vaso de xaxim foi proibido substituir
Crédito: Freepik
em

O vaso de xaxim está proibido: veja 4 alternativas naturais para plantar

Se você quiser continuar plantando com opções naturais, veja quais são as melhores

Antigamente, e até 16 anos atrás, era bastante comum usar vaso de xaxim para as plantas, como uma opção natural e bonita. Aliás, não apenas nos vasos, o xaxim também era usado como substrato, em especial para orquídeas, por ser muito leve e nutritivo ao mesmo tempo.

Porém, a produção e venda desse material natural foi proibida. A lei n.° 11.754, de 1.° de julho de 2004, proíbe a industrialização e comercialização de produtos e artefatos provenientes, direta ou indiretamente, da extração do xaxim.

Por que o vaso e o substrato de xaxim foram proibidos?

O motivo é simples: por conta da exploração comercial excessiva do xaxim, que é a planta conhecida também por samambaiaçu-imperial (Dicksonia sellowianna), ele entrou para a lista de espécies ameaçadas de extinção na flora brasileira.

A extração e exploração comercial da planta foi tão grande nos últimos tempos que conseguiu colocá-la na lista de espécies ameaçadas, mesmo após ela ter sobrevivido a todas as adversidades climáticas do planeta desde o período jurássico.

A lei é de autoria do deputado Sebastião Almeida, e ele explicou o importante motivo que o levou a essa decisão: “o xaxim, outrora abundante no ambiente natural, junto ao sub-bosque da Mata Atlântica, encontrado em áreas com mais de 800 metros de altitude foi vítima de suas próprias virtudes. O aproveitamento econômico de seu tronco como vaso e substrato para orquídeas e outras plantas, justamente para saciar a carência do verde e minimizar a falta de contato das cidades com a natureza, provocou o extermínio desta espécie e de suas epífitas (planta que vive sobre outra planta) em solo brasileiro”.

Alternativas naturais para os vasos e substratos de xaxim

Mas então, o que usar no lugar dos vasos e substratos de xaxim como uma alternativa natural, que é bonita e faz bem para as plantas?

1. Fibra de coco

substituto xaxim fibra de coco
Crédito: Botanic Jardim

Essa é uma opção bem interessante, feita dos resíduos das cascas de coco. Pode ser usado na produção de vasos, placas e substratos para plantio. As fibras de coco formam um produto bem leve, com alta porosidade e que retém uma boa umidade para as plantas que precisam se manter mais úmidas.

Você encontra a fibra de coco já na forma de vasos prontos, como também só as fibras longas, tipo ninhos, em cubinhos ou picadas, tipo farelo, para dar a utilidade que quiser.

2. Bambu

substituto xaxim bambu
Crédito: Tua Casa

O bambu também é uma alternativa natural para fazer vasos, só que ele é mais usado pelo design mesmo, e não por ajudar a reter mais água no substrato.

Os modelos de vasos com bambu são amplos, e ficam lindos em jardins de inverno ou externos, especialmente quando é montado um paisagismo com água, como em pequenas fontes. Ele traz aquela atmosfera de jardim oriental que muita gente gosta.

3. Xaxim de palmeira

vaso de xaxim alternativa fibra de palmeira
Crédito: O Capitonê

Existem ainda os vasos feitos das fibras da Palmeira Real, que imitam 98% as características dos antigos vasos de xaxim. Ele é chamado de “xaxim de palmeira”, com autorização do Ibama, justamente para que as pessoas confiem nessa alternativa e deixem de usar os vasos que foram proibidos, mas que ainda existem no mercado. Com essa fibra também são feitos substratos e terra vegetal.

4. Vasos de barro

substituto xaxim barro
Crédito: Casa e Jardim

Os vasos de barro são interessantes no sentido de não reterem a água em excesso no substrato. Por isso, são ideais para as plantas que não gostam de muita água, diferentemente da função dos vasos de xaxim para as orquídeas, por exemplo. Além disso, são muito bonitos e trazem um visual natural e mais rústico no paisagismo e na decoração com plantas.

apartamento caro com cara de abandonado

Anúncio de apartamento chama atenção pelo preço e estado “abandonado” do imóvel

como evitar bicho no arroz cru

Como evitar bicho no arroz cru: veja essas dicas de armazenamento