Ligação entre avós e netos
Crédito: Freepik
em ,

Ligação entre avós e netos pode ser maior do que com filhos adultos

Veja o que diz uma pesquisa realizada por um antropólogo nos Estados Unidos

Publicidade

Já falamos aqui, em outra matéria, sobre a importância e os benefícios da relação entre avós e netos. No dia a dia é fácil perceber que a ligação entre avós e netos é de puro amor. Mas é ainda melhor reunir netinhos e avós para passarem momentos juntos quando temos aporte científico para comprovar o poder dessa relação.

Ligação entre avós e netos é única, diz estudo

Um estudo conduzido por James Rilling, antropólogo da Universidade de Emory, em Atlanta, capital da Georgia, nos Estados Unidos, avaliou a reação das avós ao observar fotos de seus netos em diversas situações, e de seus próprios filhos.

Para a pesquisa, o antropólogo recrutou 50 mulheres com pelo menos um neto biológico na faixa etária dos 3 aos 12 anos. Foram realizados exames de ressonância magnética funcional, que mede as mudanças no fluxo sanguíneo que acontecem com a atividade cerebral. Durante o exame, a avó ficava vendo imagens do neto, de outra criança que não conhecia, de pessoas que não conhecia e do pai do neto (filho ou genro dela).

Os resultados do estudo indicaram um aumento nas atividades na área do cérebro associada à empatia emocional, relacionado, por exemplo, ao instinto de segurar, se aproximar e interagir com a criança.

Publicidade

Com esse resultado, a pesquisa sugere que as avós são levadas a sentir o que seus netos estão sentindo quando interagem com eles. Se o neto está sorrindo, elas sentem a alegria dele. Se está chorando, sentem a dor e a angústia da criança.

É mais forte do que relação de pais e filhos?

Esse estudo com as avós vendo as fotos de seus netos enquanto passavam por uma ressonância magnética foi feito depois de um outro estudo também interessante.

A equipe do antropólogo realizou um exercício com pais que olhavam para as fotos de seus filhos. O resultado foi diferente, pois as atividades cerebrais processadas foram na mesma área das avós, da empatia emocional, mas em nível bastante inferior na maioria dos casos.

Publicidade

Também foi bastante interessante o resultado cerebral de quando as avós olhavam para as imagens de seus filhos, e não de seus netos.

As áreas cerebrais ativadas foram diferentes. Em vez de serem associadas ao lado emocional, foram ativadas áreas relacionadas à empatia cognitiva.

Isso significa que as avós estavam tentando compreender cognitivamente o seu filho adulto em vez de experimentar uma conexão emocional mais direta.

Publicidade

Em uma entrevista ao The Guardian, o antropólogo James Rilling explicou a diferença: “empatia emocional é quando você é capaz de sentir o que outra pessoa está sentindo. Empatia cognitiva é quando você entende o que outra pessoa está sentindo e por quê”. E finalizou falando sobre a existência de traços nas crianças que podem fazer com que elas despertem esse sentimento de proteção e amor máximo das avós.

Artigo com informações de O Globo Saúde

Sonhos eróticos

Sonhos eróticos são normais – e podem ter diferentes significados

Limpar a casa sem produtos de limpeza

Limpar a casa sem produtos de limpeza comuns? Sim, veja como!