em

Cisto sebáceo: o que é, sintomas e como tratar

Entenda mais sobre esse problema comum e de fácil resolução

sobre cisto sebáceo
Crédito: Freepik

cisto sebáceo pode aparecer em qualquer idade, não representando nenhum tipo de risco para a saúde, no geral. Eles são benignos, mas podem inflamar e causar muita dor. Aparecem normalmente no rosto, pescoço, nuca e no tronco. São mais raros em outras partes, mas podem surgir nos membros e outras regiões.

Geralmente formam somente uma elevação na pele, mas podem ser esbranquiçados, amarelados ou até mesmo avermelhados. Quando inflamados, podem criar secreção e doer bastante, deixando o entorno sensível e vermelho. O ideal é não mexer e procurar um dermatologista para eliminação, caso esteja incomodando.

O que é?

Para a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), um cisto, em geral, é um nódulo benigno que se origina normalmente em regiões que tenham uma grande quantidade de glândulas sebáceas. Certamente pode-se citar o rosto, pescoço e o tronco como exemplos para locais comuns para o surgimento de cistos. Um dos mais comuns é o cisto sebáceo ou epidérmico.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), “é um nódulo semelhante a um caroço, da mesma cor da pele, esbranquiçado, ou amarelado, que tem tamanho variável e pode ser único ou múltiplo, com consistência dura, elástica, com flutuação ou pus quando inflamado”. Bastante comum, não deve ser motivo de preocupação, a não ser quando inflamado.

Como saber se o cisto sebáceo está inflamado?

cisto sebáceo inflamado
Crédito: Centro Médico Brasil

Normalmente, ele é um caroço fechado sob a pele, que tem em seu interior um material com odor nada atraente, chamado de sebum. Ele pode também apresentar um ponto na superfície, por onde o material interno pode ser expelido. Quando inflamado, você pode perceber que há uma certa flutuação do cisto, acusando a presença de líquido na região.

Outro sinal de que pode estar inflamado é a sua coloração, que fica mais avermelhada, tanto na região do cisto, quanto na pele ao redor. Além da alteração da cor, você pode perceber também um leve aumento da temperatura no local, além de muita dor, principalmente se for uma região de maior atrito ou que seja pressionada constantemente, como as nádegas, ao se sentar.

Causas

Existem algumas causas para que o cisto sebáceo se desenvolva, sendo necessária a junção de alguns fatores para isso.

1. Acúmulo de células mortas

Por vezes as células mortas não são eliminadas da pele e acabam, ao invés de se desprender, fixando-se sob a camada mais jovem de células. Isso leva à formação de um bloqueio para a normal circulação e reabsorção local.

Isso porque é formada uma camada protetora no entorno destas, fazendo com que essa cápsula impeça a reabsorção da queratina e do sebum. A partir disso, começa a acumular sebum, fortalecendo a cápsula com queratina, formando o cisto.

2. Lesões nos folículos pilosos

Os pelos do seu corpo têm origem nos folículos pilosos, que são estruturas prontas para que eles possam se desenvolver. Porém, se o seu funcionamento não está adequado, seja por algum problema interno ou por conta de uma lesão no mesmo, pode dar origem ao cisto epidérmico.

Isso acontece porque nessas lesões há maiores chances de que aquelas substâncias já citadas se acumulem. Ao acumularem, acabam dando origem à cápsula que impede a reabsorção, iniciando o processo do cisto.

3. Rompimento de uma glândula sebácea

As glândulas sebáceas estão em todo o corpo, mas se concentram principalmente na região superior do corpo. Dois exemplos são o rosto e o pescoço, exatamente os locais onde mais costuma aparecer cistos epidérmicos. Quando uma dessas glândulas se rompem, normalmente por conta de inflamações oriundas de acne ou espinhas, elas acabam acumulando sebum, o que leva a uma proteção do local, com a formação da proteção que impede sua reabsorção. Dessa forma, aparece o cisto, normalmente indolor e de maior dimensão do que as espinhas.

Também podem dar origem ao cisto: má formações durante o tempo em que o bebê ficou no útero, doenças inflamatórias, a exemplo da hidrosadenite, que gera cistos nas axilas e nas virilhas.

Tratamento

De acordo com a SBCD, você não deve mexer ou espremer o cisto, porque pode piorar a situação, inflamando-o e deixando-o ainda mais dolorido. Se tiver mais do que 1 cm, você deve recorrer a uma cirurgia, realizada em consultório mesmo, somente com anestesia local e o apoio de um médico qualificado.

Caso seja menor do que 1 cm, pode fazer o tratamento em casa, sempre com o acompanhamento de um médico de confiança.

Para tratar em casa, coloque uma bolsa com água bem quente (mais ainda suportável), por cima do cisto, todos os dias, por 10 dias. Cada seção deve levar 30 minutos, sendo duas seções ao dia. Pode ser que, caso já esteja propenso a tal, ele elimine secreção. O importante é que esse tratamento vai ajudar a dissolver a barreira criada, permitindo que a pele volte a reabsorver a queratina e o sebum.

Ainda assim algumas vezes é necessário que ocorra uma intervenção cirúrgica. Veja nesse vídeo quais são esses casos.

Menino guarda moedas, compra Fusca aos 10 anos

Menino guarda moedas, compra Fusca aos 10 anos e ensina pessoas a poupar aos 13

problema na tireoide cha verde

Por que quem tem problema na tireoide não deve tomar chá verde?