diagnóstico de mioma era gestação
Crédito: Arquivo pessoal/Nathaly Lopes
em

Ela teve o diagnóstico de mioma uterino – na verdade era um lindo bebê

Depois de oito meses sem saber o que realmente tinha, ela foi para o hospital em trabalho de parto

Ultimamente têm surgido diversas histórias de mulheres que só souberam que estavam grávidas na hora do parto. A barriga não aumenta, os sintomas clássicos não acontecem, e às vezes até recebem o diagnóstico de uma doença, como aconteceu com a jovem Nathaly Lopes, de 19 anos.

Em fevereiro Nathaly sentiu que o seu corpo estava diferente. Ela foi ao ginecologista porque não estava menstruando. Pelo exame de toque, o médico disse que o diagnóstico era dor pélvica crônica e que poderia ser um mioma uterino.

“Ele me mandou fazer um ultrassom. Só que sempre que eu ia fazer, a máquina estava quebrada, para a minha ‘sorte’”, disse a jovem, em entrevista ao G1.

Foram 8 meses sem diagnóstico

Crédito: Arquivo pessoal/Nathaly Lopes

Os meses foram passando e Nathaly continuou sem menstruar e sentindo cólicas, sem ter certeza do motivo. Então ela fez um convênio médico e agendou uma consulta com um especialista para o dia 21 de outubro.

Porém, no dia 20, ela começou a ter dores abdominais insuportáveis e foi levada ao hospital. Foi só então que ela fez um ultrassom e descobriu a gestação, 8 meses depois do diagnóstico de um possível mioma.

Pela dilatação, Nathaly já estava de 39 semanas. No ultrassom não foi possível ouvir o coração da bebê, e por isso a jovem estava experimentando duas sensações estranhas e inesperadas: ser mãe pela primeira vez, e talvez dar à luz a um bebê sem vida.

“Quando eu cheguei no hospital, minha filha estava sem o batimento cardíaco e tive que ir direto para a emergência para fazer o parto. A médica falou que a possibilidade é de que ela nascesse morta”, contou Nathaly.

Os médicos não entenderam como a barriga de Nathaly estava tão pequena ao final da gestação. Ela conta que não engordou nada, e como não tinha feito o ultrassom, nem desconfiou da gravidez por todo esse tempo.

Elise veio ao mundo

Crédito: Arquivo pessoal/Nathaly Lopes

No fim das contas deu tudo certo. A bebê nasceu saudável, com 47 centímetros e 2.850 kg, e as amigas de Nathaly até fizeram postagens brincando com o caso, dizendo que o mioma se chama Elise.

Nathaly teve uma grande surpresa, e apesar de estar despreparada, ficou muito feliz, pois sua filha chegou um ano após a morte de sua mãe.

“Em novembro, completaria um ano do falecimento da minha mãe. Quase um ano depois, eu recebo a notícia de que sou mãe. Eu acho que foi um presente dos céus”, disse a jovem, que já tinha prometido para a mãe, anos antes, que quando tivesse uma filha, se chamaria Elise.

Mau cheiro na tubulação

Mau cheiro na tubulação: quais as causas e como corrigir

Crianças que dormem cedo têm menor risco de serem obesas no futuro

Crianças que dormem cedo têm menor risco de serem obesas no futuro