em

O que é, sintomas e transmissão da doença do pombo

Essa é uma doença grave que pode levar à morte se não for tratada logo que os sintomas começarem.
doença do pombo
Crédito: Pxhere

Os pombos que vivem nas grandes cidades são animais transmissores de doenças. Especialistas, inclusive, os consideram uma praga urbana. Mas nem toda pessoa sabe dos riscos que eles oferecem. Recentemente têm surgido no Brasil casos de uma doença chamada criptococose. Em outras palavras, doença do pombo.

A criptococose é transmitida quando a pessoa inala esporos de fungos presentes nas fezes de aves. Os pombos são os principais transmissores, por isso a doença se chamar popularmente de doença do pombo. Esses fungos se chamam Cryptococcus neoformans ou Cryptococcus gatti. Eles atingem o sistema respiratório e o sistema nervoso central.

Quais os sintomas da doença do pombo?

sintomas da doença do pombo
Crédito: Freepik

Após inalar os esporos dos fungos, há complicações. A pessoa infectada pode desenvolver meningite, pneumonia e disfunções cerebrais. Os sintomas podem ser vários. Entre os mais comuns estão:

1. Dor de cabeça

Um dos primeiros sintomas da doença do pombo é uma forte dor de cabeça, que pode vir junto com os demais sintomas a seguir. Ao perceber que a dor não alivia, no mesmo dia o paciente deve ser levado ao pronto atendimento.

2. Tosse com sangue ou muco

Como os fungos afetam o sistema respiratório, logo vai aumentar a produção de muco e causar inflamação, podendo também haver sangue ao tossir. Não precisa esperar que aconteça uma segunda vez para levar o paciente ao médico. Esse sintoma já é o suficiente para se preocupar.

3. Febre alta

Uma das reações comuns do corpo para avisar que há algo errado é a febre. Se ela for muito alta ou se tiver acompanhada de outros sintomas, também não deve esperar que baixe com remédios caseiros, e sim, levar a pessoa imediatamente ao médico.

4. Náuseas

Com todo o organismo começando a ficar debilitado, as náuseas e o vômito são outro sintoma que surge como um alerta do corpo para que seja tomada alguma atitude, pois ele já está começando a liberar anticorpos para atacar os fungos invasores, mas necessita de ajuda.

5. Fraqueza

Depois de sentir dor de cabeça, febre, náuseas e ter tosse, o corpo começa a ficar fraco, sem resistência. É aquela moleza comum de quem está doente e mais um sinal de que os fungos estão deixando o corpo desequilibrado.

6. Sensibilidade à luz

Pelo fato de afetar a visão, o globo ocular fica muito sensível à claridade e a pessoa passa a ter dificuldade para manter os olhos abertos, mesmo quando a luz não é tão forte para quem não tem a doença.

Quando a parte cerebral afetada, outros sintomas podem aparecer, como diminuição da consciência, cegueira, surdez e convulsões. A ausência de tratamento rápido e eficaz pode levar a pessoa à morte.

O índice de mortalidade da doença do pombo é bastante alto, beirando os 70%, entretanto vale ressaltar que ela costuma afetar pessoas que já estejam com a imunidade baixa e que sofrem de doenças crônicas.

A doença do pombo tem cura?

A doença tem cura quando o paciente é levado ao hospital logo no início dos sintomas. Devido à sua severidade, se não for tratada com urgência, os fungos acabam atingido a medula e levando o paciente à morte,

Como tratar?

tratamento para a doença do pombo
Crédito: Freepik

O tratamento é feito com acompanhamento médico utilizando antofericina B, fluconazol e itraconazol, de acordo com a necessidade de cada caso. Há pacientes que precisam ficar internados para que os sintomas sejam tratados e o fungo seja combatido com os medicamentos, podendo levar algumas semanas até a cura.

Quanto melhor for mantida a imunidade, mais rápido o organismo vai conseguir se curar.

Outras doenças transmitidas pelos pombos

A doença do pombo alerta para a necessidade de controle dessas aves. Elas podem transmitir outras doenças, como a psitacose, que ataca os pulmões, a salmonelose, que ataca o intestino, e a histoplasmose, que causa infecções.

Em muitas cidades há uma proliferação descontrolada de pombos. Infelizmente a única maneira de evitar o contágio é diminuir a população desses animais em lugares com grande concentração de pessoas. Uma das formas de fazer isso é com a consciência da própria população, parando de acumular lixo nas ruas e parando de alimentar as aves.

3 Comments Leave a Reply
    • Infelizmente a população tem que resolver esse problema, os órgãos públicos não se responsabilizam por essa praga.
      Anos atrás o corpo de bombeiros soltavam aves de rapina para espantar essa praga, que é predador natural deles, ou coruja.
      Também existe outros métodos que empresas especialistas oferecem, vale a pena fazer uma pesquisa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Loading…

0
Comentários

comentários

A inquietude do seu coração é a espera pelo encontro com Deus
produtos de limpeza prejudicam mulheres
Limpar a casa equivale a fumar um maço de cigarros por dia