Tique nervoso
Crédito: Freepik
em

Tique nervoso: saiba o que é, quais são os sinais e tratamentos

Os tiques podem surgir na infância e irem embora sem tratamento, mas nem sempre

Publicidade

Quando se fala que uma pessoa está com tique nervoso, quer dizer que ela faz uns movimentos rápidos com o corpo, geralmente na região do rosto. São movimentos involuntários, ou seja, a pessoa faz sem querer, pois não consegue controlar.

O tique nervoso é caracterizado por contrações musculares repetitivas e involuntárias, que podem ser motoras ou vocais. É muito comum aparecer na infância e desaparecer de forma natural, sem precisar de tratamento.

No entanto, há casos em que os tiques não cessam, e aí sim vale a pena buscar ajuda médica, pois eles podem interferir negativamente na vida da pessoa, principalmente por causa do constrangimento em casos de tiques muito repetitivos.

Causas do tique nervoso

Ainda não há uma explicação estabelecida sobre o motivo dos tiques nervosos acontecerem. De modo geral, podem surgir como consequência do estresse, do cansaço excessivo e do transtorno de ansiedade. Não significa que todas as pessoas com alto nível de estresse, cansaço ou ansiedade vão desenvolver os tiques.

Publicidade

Existe também a Síndrome de Tourette que é uma condição mais complexa e que pode chegar a níveis extremos. Há casos de pessoas com Tourette que têm tiques o tempo inteiro, inclusive afetando as pessoas ao redor, pois elas xingam, cospem, batem nos outros, mas sem ter qualquer controle sobre essa ação.

Apesar de ainda não haver uma resposta conclusiva, alguns médicos que tratam pacientes com tiques e com Tourette acreditam que o problema venha de uma falha em um dos circuitos cerebrais devido a alterações genéticas, aumentando a produção de dopamina e estimulando as contrações involuntárias de músculos.

Sinais de tique nervoso

Os tiques nervosos variam de pessoa para pessoa. De forma generalizada, os mais comuns são

Publicidade
  • Piscar os olhos de forma repetitiva
  • Mexer a cabeça, como incliná-la para frente e para trás ou para os lados
  • Morder os lábios ou mexer a boca
  • Mexer o nariz
  • Encolher os ombros
  • Fazer caretas

Nos casos dos pacientes com Tourette, os tiques podem incluir:

  • Palavras de baixo calão
  • Repetição de palavras após ouvi-las
  • Gritos curtos
  • Emissão de outros sons variados pela boca ou nariz
  • Tapas em si mesmo ou nos outros
  • Movimentos involuntários com braços e pernas – ou com qualquer outra parte do corpo
  • Bater em objetos, arremessar coisas

Tem tratamento?

Se os tiques não cessarem sozinhos com a chegada da adolescência, é importante consultar um psicólogo para fazer um tratamento com psicoterapia. Se for diagnosticado que o paciente tem a Síndrome de Tourette, pode ser necessário fazer tratamento psiquiátrico com medicamentos que ajudam a controlar os tiques, como neuromoduladores, benzodiazepínicos ou aplicação de toxina botulínica.

Existe um caso extremo de uma jovem australiana que tinha tiques incapacitantes devido à Síndrome de Tourette. Ela chegou a passar por uma cirurgia cerebral que resolveu os tiques no início, mas depois eles voltaram, só que menos intensos.

Publicidade

Até hoje ela convive com os tiques, mora em uma casa adaptada e transformou essa condição numa forma de conscientizar as pessoas sobre a Síndrome por meio do seu canal no YouTube. Veja no vídeo abaixo, que é em inglês, mas é possível ver como a jovem lida com sua condição:

hipertricose

Síndrome do lobisomem: pessoas que convivem com excesso de pelos

Tiques nervosos aumentaram em crianças e jovens durante a pandemia

Tiques nervosos aumentaram em crianças e jovens durante a pandemia