Como saber se seu filho é agitado ou hiperativo
Crédito: Freepik
em

Como saber se seu filho é agitado ou hiperativo

Você já ouviu falar em TDAH? Entenda o que é e como identificar se é isso ou só agitação

Seja entre os pais ou até mesmo na mídia, há muita desinformação acerca do Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade, o famoso TDAH. Quando se fala em criança hiperativa, muitas pessoas podem imaginar alguém que não para quieto um segundo, mas não é bem assim, já que o excesso de atividade está principalmente nos pensamentos. Além disso, nem toda criança agitada é hiperativa, sendo fundamental saber diferenciar.

Hiperatividade ou agitação?

Quem convive com criança certamente já ouviu a bendita frase: “nossa, ela é hiperativa né?”. Quando, na realidade, a criança só estava animada ou explorando o ambiente. Uma criança agitada apresenta sim comportamentos similares ao de uma hiperativa, mas em situações diferentes. Veja quais são as principais características da agitação:

  • Quando está alegre, extravasa com muita movimentação ou palavras;
  • Em um novo ambiente ou com outras crianças, tende a ficar agitada e explorar as possibilidades;
  • Costuma prestar atenção nas coisas, mesmo que se distraia às vezes, como toda criança;
  • Faz travessuras, às vezes desobedece os adultos e se relaciona bem com os outros;
  • Respeita os limites, mesmo que passe da linha algumas vezes para aprender.

Quando for hiperatividade

Já uma criança hiperativa tem algumas características próprias. De acordo com a Associação Brasileira de Déficit de Atenção (ABDA), o TDAH tem sintomas como a desatenção, inquietude e impulsividade. Porém, o principal fator que a diferencia de uma criança agitada é sua forma de pensar.

TDAH não é doença ou síndrome, somente uma forma diferente de funcionamento do cérebro. A psicóloga Ana Beatriz Barbosa Silva, autora do livro Mentes Inquietas, que fala sobre hiperatividade, diz que “há uma hiperatividade mental, ou seja, ela pensa mais, em vários assuntos, numa velocidade maior“. Essa é a principal característica, mas existem outros sinais, listados pela ABDA:

  • Desatenção no que não lhe é interessante ou desafiador;
  • Impulsividade, tendo maior tendência a desobedecer regras, já que o lobo frontal – parte do cérebro que “freia” as ações – tem menor atividade;
  • Hiperatividade é uma das características, mas muitas crianças não expressam isso de forma física, conseguindo sim ficarem sentadas, apesar da mente estar a mil;
  • A dificuldade em terminar, desde uma tarefa simples ou até mesmo grandes projetos, é uma característica marcante;
  • Ela tende a ser mais ansiosa e ter uma inteligência acima da média;
  • Há uma certa tendência a entrar em estado de hiperfoco quando recebe reforço imediato, como é o caso dos videogames, jogados por horas a fio.

São características bem próximas, mas com diferenças significativas. Apesar de ser importante se informar sobre o tema, não há nenhum tipo de substituto ao exame realizado em consultório, único local para ter o diagnóstico adequado.

Saiba mais sobre o TDAH, suas vantagens e desvantagens, com a Dra. Ana Beatriz Barbosa Silva e logo abaixo, saiba como fazer o diagnóstico corretamente.

Como é feito o diagnóstico?

Apenas um profissional de confiança pode fazer o diagnóstico para TDAH, preferencialmente especializado na área. Segundo a ABDA, “o diagnóstico correto e preciso do TDAH só pode ser feito através de uma longa anamnese (entrevista) com um profissional médico especializado (psiquiatra, neurologista, neuropediatra)“.

São necessárias várias consultas e testes, para saber de fato o que está acontecendo e eliminar outras variáveis. Além disso, elas evitam um diagnóstico impreciso, seguido de uma orientação equivocada de como proceder.

O que fazer?

Se a criança for agitada, existem algumas formas de lidar com isso. Primeiro de tudo, tente reduzir o açúcar na alimentação. É uma boa também investir em atividades ao ar livre, para que ela possa extravasar essa energia. Crie atividades que desafiem a mente e a mantenham ocupada, fazendo com que redirecione o impulso de energia.

Além disso, reserve algum tempo de qualidade para passarem juntos, abrace e elogie bastante. Claro que é fundamental também dar limites, ensinando quando e onde pode aproveitar para liberar toda a energia e curiosidade. Atividades em que ela possa aliar o uso da mente e do corpo podem ser excelentes, como a dança, tocar um instrumento ou pintura.

Já o hiperativo, além dessas ações, é importante ter o acompanhamento com o psicólogo. Assim, vai aprender ferramentas que o ajudem em outros desafios dessa condição. Pode ser que o tratamento medicamentoso seja indicado, mas nem sempre é necessário. E o mais importante, mostre para ele que não é uma doença, e sim uma forma diferente de funcionamento do cérebro.

Aliás, se ela foi diagnosticada com TDAH, comemore! De acordo com a Revista Monet, essas são algumas pessoas que também a possuem:

  • Bill Gates (da Microsoft)
  • Emma Watson (eterna Hermione de Harry Potter e embaixadora da ONU)
  • Jamie Oliver (Chef naturalista)
  • Will Smith (ator e filantropo)
  • Michael Phelps (nadador e maior medalhista olímpico de todos os tempos)

Ou seja, estimule as claras vantagens que esse cérebro maravilhoso apresenta e ensine as ferramentas necessárias para se encaixar melhor no dia a dia. Compartilhe essa informação com seus amigos e familiares e ajude a melhorar a vida deles e de suas crianças.

Fotógrafo que faz imagens impressionantes de lugares abandonados

Fotógrafo francês faz imagens impressionantes de lugares abandonados

como fazer fertilizante com casca de banana

Como fazer um fertilizante com casca de banana