em

Como evitar o bullying? Tudo começa com a conscientização

Veja dicas do que fazer para evitar que esse abuso físico e psicológico aconteça com seus entes e amigos ou com você mesmo.

evitar o bullying
Crédito: Freepik

A palavra pode ser nova, mas a prática do bullying é bem antiga. O termo bully, que em inglês significa “intimidador” ou “assediador”, é utilizado como bulliyng para referenciar práticas de violência e abuso físico ou psicológico. O bullying pode ocorrer em todos os ambientes que uma pessoa frequenta, até mesmo dentro de casa. Por isso, evitar o bullying é uma atitude que precisa da colaboração entre as pessoas.

Veja quais são as principais atitudes para evitar o bullying, dicas de como identificar se o seu filho está sofrendo esse tipo de abuso e quais as consequências que podem ficar para o futuro dele se foi negligenciado.

O que fazer para evitar o bullying?

como evitar o bullying
Crédito: Freepik

Cada vez mais os pais estão compreendendo a importância de conversarem com seus filhos. Muitos sentem dificuldade, pois não tiveram conversas esclarecedoras com seus familiares na infância e adolescência. Mas principalmente se esses pais consideram que as conversas que não tiveram poderiam tê-los ajudado a se tornarem adultos melhores, então é a prova da sua importância.

Além das conversas, muitas outras atitudes simples no dia a dia podem ajudar a evitar o bullying. Isso porque é uma via de mão dupla. O bullying se concretiza não apenas quando o agressor ataca sua vítima, mas também quando essa vítima não tem preparo psicológico para se defender e permite que as agressões continuem. Claro que há casos em que a vítima realmente não é capaz de se defender, então as dicas a seguir compreendem todas essas situações.

1. Conheça o universo dos mais jovens

A primeira dica é para os pais e responsáveis. Para agir contra o bullying é preciso estar por dentro do que ocorre no mundo atualmente. Em especial, do que acontece no mundo dos seus filhos.

Você sabe que os problemas deles não são os mesmos que os seus, que envolvem grandes responsabilidades. Justamente por isso você tende a minimizar os problemas dos filhos, mas que para eles têm a mesma gravidade e importância que os seus.

Então, saber o que acontece em volta do seu filho, quais são as tendências de consumo, o que a mídia está colocando na tela do celular dele, é essencial para compreender de que forma ele se sente afetado negativamente pelas pessoas.

2. Esteja sempre pronto para ouvir

Outra dica muito valiosa para os adultos é saber ouvir sem julgar. É difícil para os pais não julgarem as atitudes dos filhos. Mas julgar é diferente de ajudar. Se você quer que seu filho velha lhe contar sobre a vida e pedir conselhos, ele precisa sentir que não será julgado por isso.

Essa dica é tão importante porque a atitude de ouvir os filhos, dando conselhos úteis sem julgar com desdém ou agressões verbais, pode ser o que vai evitar que ele sofra bullying. Uma criança que tem suas ideias mirabolantes ignoradas e desvalorizadas pelos pais, tende a ser um jovem e um adulto com baixa autoestima e inseguro. Assim, estará muito mais suscetível a sofrer bullying e não saber se defender.

3. Conheça as pessoas que convivem com seu filho

São tantos compromissos na escola, no esporte, no curso de idiomas e outras atividades, que muitos mais apenas levam e trazem os filhos, sem saberem quem os cerca. Quem são os professores, os colegas, os verdadeiros amigos? Quem o incomoda, quem o chateia e quem o faz sentir feliz?

Saber quem convive com seu filho é essencial para evitar o bullying, pois você consegue estar um passo à frente e observar quem é ou não uma boa companhia para ele. O sexto sentido dos pais sabe quando alguém está olhando torto para o seu filho ou quando ele se sente acuado em determinado ambiente.

Assim você consegue ir direto ao ponto quando quiser que seu filho seja claro sobre o que está acontecendo com ele, caso haja alguma desconfiança.

4. Fale sobre o assunto

A pior maneira de lidar com um assunto delicado é ignorando-o. Então aproveite os momentos em família ou mesmo com amigos e grupos de pais para falar sobre o bullying. É importante que o seu filho ouça que você está por dentro do assunto e que está disposto a defendê-lo, caso precise.

Além disso, ler e falar sobre o tema é a melhor forma de conscientizar as pessoas. Assim como todo tipo de preconceito, o bullying ocorre por falta de empatia e de conhecimento. As pessoas preferem ficar no conforto da sua ignorância, até que a situação ocorra dentro da casa delas. A sua parte para evitar o bullying é apresentá-lo às pessoas como algo que faz parte da vida delas também.

5. Seja o exemplo

Por fim, essa talvez seja a mais importante atitude para evitar o bullying. Seja você o exemplo que o seu filho vai seguir. Pare para pensar nas suas pequenas atitudes do dia a dia e detecte se há qualquer sinal de bullying nelas.

Tudo bem que alguns tipos de brincadeiras com amigos não são ofensivas, e é exatamente nesses momentos que seu filho precisa aprender a diferença entre brincadeira e agressão. Muitos praticantes de bullying disfarçam a agressão como se fosse apenas uma brincadeira. Mas se a vítima se sentiu mal, ofendida ou agredida, não foi brincadeira. É como a pessoa se sente que conta.

Tome cuidado com a forma que trata as pessoas, mesmo as desconhecidas. Pratique a empatia na sua rotina e permita que o seu filho a pratique também. Essas atitudes farão com que ele desenvolva mais autoconfiança, que viva momentos mais agradáveis nos seus dias e que saiba reconhecer quando uma pessoa o estiver ameaçando.

Prepare seu filho para estar consciente sobre a maldade que existe em algumas pessoas, sem julgá-las. Ensine seu filho a respeitar e a como agir para se defender, sem precisar agredir de volta para isso.

Como saber se o seu filho é vítima de bullying?

como detectar bullying
Crédito: Freepik

A maioria das crianças e dos jovens costuma apresentar características semelhantes quando estão sofrendo algum tipo de bullying. Essas características são:

  • Mudanças repentinas de humor que não ocorriam antes;
  • Recusa em ir para a escola;
  • Invenção de doenças e dores para não precisar sair de casa;
  • Irritabilidade ou tristeza mais aparentes do que antes;
  • Falta de apetite;
  • Perda de material escolar com certa frequência;
  • Forte insatisfação com sua aparência;
  • Dificuldade em se relacionar com outras pessoas;
  • Baixa autoestima, denegrindo a própria imagem constantemente.

Esses sinais podem surgir em conjunto ou de forma isolada. Os pais e responsáveis precisam estar presentes na vida dos filhos para serem capazes de detectar essas mudanças comportamentais. Se acharem preocupante e não souberem como lidar com a situação, uma boa solução é conversar com um profissional, como psicólogo ou terapeuta.

Consequências do bullying

consequências do bullying na vida
Crédito: Freepik

Falar sobre o assunto para evitar o bullying é tão importante porque ele deixa marcas irreparáveis na vida de milhares de pessoas. O peso que essas marcas vão ter, vai depender muito de como cada pessoa é criada, quais valores lhe são transmitidos e tudo o que forma a sua personalidade. Mas de modo geral, o bullying frequente e negligenciado pode acarretar em:

  • Depressão;
  • Desenvolvimento de transtornos psicológicos;
  • Obesidade ou anorexia;
  • Dificuldades em ter uma vida social quando adulto;
  • Dificuldades de lidar com todos os tipos de problemas ao longo da vida;
  • Suicídio.

Os casos de suicídio por bullying são cada vez mais frequentes e ocorrem sem os pais se darem conta de que o filho estava sofrendo de alguma maneira. Então, as dicas de como evitar o bullying são o ponto de partida para impedir uma tragédia sem volta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading…

0

Comentários

Benefícios da casca de melancia para a saúde

lavar tapete peludo

Como lavar tapete peludo? Veja as melhores dicas