em

Bichectomia: o que é e quais os riscos desse procedimento

Se você não está contente com o formato do seu rosto, talvez essa seja a solução
bichectomia
Crédito: Freepik

Nos últimos anos, as cirurgias para fins estéticos se tornaram muito populares. Em busca da aparência perfeita, muitas pessoas submetem-se a procedimentos cirúrgicos para modificar qualquer parte do corpo. Você já ouviu falar da bichectomia? Veja qual parte do corpo esse procedimento modifica, como funciona e quais os riscos.

Veja também: tratamentos que funcionam para renovar a pele do rosto

Aqui você encontra:

O que é?

Esse é um procedimento cirúrgico que tem a finalidade de afinar as bochechas. Também é conhecido como lipoplastia facial e consiste em retirar parte da chamada bola de Bichat, um tecido gorduroso localizado no rosto e que também motivou o nome do procedimento.

Ao remover parte dessa bola, as bochechas reduzem de tamanho, deixando a aparência de uma face mais fina e alongada. Esse resultado é exatamente o que tantas pessoas idealizam como o rosto ideal, pelo menos com base no chamado padrão estético que muita gente ainda segue.

O que motiva muitas pessoas a buscarem por esse procedimento é o fato de que as bolas de Bichat permanecem do mesmo tamanho, não importa o quanto o corpo emagreça e perca gordura. Como elas não servem como fonte de energia para o corpo, não adianta fazer dieta, pois o rosto vai continuar com esse volume.

Como é feita a bichectomia

como fazer a bichectomia
Crédito: Freepik

A cirurgia é um procedimento relativamente simples e rápido, dependendo de como cada paciente reage.

Duração

Geralmente esse tipo de procedimento leva entre 30 minutos e 1 hora para ser realizado, sem contar o tempo de recuperação da anestesia.

Anestesia

A anestesia pode ser feita local ou geral, mas normalmente a opção local é a mais utilizada, não havendo necessidade de sedar o paciente.

Procedimento

Depois que o paciente está anestesiado, o profissional irá fazer uma incisão na parte interna da bochecha, acima do segundo molar superior, com tamanho de até 4 centímetros, em média.

Então ele irá pressionar externamente a bola de Bichat para que, lá no lado de dentro, ela saia através do corte realizado.

Ele vai terminar de puxar a bola com uma pinça e depois vai finalizar o procedimento com a limpeza e os pontos por dentro. Nenhuma marca fica do lado de fora do rosto.

Quais os riscos

Por mais simples que sejam, todos os procedimentos estéticos que envolvam cirurgia estão sujeitos a complicações. Por isso, os riscos existem e todo paciente deve ter consciência disso na hora de procurar um bom profissional.

Profissional não capacitado

Um dos maiores riscos que se corre ao fazer esse procedimento está relacionado à escolha de um profissional que não esteja devidamente capacitado.

É muito importante escolher um médico que já tenha muitos casos de sucesso para apresentar, pois ninguém quer acabar com uma infecção ou mesmo um resultado assimétrico, com um lado do rosto diferente do outro.

Portanto, pesquise muito antes de decidir realizar essa cirurgia e, de preferência, converse com mais de um profissional.

Hemorragia

Como você vai ver a seguir no tópico das contraindicações, esse procedimento não é recomendado para pessoas que tenham problemas de coagulação do sangue, pois é maior o risco de sofrerem com hemorragia. Para evitar esse problema, também é importante seguir as orientações do profissional para o pós-operatório.

Paralisia temporária

Outro risco que chama a atenção é a paralisia facial temporária. O médico irá avaliar muito bem cada caso para saber se há mais ou menos risco de acontecer a paralisia, mas caso ocorra mesmo após avaliação, há como reverter por meio de tratamentos específicos.

Contraindicações

Nem todo mundo pode fazer esse procedimento, pois em alguns casos há maior risco de complicações, por isso que a avaliação médica é essencial. Essas contraindicações são para:

  • Pessoas que estejam em processo de quimio ou radioterapia;
  • Pessoas com infecções locais ou sistêmicas;
  • Problemas de coagulação;
  • Deficiência de fatores de coagulação;
  • Gestantes;
  • Menores de idade por causa da formação do corpo ainda não terminada.

Como é a recuperação da bichectomia

recuperação da bichectomia
Crédito: Freepik

A recuperação é como em qualquer procedimento cirúrgico simples. A pessoa receberá todas as recomendações do médico sobre os cuidados que deverá tomar até que esteja totalmente recuperada. Geralmente esses cuidados são:

  • Fazer compressa gelada nos dois primeiros dias para reduzir o inchaço e a dor;
  • Alimentação líquida e pastosa nos primeiros dias;
  • Uso de faixas para compressão do rosto, o que é essencial para o resultado final;
  • Repouso nos dois primeiros dias e evitar esforço na primeira semana;
  • Medicamentos para inflamação e dor, caso seja necessário;
  • Cuidado especial para escovar os dentes;
  • Evitar atividades físicas nos primeiros dias;
  • Evitar falar demais nos primeiros dias.

Qual médico procurar

O médico a ser procurado para realizar a bichectomia é o cirurgião plástico, de preferência, especialista em cirurgias faciais. Muitos profissionais cirurgiões dentistas também realizam esse procedimento, caso tenham feito a devida capacitação.

Qual o valor?

O preço da bichectomia varia muito, desde R$ 2 mil até R$ 10 mil, dependendo do profissional escolhido e da clínica que irá realizar o procedimento.

Esse preço é uma média para o atendimento particular. Se você tem um bom plano de saúde, pode consultar as possibilidades de preços e pagamentos diferenciados.

Mudanças climáticas podem acabar com a civilização até 2050
Mudanças climáticas podem acabar com a civilização até 2050
receita de quentão
10 Receitas de quentão com vinho ou com pinga