em ,

Conheça o jeito mais eficaz de fazer dieta e ver resultados

Para começar, o termo “dieta” já remete à dificuldade e restrição. Este não é o objetivo de uma verdadeira reeducação alimentar.

Uma das maiores batalhas que milhares de pessoas vivem atualmente é contra a balança. Alguns por estética, outros por saúde. Quem deseja ou precisa perder peso encontra muitas dificuldades em transformar a rotina alimentar que o acompanhou a vida inteira. Isso provoca um estresse ainda maior do que já vivem por sofrerem com o excesso de peso.

Mas por que será que é tão difícil mudar os hábitos alimentares e manter uma rotina de atividades físicas para emagrecer?

Os hábitos que adquirimos ao longo da vida acabam ajudando a construir quem somos. Nossos gostos, desejos, o que nos conforta ou nos irrita. Através dos hábitos definimos nossa zona de conforto e uma rotina para organizar e executar nosso estilo de vida.

O que acontece é que estes hábitos ficam gravados em nosso cérebro, de forma física. Realmente fazem parte da nossa estrutura, assim como nossos órgãos e membros. Por isso é tão difícil mudá-los, exceto sob uma única e poderosa condição: a motivação!

Uma pessoa realmente motivada é capaz de transformações assombrosas, não importa qual tarefa esteja disposta a cumprir. A motivação é responsável por estimular o foco e a determinação: fatores essenciais para que a pessoa consiga repetir sua tarefa dia após dia até alcançar seu objetivo.

E ao repetir a tarefa diariamente, substituindo atividades antigas por novas, o cérebro vai se reformando para comportar os novos hábitos, fazendo com que eles sejam duradouros, e não apenas passageiros.

Este é o objetivo da reeducação alimentar: ser para sempre, e não uma dieta de alguns dias para que os velhos costumes voltem e a pessoa ganhe todo o peso que havia perdido com sacrifício. Sofrer não é a intenção, mas sim, transformar sua visão sobre saúde e qualidade de vida, aguçando o prazer por novos sabores e atividades.

Como despertar a motivação?

Depois de compreender como os hábitos se criam no nosso cérebro e qual é o fator capaz de gerar uma mudança efetiva, a pergunta é: como despertar a motivação?

Restrições bloqueiam o cérebro. A começar pelas dietas restritivas, elas não funcionam. Uma verdadeira reeducação alimentar organiza as quantidades, a variedade e os períodos em que a pessoa deve comer, conforme as necessidades do seu organismo, em particular.

Não é preciso eliminar todos os alimentos que mais gosta e que lhe trazem prazer. Afinal, o ato de comer, para todos os humanos, é muito mais do que uma necessidade biológica para nos manter vivos. Ele envolve nossas emoções, aguça nossos sentidos e reflete nas nossas decisões e comportamentos.

Outro fator crucial para uma verdadeira mudança de hábitos e a conquista do grande objetivo de perder peso e levar uma vida mais saudável é o apoio e a parceria de outras pessoas. Vivemos em sociedade, somos influenciados por outros humanos, impactados por exemplos, sejam eles bons ou ruins.

Quando uma pessoa ouve palavras positivas e de incentivo, vê casos de sucesso e conhece outras pessoas que compartilham do mesmo desejo que o seu, sua motivação desperta e ela passa a ver sentido no seu propósito. É isso que vai fazer com que ela queira manter o foco e a determinação para o sucesso.

Por isso, pessoas que anseiam ou necessitam mudar seus hábitos de vida, precisam de apoio constante de outras pessoas. Seja do companheiro, de um grupo de apoio, de amigos ou do nutricionista e do treinador.

O ambiente em que a pessoa vive, muitas vezes também precisa de mudanças para que ela mantenha-se motivada e longe das recaídas, principalmente na fase inicial da mudança, quando seu cérebro ainda está adotando os novos hábitos.

Poder contar com toda a família para não ter que abrir a geladeira e ver guloseimas quase irresistíveis, ajuda muito. Assim como morar em uma cidade que estimula a população a ter hábitos saudáveis, oferecendo ambientes públicos apropriados para a prática de exercícios e desenvolvendo ações de cunho educativo. Quanto maior for o grupo de apoio, maior será o engajamento e a facilidade para alcançar os resultados.

Todos estes fatores psicológicos e ambientais contribuem para uma mudança de comportamento natural, progressiva e saudável. Um estudo realizado pelas universidades de Princeton, da Califórnia e Rockfeller, publicado em 2001, apontou que em ratos que tiveram seu cérebro monitorado para o controle da ingestão de comida, a regulação do apetite foi afetada em diferentes campos do cérebro, atingindo fatores emocionais, e não somente influenciados pelo que comiam. Ou seja, o ambiente em que vivemos e as emoções que sentimos são altamente influenciáveis para os nossos hábitos de vida e a conquista efetiva de mudanças.

Compartilhe essa dica com aquela pessoa que pode entrar nesse processo de mudanças com você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading…

0

Comentários

São Paulo terá 15 feriados em 2018. Você ganha ou perde com isso?

Mulher relata drama de seu marido que perdeu pedaço do crânio após consumir energético