em

Descubra a assustadora tradição chinesa chamada pés-de-lótus

Técnica milenar deforma o pé das mulheres para ficarem o menor possível

Toda mulher sabe o quão desagradável é passar o dia em cima de um salto. Quando o sapato é um número menor, então, o desconforto é dobrado. Agora, você consegue imaginar o que é ter o pé reduzido a no máximo dez centímetros. Estranho, não é mesmo? Porém, durante a antiguidade chinesa a técnica, conhecida como pés-de-lótus, era muito comum e considerada atraente pela sociedade da época.

A história dos pés-de-lótus

Surgida no século X e XI, na China, a técnica dos pés-de-lótus se tornou popular rapidamente em todo o império. Como toda tendência, essa também surgiu entre as classes mais altas e só com o passar dos anos é que virou algo comum entre todas as classes sociais.

Como funcionava?

Não é difícil de imaginar que este processo era uma verdadeira tortura. O que assusta, mesmo, é saber que as meninas chinesas começavam a ter os seus pés deformados aos três anos de idade. O primeiro passo era causar a fratura dos ossos e envolver os pés de maneira firme com linho. Dessa forma, os pés iam crescendo como deviam ser: pequeninos e com uma forma côncava.

O objetivo era que os pés da menina não ultrapassassem os dez centímetros e, conta a história que, aquelas que não tinham os pés encolhidos, ficavam solteiras para o resto da vida.

Apesar da tortura e do fato destas garotas chinesas mal conseguirem andar, a técnica só foi banida no século XX. Mas, ainda hoje, quem viaja pelo interior da China pode se deparar com alguns pés-de-lótus.

Sabemos que cada cultura tem a sua tradição. Mas, algumas são realmente de assustar. Compartilhe esta curiosidade com os seus amigos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading…

0

Comentários

Descobertas comprovam os sérios perigos do açúcar para a saúde

10 roupas que podem se transformar em cilada depois dos 35 anos