mãe jorge fernando morre dois meses depois do filho
Crédito: Reprodução Instagram
em

Mãe de Jorge Fernando morre dois meses depois do filho

Aos 95 anos, Hilda Rebello não resistiu a uma infecção respiratória

Imagine perder seu filho de apenas 68 anos? Ainda pior se ele for um dos seus maiores incentivadores e fãs, como era o caso de Jorge Fernando. Hilda Rebello não resistiu à perda do filho e acabou falecendo também, dois meses depois. Conheça um pouco mais sobre ela e a importância do relacionamento deles para essa mãe, cujo coração desistiu de lutar.

Veja também: ex-morador de rua ganha bolsa e vai cursar Direito

Morte dois meses depois de perder o filho

A perda de um filho não é algo natural, pois pela ordem esperada, os pais devem ir primeiro. Mas algumas vezes não é isso o que acontece. Como resultado, certamente há muita dor, sofrimento e pesar. Agora, imagine ter que lidar com o luto por um filho, no auge dos 95 anos? Hilda Rebello resistiu bravamente, mas seu corpo não pôde mais continuar.

Depois de apenas 2 meses que seu filho faleceu, o queridíssimo diretor de TV Jorge Fernando, ela foi hospitalizada. Infelizmente, depois de muito lutar, acabou desenvolvendo um quadro grave de infecção respiratória. Seu corpo não conseguiu lidar com a fragilidade da idade e o processo de luto ao mesmo tempo, sendo difícil se manter forte nos últimos tempos.

Da costura à ribalta

Hilda Rebello era professora de corte e costura, mas por insistência do filho decidiu começar a estudar teatro. Ela tinha 62 anos de idade e estava começando uma nova profissão, aprendendo mais a cada dia. Super bem humorada, conquistava facilmente os corações de todos. Recebeu seu primeiro papel aos 68 anos, tendo assim entrado no Livro dos Recordes como a atriz mais velha a estrear nos palcos.

Participou de novelas como a icônica “Que Rei Sou Eu?”. Além disso, apareceu também em “A Rainha da Sucata”, “Vamp”, “A Próxima Vítima” e “Haja Coração”. Somente trabalhos de peso, sendo inclusive dirigida pelo seu filho, Jorge Fernando, o grande motivador para essa mudança em sua vida. Eles eram muito próximos e a perda do seu parceiro foi demais para ela.

Perda de um filho

Hilda ficou internada por uma semana no Hospital Pró-Cardíaco, localizado em Botafogo, no Rio de Janeiro. Ela estava no Centro de Tratamento Intensivo por causa da infecção, mas mesmo com todo o cuidado e acompanhamento, não resistiu. A família afirma que a perda do filho foi um baque muito forte e que ela não conseguiu lidar muito bem com isso, apagando então as luzes da ribalta.

A morte de alguém da família é dolorosa para muitos, mas infelizmente para outros é um pouco mais amarga. Perder um filho ou filha pode ser demais para esses pais zelosos e é fundamental que a família procure dar apoio no momento de dor. Se for preciso, é válido procurar a ajuda de um psicólogo para ajudar no processo de luto.

café da manhã para os garis

Mulher oferece café da manhã para garis há 10 anos

falar de morte com as crianças

Como falar sobre morte com as crianças?