Estresse em animais
Crédito: Freepik
em

Estresse em animais: como identificar + dicas para tratar e prevenir

Os cães e gatos não podem falar o que estão sentindo, mas você pode perceber observando o comportamento deles

Publicidade

Você notou uma mudança de comportamento no seu cão ou gato? Ele parece incomodado, mais irritado do que o habitual? Assim como acontece com humanos, os animais também podem sofrer com o estresse.

Antes de ser um problema, o estresse é uma reação necessária do corpo, tanto nas pessoas quanto nos animais. Em um momento de risco, é a liberação de hormônios que geram o estresse que faz o organismo reagir de forma involuntária para se salvar, seja fugindo ou atacando.

Porém, quando os cães e gatos são domésticos, dificilmente eles se deparam com situações de alto risco e necessidade de sobrevivência. Então, se mesmo assim eles apresentam sintomas de estresse o tempo todo, podem estar sofrendo com estresse crônico.

O que causa o estresse em animais?

Entre os principais motivos para o estresse crônico em animais, estão:

Publicidade
  • Dificuldade de adaptação após mudança de casa;
  • Chegada de outro animal na família;
  • Doença com sintomas incômodos e constantes;
  • Excesso de parasitas (pulgas e carrapatos) ou verminoses;
  • Falta de passeios, distrações e exercícios físicos e mentais;
  • Viver em ambiente muito pequeno, inadequado ao porte do animal;
  • Falta de rotina;
  • Mudanças no ambiente usado pelo animal (principalmente gatos);
  • Viver em local com excesso de barulho ou cheiros fortes;
  • Solidão.

Sintomas de estresse em cães e gatos

Os sintomas de estresse nos cães e gatos são parecidos com os sintomas nos humanos. Mas a diferença é que os animais não encontram sozinhos as soluções para aliviar esses sintomas e o estresse em si. Então, para você ajudá-lo, precisa primeiro saber identificar que ele não está bem, através dos seguintes sintomas:

Estresse em cães

  • Comportamento destrutivo
  • Enfraquecimento do sistema imunológico, gerando infecções recorrentes
  • Falta de apetite
  • Hiperventilação
  • Lambedura das patas
  • Latidos excessivos
  • Queda de pelos

Estresse em gatos

  • Agressividade
  • Apatia
  • Coceira intensa
  • Constipação ou diarreia
  • Diarreia
  • Enfraquecimento do sistema imunológico, gerando infecções recorrentes
  • Falhas e quedas de pelo
  • Lambeduras excessivas, ocasionando lesões de pele
  • Marcação territorial
  • Miados altos e prolongados
  • Micção fora da bandeja sanitária
  • Vômito

Como tratar e prevenir o estresse nos animais?

Alguns dos sintomas listados acima podem também identificar outros problemas de saúde. Por isso, a primeira coisa a fazer é levar seu pet ao veterinário para uma avaliação profissional. Assim, você terá certeza se ele está mesmo estressado ou se é outro problema.

Além disso, ninguém melhor do que o médico veterinário para prescrever o tratamento mais adequado, de acordo com a necessidade de cada animal em particular.

Publicidade

De modo geral, as opções para tratar o estresse em animais estão justamente nas causas listadas anteriormente, ou seja:

Dificuldade de adaptação após mudança de casa

Ajude seu animal a se adaptar ao novo ambiente quando vocês se mudarem de residência. Dê atenção a ele e não demore para organizar o cantinho dele no novo lar, como o espaço para comer, descansar e o banheirinho.

Chegada de outro animal na família

Assim como quando chega um bebê em casa e o irmão mais velho precisa entender que não é um rival, os cães e gatos precisam continuar recebendo amor e atenção com a chegada de um novo pet. Incentive que eles interajam e dê atenção igual para todos.

Publicidade

Doença com sintomas incômodos e constantes

As doenças, mesmo quando em tratamento, geram estresse porque o corpo entra em desequilíbrio. Se o seu pet estiver com sintomas de algum problema de saúde, leve-o ao veterinário para ele deixar de sofrer com os sintomas. Além do estresse gerado pelos sintomas, ele sofre ainda mais por não conseguir pedir ajuda.

Excesso de parasitas (pulgas e carrapatos) ou verminoses

Se você já teve crises alérgicas ou piolhos, sabe o quanto é estressante ficar se coçando o tempo todo, sem conseguir ficar em paz. A verminose não coça, mas causa dores, inchaço e problemas intestinais que também geram muito estresse.

Falta de passeios, distrações e exercícios físicos e mentais

Animais entediados ficam muito estressados. Mesmo os mais quietos, precisam gastar energia, explorar ambientes diferentes, exercitar o corpo e a mente. Os cães precisam passear todos os dias. Cães e gatos precisam de brincadeiras e jogos mentais para evitar o estresse.

Publicidade

Viver em ambiente muito pequeno, inadequado ao porte do animal

Essa é principalmente para os cães. Muitas vezes, não há opção de se mudar para um lugar maior. Mas, nesse caso, é ainda mais importante sair para passear com o cão todos os dias. Se você está pensando em adotar um cão, mas mora em um lugar muito pequeno, evite escolher um animal de médio ou grande porte, pois o risco de ele ficar estressado é mais alto.

Falta de rotina

Cães e gatos gostam de ter rotina, assim como muitos seres humanos. É mais tranquilo para o animal viver em paz quando ele já sabe o que vai acontecer todos os dias. Claro, não é possível prever todos os acontecimentos, mas é possível ter um horário para comer, passear, brincar, dormir, enfim. Isso ajuda muito a tratar e evitar o estresse em animais.

Mudanças no ambiente usado pelo animal (principalmente gatos)

Para você, pode não ser nada. Mas, para seu gato, é impactante quando o banheirinho, o comedouro ou a caminha dele mudam de lugar na casa. Evite fazer essas mudanças sem necessidade e, se precisar mudar, ajude seu pet a se adaptar: fale com ele sobre a mudança, mude uma coisa de cada vez e mostre a ele quando a troca de lugar estiver acontecendo.

Publicidade

Viver em local com excesso de barulho ou cheiros fortes

Animais têm audição e olfato mais apurados. Então, se puder controlar isso, evite ruídos altos e constantes e evite usar produtos de limpeza com cheiro intenso ou encher a casa de perfume. Para você o cheiro é fraco e gostoso, mas para seu pet pode ser bem estressante. Aliás, cuidado principalmente com os cheiros fortes nos locais em que ele come e descansa.

Solidão

Os gatos parecem ficar melhor do que os cães quando estão sozinhos. Mas, nem por isso eles devem ser deixados sozinhos em casa a maior parte do dia, todos os dias. Já no caso dos cães, a solidão gera o estresse que se manifesta em latidos excessivos, destruição do ambiente e apatia. Pense na sua rotina antes de adotar um animal, pois ele vai precisar de muita atenção e companhia.

Cuidados essenciais para a volta às aulas presenciais

Cuidados essenciais para a volta às aulas presenciais

Maus hábitos de limpeza

Maus hábitos de limpeza que fazemos e não percebemos