máscaras biodegradáveis
Crédito: Reprodução
em

Conheça as máscaras ecológicas que se degradam em 2 meses

Em apenas 60 dias esse material volta a fazer parte da Terra, enquanto as máscaras comuns levam mais de dois séculos

A partir do momento em que a pandemia se instalou, mais um tipo de lixo começou a ser gerado nas ruas: as máscaras descartáveis. Mesmo que existam orientações sobre o que fazer com as máscaras após o uso, muitas pessoas pensam que jogá-las no meio da rua é a opção mais fácil.

Outras vezes, as máscaras acabam caindo das lixeiras e voam por todo lado, podendo estar infectadas. E além de tudo isso, as versões descartáveis levam de 300 a 400 anos para se degradarem. Até lá, elas ficam poluindo o meio ambiente.

Então, assim como vários pesquisadores buscam respostas para conter o novo coronavírus, outros trabalham em soluções para a proteção das pessoas e do planeta ao mesmo tempo. Foi assim que surgiam as máscaras ecológicas feitas de bananeira que levam apenas 2 meses para se degradarem.

Filipinos criam máscaras biodegradáveis

A ideia foi desenvolvida por cientistas do Departamento de Ciência e Tecnologia das Filipinas, que encontraram uma excelente matéria-prima nas fibras do abacá, uma espécie de bananeira nativa do país.

Essa fibra é tão boa quanto o poliéster, é mais fácil de processar, mais barata do que as máscaras comuns e é biodegradável: em apenas 2 meses ela está de volta ao seu habitat natural.

A fibra de abacá já era usada na produção de saquinhos de chá nas Filipinas, e agora a tendência é que a sua demanda seja aumentada em grande escala para a produção de máscaras.

Crédito das imagens: reprodução

Jovem faz serenata para amada e é surpreendido com outro homem na porta

teste do espelho falso

Como identificar um espelho falso e preservar sua privacidade