em

5 passos para mudar sua relação com a comida

A forma como você se relaciona com a comida diz muito sobre suas emoções.
comer emocional

A relação das pessoas com a comida diz muito sobre seu estado emocional. Há uma expressão que diz, inclusive, que a maioria dos indivíduos come suas emoções. Enquanto alguns afogam tristezas e alegrias em bebidas alcoólicas ou drogas mais pesadas, há outros que descontam seus sentimentos na alimentação.

Mudar sua relação emocional com a comida é um passo importante para viver uma vida alimentar e pessoal mais saudável. Já imaginou quão bom seria não se sentir culpado por comer isso ou aquilo? Ou deixar de contar calorias e poder abraçar seus desejos e vontades sem medo da balança? Saiba que isso é possível. Basta mudar alguns hábitos.

Esqueça as dietas

O “comer emocional” não tem a ver só a saúde física. Ele afeta a autoestima e o psicológico também. A culpa por comer demais ou comer de menos pode trazer efeitos terríveis às pessoas. E muitos comportamentos relativos ao comer emocional têm origem na sociedade, nos padrões de beleza e na urgência que se criou em fazer dietas e ser fit.

Esqueça as dietas. Qualquer dieta milagrosa pode ser muito eficaz a curto prazo. Você restringe a alimentação por um mês, perde cinco quilos, mas e depois? Se não houver uma mudança de comportamento, de mentalidade, de nada adianta a dieta. A compulsão alimentar voltará, a culpa também e com isso as consequências psicológicas e físicas já conhecidas.

Mude o pensamento

Se você quer comer o que quiser sem se sentir culpado e sem prejudicar sua saúde, é simples: mude seus hábitos e atitudes. Mude a forma de comer e a forma como enxerga a comida. Comer pode ser um vício, portanto é preciso primeiro desintoxicar a mente. Confira 5 passos para melhor seu comer emocional.

1. Coma quando estiver com fome

Pode parecer óbvio, mas atualmente quase ninguém faz isso. Deixe de lado a ideia de que tem que comer de três em três horas. Coma quando realmente sentir que seu corpo precisa disso.

2. Coma o que o corpo pedir

Seja sensível e sinta o que seu corpo quer comer. Se vier a vontade de comer uma salada, ótimo. Se quiser uma fatia de torta de chocolate, também. Não reprima seus desejos, pois eles irão acumular. E a chance de haver compulsão alimentar será ainda maior assim.

3. Entenda o que faz você comer quando não tem fome

Entender as causas dos comportamentos é fundamental. Se você devorou uma barra inteira de chocolate só por compulsão, há um motivo por trás disso. Tente resolver a parte emocional e isso facilitará na hora da alimentação.

4. Está satisfeito? Pare de comer

O cérebro recebe o alerta de que você está satisfeito apenas 20 minutos após você comer. Por isso coma devagar. Saboreie cada garfada ou colherada da refeição. Sinta a comida.

5. Coma com calma

Evite fazer refeições rápidas. Dê tempo a si mesmo em todas as vezes que for se alimentar. Comer muito rápido cria um péssimo hábito e é um caminho sem volta para a compulsão.

Dica: Conheça a si mesmo

Não importa onde você desconta suas emoções: elas sempre têm uma causa. Procure conhecer a causa dos seus problemas, frustrações e mesmo alegrias. Saiba suas necessidades, alimentares ou não, e veja o milagre acontecer.

As dicas deste artigo não substituem a consulta ao médico. Lembre-se que cada organismo é único e pode reagir de forma diferente ao mencionado. E para obter os resultados mencionados também é preciso aliar a uma vida e alimentação saudável e equilibrada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Loading…

Comentários

comentários

Disautonomia: quando as funções involuntárias do corpo falham
Como ler a tabela nutricional presente nos rótulos dos alimentos