica da alergia ao glúten é similar a de outros processos alérgicos alimentares. Qual será o elo de ligação?

Como resolver os problemas do intestino

O uso indiscriminado de laxantes destrói a flora intestinal, danificando a mucosa que o protege. Para que se possa limpar e cuidar do intestino, pode-se recorrer a lavagens intestinais, conhecidas como hidrocolonterapia, sempre com acompanhamento médico.

Há outra forma de cuidar da saúde do intestino, a alimentação detox.

Dieta detox para a saúde do intestino

Para cuidar ou tratar o intestino, é interessante fazer uma alimentação detox por um curto período de tempo, como a que vamos mostrar agora. Acompanhe!

Ao acordar

  • 1 fruta fresca
  • água saborizada na noite anterior com figos ou ameixas secas
  • 1 copo de kefir, iogurte natural ou coalhada
  • Nada de farinha ou açúcar!
  • Beba muita água e sucos naturais ao longo do dia, sem açúcar

Almoço

  • Variar a alimentação, eliminando os carboidratos compostos, açúcar e glúten
  • Alterne entre arroz, quinoa, muita verdura e legumes crus
  • Escolha frango ou peixe durante esses dias, preferencialmente cozidos ou grelhados

Jantar

  • Manter a regra do almoço
  • Se quiser, pode substituir o cereal por inhame, mandioca ou batata doce
  • A proteína pode ser frango ou peixe, bem como ovos, queijos, iogurte natural ou coalhada
  • Nada de carnes vermelhas!
  • Evita a soja

Coma muitas frutas, e beba ao menos 2 litros de água por dia. Tome sol para que seu organismo possa se beneficiar da vitamina D.

Evite o consumo de açúcar, cafeína, leite de vaca, carnes vermelhas, gaseificados, suco de caixinha ou pó, pães e biscoitos em geral.

Consulte seu nutricionista e veja quantos dias o seu organismo precisa dessa dieta e aproveite para modificar alguns hábitos alimentares nocivos à sua saúde.

As dicas deste artigo não substituem a consulta ao médico. Lembre-se que cada organismo é único e pode reagir de forma diferente ao mencionado. E para obter os resultados mencionados também é preciso aliar a uma vida e alimentação saudável e equilibrada.

Gostou das dicas? Compartilhe!

15 Comments

Leave a Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading…

0

Mulheres que falam palavrão odeiam ouvir essas 12 frases

Menina tropeça e tem olho perfurado por uma caneta