em

Bilionário dedica-se ao acolhimento de imigrantes venezuelanos

Empresário brasileiro ajuda refugiados da Venezuela em Roraima
acolhimento de imigrantes
Crédito: Head Topics

Empresário bilionário, Carlos Wizard Martins, está dedicando-se ao acolhimento de imigrantes venezuelanos que chegam ao Brasil, em um ato de amor ao próximo e consciência coletiva. E sabe o motivo?

Imagine viver em um país onde não se tem água limpa para beber, comida, remédios e nem mesmo papel higiênico. Além da falta física, também a alma sofre, pois não há liberdade, estando em um regime ditatorial.

Aqui você encontra:

A necessidade de realizar o acolhimento de imigrantes

A Venezuela tem estado nos trends do Twitter há anos, vivendo uma violenta onda de repressão, fome, cerceamento, vinganças e morte. Liderado pelos chavistas desde 1999, o “presidente” tem poder sobre o Judiciário e o Conselho Nacional Eleitoral.

A “reeleição” de Maduro, ex motorista e sucessor de Hugo Chavez, está envolta em fraudes, protestos, prisões e mortes. Em janeiro desse ano, depois de muita articulação e presos políticos, Juan Guaidó se declarou como presidente interino, com apoio do Brasil, EUA e outros países.

Desde então, está tentando tomar a presidência, enquanto Maduro não abre mão do seu cargo, agindo com violência e opressão sobre os opositores, inclusive com o povo. Por esses motivos, a Venezuela continua sem medicamentos, alimentos, remédio e é claro, liberdade.

Histórias de bondade para acalentar seu coração

Como estão as pessoas no país

acolhimento de imigrantes
Crédito: Il Mondo TV

A fome de um povo que tem que passar o mês com apenas 5 dólares, está levando a tentativas desesperadas para emigrar, sendo o Brasil uma opção segura e viável. Poucos são os que conseguem sair ilesos do país natal, mas ao chegar, têm mais perspectiva de sobrevivência.

Chegam cansados, com fome, com apenas uma mochila ou saco com roupas. Não têm onde ficar, o que comer ou onde dar banho em seus filhos. Nos olhos, somente a esperança de dias melhores, com oportunidades de trabalho a uma remuneração mais justa.

E foi pensando nisso que Carlos Wizard, junto com a igreja a qual pertence, procurou uma forma de  poder ajudar, já que está engajado na causa de acolhimento de imigrantes (que chegam ao Brasil), vindos de outras regiões, como é o caso dos africanos.

Escola congela merenda não servida e doa para alunos carentes

Brasileiro bilionário envolvido no acolhimento de imigrantes

Carlos Wizard tem um nome que é bem conhecido no país. É proprietário não somente do curso de idiomas Wizard, mas também empreende em redes como Mundo Verde, KFC, Taco Bell, Pizza Hut, Topper, Rainha, diversos cursos de idiomas, academias, escolinhas de futebol, banco digital e muito mais.

Um dos homens mais ricos do país, ele poderia simplesmente viver seu luxo, como muitos outros fazem, doando parte do que recebem, de maneira confortável. Mas ele tem uma visão diferente do que é ajudar o próximo. Envolvido com obras beneficentes há anos, ele está a frente de um grupo de empresários que faz o acolhimento de imigrantes venezuelanos no Brasil.

Entenda o seu envolvimento

De acordo com a entrevista concedida à Istoé Dinheiro, ele afirma: “encontrei muitas pessoas vivendo nas ruas, em situação de miséria, incluindo mães com crianças de colo, o que, por si só, é um fato chocante. É impossível fechar os olhos e fazer de conta que não temos nada a ver com um problema alheio”.

E complementa, “alguns criticam o auxílio humanitário destinado aos venezuelanos dizendo que já temos pobres o suficiente em nosso País, por que nos preocupar com a pobreza do estrangeiro?”. Ele entende que são pessoas, independente da nacionalidade e que todos devem imaginar se fosse com o brasileiro, a mesma situação.

Carlos afirma que eles sofrem por causa de “um ditador irresponsável, um opressor desajustado que fere os direitos humanos de seus cidadãos (…). Somos um povo solidário e não podemos fechar os olhos para as necessidades de seres humanos que passam fome e sede”.

Como tudo começou

acolhimento de imigrantes
Crédito: Forbes Brasil

Assim, se uniu com outros empresários e líderes de diversas religiões, para criar uma força tarefa para realizar o acolhimento de imigrantes, dando oportunidades de crescimento. Para isso, o primeiro passo está sendo o de retirar as famílias de Roraima e levar para outras regiões do Brasil, para não sobrecarregar o local.

Suas empresas também está abrindo cerca de 200 vagas de trabalho para os imigrantes, estimulando também outros empresários a fazer o mesmo. Essa é uma iniciativa “humanitária, sem barreiras partidárias ou ideológicas”, onde todas as religiões são muito bem vindas, sejam ou não cristãos, budistas, judeus ou muçulmanos, finaliza o empresário.

A Gol e Azul, empresas de transporte aéreo, estão engajadas, realizando o transporte de famílias pelo país. Para o empresário, o trabalho das ONGs locais é admirável, mas não tem visão de futuro e tratam de pontos imediatos e necessários.

Mas, como empreendedor, ele acredita que distribuir os refugiados, em famílias, pelo país, pode ajudar a estabelecer um novo começo para eles.

História comovente de um transplante que salvou uma vida

E você, como pode ajudar ao próximo?

Para finalizar, nas palavras de Carlos Wizard, “é tudo uma questão de escolha: cruzarmos os braços e esperarmos que os outros resolvam o problema, ou utilizarmos os recursos que temos ao alcance de nossas mãos para mudar essa realidade. Será que 208 milhões de brasileiros não conseguem cuidar de 10 mil desabrigados?”.

Quem quiser ajudar com ideias, projetos, doações e voluntariado, pode entrar em contato com a equipe do empresário, através do e-mail somos.todos@hermanos.net.br e solicitar mais informações.

Entenda melhor a crise na Venezuela com essa reportagem:

receitas caseiras para clarear axilas
3 receitas caseiras para clarear axilas sem prejudicar a saúde da pele
receitas de uma panela só baião de dois
Receitas de uma panela só: 15 opções para simplificar o preparo